O SÁBADO E O TEMPLO

O SÁBADO E O TEMPLO

"Naquele tempo, em um sábado, passou Jesus pelas searas; e seus discípulos, tendo fome, começaram a colher espigas e a comer. Os fariseus, vendo isto disseram-lhe: os teus discípulos estão fazendo o que não é lícito fazer nos sábados. Ele, porém, lhes disse: Não leste o que fez Davi, quando ele e seus companheiros tiveram fome? Como entrou na casa de Deus e como eles comeram os pães da proposição, os quais não lhe era lícito comer, nem aos seus companheiros, mas somente aos sacerdotes? Ou não leste na lei que aos sábados os sacerdotes no templo violam o sábado e ficam sem culpa? Digo-vos, porém: Aqui está quem é maior que o templo. Mas se vós tivésseis conhecido o que significa: Misericórdia quero e não holocaustos, não teríeis condenado os inocentes, porque o Filho do Homem é Senhor do sábado". (Mateus, XII, 1-8.)

Que é o sábado?

Um dia convencional para designar o sétimo dia da semana.

Que é o templo?

Uma casa feita por mãos humanas onde se ajuntam os sectários de uma crença.

Se subirmos algumas centenas de léguas num balão, onde ficou o templo? Onde está a grandeza do templo?

Se nos elevarmos algumas milhas no espaço, onde está o sábado? Onde estão os sete dias da semana? Onde está o dia? Onde está a noite? Que é a noite?

Todo o hemisfério está banhado de luz e nas alturas tudo é luz!

O sábado, como o templo, pertencem à Terra.

Aquele que é da Terra, só trata das coisas da Terra: do sábado, do templo, do dia, da noite; porque não conhece as coisas do mundo espiritual.

A religião da Terra consiste em holocaustos e sacrifícios, mas nem uns nem outros pertencem à religião do Céu.

"Misericórdia quero e não sacrifício": sem preocupações estéreis com espigas que se possam colher em dias de sábado, ou de quaisquer pães de proposição que haja nos templos!

Jesus é maior que o templo.

O discípulo não deve ser maior, mas deve ser como o Mestre.

O discípulo de Jesus é maior que o templo. Jesus é senhor do sábado; o discípulo de Jesus é senhor do sábado.

O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado.

O sábado fica na Terra, a alma sobe para o Céu.

O templo! Caem as chuvas, sopram os ventos e é grande a ruína daquela casa.

O Espírito! Quanto mais sopram os ventos, mais o Espírito se eleva; quanto mais descem as chuvas, mais para o Alto se dirigem as almas!

Formal desprezo manifesta o Mestre para com o templo: "Aqui está quem é maior do que o templo".

Coisa secundária é o sábado: "O Filho do Homem é Senhor do sábado".

Sábado, templo, sacerdotes, holocaustos e sacrifícios não fazem parte da religião de Deus, são preceitos e formalidades humanas que desaparecem ao rugir da tempestade e ao correr do tempo.

CAIRBAR SCHUTEL