OS MILAGRES DE JESUS

1 - JESUS RECUSA-SE A OPERAR PRODÍGIOS (Mat. 16:1 a 4; Marc, 8:11 a 13)

Chegaram os fariseus e saduceus e, com o fim de o porem à prova, pediram que lhes mostrassem um sinal do céu. Jesus, dando um profundo suspiro em seu espírito, disse:

- "À tarde dizeis: Teremos bom tempo, por que o céu está avermelhado; e pela manhã: Hoje teremos tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio.

Sabeis, na verdade, discernir o aspecto do céu, e não podeis discernir os sinais dos tempos?

- Uma geração má e adúltera pede um sinal; e nenhum sinal se lhe dará, senão o de Jonas (referia-se à sua ressurreição, vede Mat, 12:40).

Deixando-os, retirou-se.

2 - "AS CURAS DE JESUS"

"O fluido universal é o elemento primitivo do corpo carnal e do perispírito, que são as suas transformações. Pela identidade da natureza esse fluido, condensado no perispírito, pode fornecer ao corpo os princípios reparadores; o agente propulsor é o Espírito, e encarnado ou desencarnado, que infiltra num corpo deteriorado uma parte da substância do seu invólucro fluídico.

A cura opera-se substituindo uma molécula enferma por uma molécula sã. A força curadora está, assim, na razão da pureza da substância inoculada, dependendo ainda da energia da vontade, que provoca uma emissão fluídica mais abundante e dá ao fluido mais força de penetração, segundo as intenções que animam aquele que deseja curar, quer seja homem ou Espírito. (Allan Kardec, "A Gênese).

As curas de Jesus figuram no primeiro plano de sua Missão. Ele curava para ensinar pelo exemplo a Lei de Deus, sintetizada nesta sábia sentença:"Amai a Deus e ao próximo, fazendo ao vosso semelhante o que quereríeis que ele vos fizesse". Jesus não exercia a arte de curar por amor à Medicina ou ao Magnetismo, nem se tornou taumaturgo por diletantismo.

Sendo que a maior parte dos seus ensinos era dada por comparações, houve por bem adotar o processo de curas, que se gravam muito não só nos pacientes, como nos assistentes, que o reconheciam como um Ente Divino, superior, digno, por isso mesmo, de acatamento e respeito: "Pode, porventura, não ser um emissário do Céu, aquele que chega a abrir os olhos aos cegos? E assim, nosso Mestre impunha-se à consideração e à simpatia de todos os que nele reconheciam o Filho de Deus.

Mas é preciso convir que Jesus não limitava a sua ação às curas que efetuava; estas, longe de serem objeto de sua predileção, eram um dos meios para que o Evangelho fosse anunciado. Quais os processos usados para a obtenção de resultados profícuos? Como, e de que forma Jesus fazia suas curas? O Evangelho nos diz que, ao império da sua palavra e das suas mãos, os enfermos restabeleciam-se.

Explicação vaga, mas que apresenta os fatos tais como se deram, sem a tentativa de expô-los sob as bases de uma teoria preconcebida, como aconteceu quando os fariseus, valendo-se da idéia errônea que tinham levantado como artigo de fé - a crença no diabo - disseram que "o Nazareno expelia os demônios". Segundo Jesus, ao contrário do que julgam os inscientes, os fatos não são oriundos da teoria ; esta é que se origina dos fatos, como os frutos se originam das árvores. Daí o seu ditame: "Reconhece-se a árvore pelos frutos, porque não se colhem figos dos espinheiros, nem se vindimam uvas dos abrolhos".

Os fenômenos eram bons, os fatos eram vivificadores, logo não podiam ter por origem o mal, a morte. O poder de curar, em Jesus, era dom sobre-humano. Quando dizemos sobre-humano, excluímos da nossa tese a palavra sobrenatural, visto nada existir que não seja natural. Era sobre-humano visto ser esse dom, em Jesus, perfeito, ultrapassando, portanto, os limites ao poder humano, mesmo dos melhores curadores. Sendo Jesus um Espírito perfeito, claro está que perfeitos deveriam ser todos os seus dotes.

