INTRODUÇÃO

1. Conceito


A denominação de Evangelização Espírita Infanto-Juvenil, se dá à transmissão do conhecimento espírita e da moral evangélica pregada por Jesus. (1)

Como a preocupação não é somente com a transmissão de conhecimentos mas, sobretudo, com a formação moral, e como a formação moral se inspira no Evangelho, parece-nos muito apropriada à denominação de "evangelização espírita" dada a essa tarefa, por expressar, na sua abrangência, exatamente o que se realiza em nossos agrupamentos de crianças e jovens. (3)


2. Objetivos


a) Promover a integração do evangelizando: consigo mesmo; com o próximo e com Deus.

b) Proporcionar ao evangelizando o estudo: da lei natural que rege o Universo; da "natureza, origem e destino dos Espíritos bem como de suas relações com o mundo corporal."

c) Oferecer ao evangelizando a oportunidade de perceber-se como: Homem integral, crítico, consciente, participativo, herdeiro de si mesmo, cidadão do Universo, agente de transformação de seu meio.


3. Evangelização e Educação


O Espiritismo pode iluminar a Educação com uma filosofia que transpõe os imediatismos, que transcende a todos os limites, que descortina os mais amplos horizontes, que atende aos mais nobres interesses, e que se reveste de um ideal capaz de impulsionar o verdadeiro progresso.

Do ponto de vista Espírita, a Educação não começa no berço nem termina no túmulo, mas antecede o nascimento e sucede à morte do corpo físico.


4. Importância da Evangelização


Inútil improvisar escoras regenerativas para obrigar o endireitamento de árvores que envelheceram tortas. As escoras só asseguram o crescimento correto das plantas novas, evitando que seus caules se desviem do rumo certo.

É preciso cuidemos, portanto, da criança e do jovem, plantas em processo de crescimento, ainda amoldáveis e direcionáveis para o bem maior. (Campo Fértil, Leopoldo Machado)


5. Evangelização no Centro Espírita


Como os Espíritos situam, no conjunto das atividades da Instituição Espírita, a tarefa da Evangelização Espírita Infanto-Juvenil?

(...) A tarefa da Evangelização Espírita Infanto-Juvenil é do mais alto significado dentre as atividades desenvolvidas pelas Instituições Espíritas, na sua ampla e valiosa programação de apoio à obra educativa do homem. (2)

O Centro Espírita; consciente de sua missão, deve envidar todos os esforços, não só para a criação das Escolas de Evangelização Espírita Infanto-Juvenil como para o seu pleno funcionamento, considerando a sua importância em termos de formação moral das novas gerações e de preparação de futuros obreiros da Casa e do Movimento Espírita. (3)


6. Programa de Ensino


Um programa é desenvolvido ao longo do Curso de Evangelização Espírita Infanto-Juvenil que vai dos 3 aos 21 anos, quando as crianças e os jovens têm oportunidade de, através de métodos adequados, realizar um estudo básico da Doutrina Espírita ( ... ).

O ensinamento espírita e a moral evangélica são os elementos com os quais trabalhamos em nossas aulas.

Esses conhecimentos são levados aos alunos através de situações práticas da vida, pois a metodologia empregada pretende que o aluno reflita e tire conclusões. (3)
Referências


(1). KARDEC, Allan. o Livro dos Espíritos. Trad. de Guillon Ribeiro. 60. ed. Rio de Janeiro, FEB, 1984. Questão 625, p. 308.

(2) A Evangelização da infância e juventude na opinião dos Espíritos. FEB.

(3) O Que é Evangelização? Fundamentos da Evangelização Espírita da Criança e do Jovem. ed. FEB, 1987. Rio de Janeiro, p. 38.


Fonte: Federação Espírita Brasileira – www.febnet.org