18ª.AULA: SOLIDARIEDADE

Solidariedade
Postado por Luciene Miranda Beheraborde

OBJETIVO:

- Levar o aluno a refletir sobre a importância do ser solidário.
A solidariedade faz com que as pessoas se sintam parte de uma mesma sociedade. Ela é o contrário da indiferença, portanto, pressupõe a capacidade de ajuda mútua.
É impossível uma pessoa sozinha da conta da sua vida. Ela depende da ajuda das outras. De certa forma, na maioria das coisas que uma pessoa faz, ela conta, direta ou indiretamente, com a ajuda de outras. Ás vezes, mesmo sem saber.

Esse espírito de solidariedade existe tanto entre pessoas, quanto entre cidades e entre países. Quando alguma catástrofe acontece com uma nação, outras correm em seu auxílio.
O sofrimento de uma outra pessoa desperta sempre esse sentimento de compaixão, que é seguido da atitude de ajuda. Desta forma fica claro que é necessário tomar conhecimento da condição da outra pessoa, para se agir de forma solidária.

Muitas vezes não se age solidariamente por ignorância. As pessoas não conhecem a pobreza, a doença e muitos outros males que afligem aos outros, por isso não ajudam. Uma das principais atividades da escola é informar aos alunos sobre as principais condições de vida da população, de modo a formar o espírito de solidariedade dos alunos.
(COPASA – Líquido & Certo – Informativo Interno – no 1 setembro de 2000 p.4.)

Aprendendo com os gansos

Você sabe porque os gansos voam em formação de “V”? Veja o que os cientistas descobriram:

• 1 – A medida que cada ave bate suas asas, ela cria uma sustentação para a ave seguinte. Voando em formação “V”, o grupo inteiro consegue voar pelo menos 70% a mais do que se cada ave voasse sozinha.

Conclusão: Pessoas que compartilham uma direção comum e um senso de equipe chegam ao seu destino mais depressa e facilmente porque elas se apóiam na confiança umas das outras.

• 2 – Sempre que um ganso sai fora de formação, ele sente uma resistência maior ao tentar voar só, e imediatamente, retorna à formação para tirar vantagem do poder de sustentação da ave a sua frente.

Conclusão: Existe força, poder e segurança em grupo, quando se viaja na mesma direção com pessoas que compartilham de um objetivo comum.

• 3 – Quando o ganso líder se cansa, ele inicia um processo de revezamento, indo para a traseira do “V”, enquanto um outro assume a ponta.

Conclusão: Ninguém é de ferro ou insubstituível. É importante saber delegar tarefas e confiar nos colegas.

• 4 – Os gansos de trás grasnam para encorajar os da frente a manterem o ritmo e a velocidade.

Conclusão:
- Todos necessitam ser reforçados com apoio ativo e encorajamento dos companheiros.

• 5 – Quando um ganso adoece ou se fere e deixa o grupo, dois outros gansos saem da formação e o seguem, para ajudá-lo e protege-lo. Eles o acompanham até a solução do problema, e, então, reiniciam a jornada os três ou se juntam a outra formação, até encontrar o seu grupo original.

Conclusão: A solidariedade é imprescindível em qualquer situação principalmente nas dificuldades.

- Carmem, me ajuda a ajudar?
- Como?
- Me ensina como eu posso ajudar alguém?
- Claro! Comece olhando bem para as pessoas, falando com elas e ouvindo.

- Mirna, você já pediu ajuda alguma vez?
- Já.
- Como?
- Eu fiquei olhando para você, mas você não me atendeu.
- Só olhando, sem falar nada?
- Claro, será que você não viu que eu estava pedindo ajuda?

- Olhe, muitas vezes a gente não consegue ajuda porque é muito orgulhosa para pedir.
- Pobre precisa de ajuda?
- O pobre precisa de ajuda porque não tem condições adequadas de vida e uma sociedade que possui a pobreza precisa de ajuda, porque ainda não aprendeu a resolver essa doença.

- Como posso ajudar meus colegas de sala?
- Ah, é muito fácil.
- Como?
- Sendo um bom colega e um ótimo aluno.
- Ah... Mas eu não sei o que é ser um bom colega e um ótimo aluno.
- Não? Então discuta com seus colegas e sua professora para descobrir o que é isso.

- Carlos, como a escola pode ser solidária?
- De várias maneiras.
- Fale algumas.
- Olhando a comunidade que está a sua volta, contribuindo com as campanhas de solidariedade que acontecem na sociedade, trocando experiência com outras escolas.

(Ética, Angélica Sátiro e Paula Volker)