Sendo Ele o maior Missionário que baixou à Terra, não podia, para o bom exercício de sua missão, deixar de vir revestido de poderes e forças que o distinguissem dos demais homens.
Assim é que, o seu grande conhecimento das leis que regem o Universo e dos fluidos nele existentes, a sua força para a dominação e transformação desses fluidos, a sua vontade soberana de fazer realçar a Lei de Deus, o seu amor imenso pelos sofredores, pelos deserdados da sorte, o auxílio constante que recebia diretamente de Deus, a enorme Milícia Celeste e a Multidão de Espíritos que se achavam sob as suas ordens, tudo concorria para que Ele dissesse ao cego: "Vê"; ao paralítico: "Anda"; ao leproso: "Sê limpo"; à sua Palavra, tudo se cumpria.

Não nos cumpre descer a minudências, nem formular hipóteses que, em vez de explicar aos leitores os meios de que Jesus se utilizava para curar, os transviariam do estudo. Limitamo-nos a afirmar que o Moço Nazareno reunia todos os caracteres do Homem Magnético. E, além disso, recebia do Pai Celestial tudo o que o pudesse auxiliar para o cumprimento da sua tarefa. Em A Gênese, Allan Kardec expõe magnificamente, com o título "os Milagres Segundo o Espiritismo", o modus operandi de todos esses fatos, chamados sobrenaturais, mas que têm sido verificados, com menor intensidade, em todos os tempos e em toda a parte.

É estudo extremamente interessante, embora difícil de ser compreendido "à prima facie", como em geral acontece com todos os estudos transcendentes, mas dos quais todos se devem inteirar, para bem compreender a causa e os fatores de tantos fenômenos que ensombram a alma humana . Estudemos agora, detalhadamente, as curas feitas por Jesus e publicadas pelo Evangelho, como um grande legado às gerações.

Cairbar Schutel

NOTA: APRESENTAMOS ABAIXO UMA LISTAGEM DE MILAGRES OUTORGADOS A JESUS DE MODO SINTÉTICO, SENDO REFERIDOS E ANALISADOS MAIS PORMENORIZADAMENTE POR DIVERSOS AUTORES EM OUTRAS PÁGINAS.

01 ..A cura da filha de uma cananéia
02 ..A cura da mulher encurvada no sábado
03 ..A cura da orelha de Malco
04 ..A cura da sogra de Pedro
05 ..A cura de dois cegos
06 ..A cura de um cego de nascença
07 ..A cura de um epiléptico
08 ..A cura de um hidrópico
09 ..A cura de um jovem possesso
10 ..A cura de um leproso
11 ..A cura de um mudo endemoninhado
12 ..A cura de um paralítico em Betesda
13 ..A cura de um paralítico em Cafarnaum
14 ..A cura de um surdo gago
15 ..A cura do cego em Betsaída
16 ..A cura do criado do centurião
17 ..A cura do filho de um oficial
18 ..A cura dos dez leprosos
19 ..A filha de Jairo. A hemorroíssa
20 ..A 1ª multiplicação dos pães
21 ..A 2ª multiplicação dos pães
22 ..A mulher com fluxo de sangue
23 ..A ressurreição da filha de Jairo
24 ..A ressurreição de Lázaro
25 ..A ressurreição do filho de uma viúva
26 ..A transfiguração de Jesus
27 ..Água Transformada em vinho
28 ..Cura da mão atrofiada dum homem
29 ..Cura paralítico em Cafarnaum
30 ..Curando doenças e enfermidades
31 ..Curas operadas pelo contato...
32 ..Jesus acalma a tempestade
33 ..Jesus anda sobre o mar
34 ..Jesus escapa dos inimigos
35 ..João envia mensageiros a Jesus
36 ..Milagres na festa de Páscoa
37 ..Nomes dos apóstolos. Curas realizadas
38 ..O cego Bartimeu e outro
39 ..O endemoninhado cego e mudo
40 ..O endemoninhado em Cafarnaum
41 ..O estáter na boca de um peixe
42 ..O homem da mão atrofiada
43 ..O milagre da pesca
44 ..O poder de expelir demônios
45 ..Os endemoninhados gadarenos
46 ..Os são não necessitam de médico
47 ..Pesca maravilhosa
48 ..Porcos precipitados no lago
49 ..Pregando e expulsando demônios
50 ..Seca a figueira improdutiva
51 ..Vinho novo em odres novos