TEMPO DE RENOVAÇÃO


1 - PREFÁCIO

Saudamos nesta página de abertura, o aparecimento de um livro que será nutrimento substancioso para as consciências e os corações de todos que o lerem. Escrito com o propósito de contribuir para a iluminação das mentes com as verdades divinas, as suas páginas são, em sua sequência, um verdadeiro filão de riquezas espirituais esclarecedoras, como de doces e legítimas consolações, constituindo-se em fontes vivas de fé e de esperança.

Só a pura amizade, resultante de uma evidente afinidade de pensamentos e sentimentos, poderia ter levado o seu autor a solicitar-nos escrever-lhe o Prefácio.

Tendo de confessar-nos abaixo da tarefa, declaramos entretanto, que a executaremos com brevidade e sucintamente, mas com grande felicidade e, mais, com reconhecimento, pelo testemunho de confiança, baseada na solidez da amizade.

O autor deste livro — Juvanir Borges de Souza — está acima de qualquer elogio. Grande é o seu merecimento, em tudo o que escreve, pela clareza da exposição e a firme diretriz das idéias, apesar dos notórios sentimentos de humildade e modéstia que o caracterizam. A diretriz do seu pensamento está firmada indelevelmente nos princípios puros da Doutrina Espírita, sobretudo na sua qualidade de revivescedora dos ensinos de Jesus, expostos nos seus Evangelhos. Porque, a grande convicção do autor, que transparece em todos os seus escritos, é de que o mérito maior do Espiritismo está no despertamento que ele produz na consciência humana da necessidade que tem o homem de evoluir espiritualmente, de conquistar sua melhoria íntima, combatendo o orgulho e o egoísmo, a arrogância e a presunção, a avareza e a cupidez, os vícios e as paixões inferiores, substituindo-os pela humildade e o altruísmo, a brandura e a modéstia, o desapego aos bens terrestres e à avidez dos prazeres, enfim pelas virtudes e os sentimentos que dignificam a criatura humana. Só isso conduzirá o homem à paz, à verdadeira paz — "A Paz de Jesus", conforme o belo Capítulo I, que por si só diz da excelência de todo o livro.

Emmanuel, lembrando Paulo — "Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda" (II Coríntios, 5: 6), nos diz: "Não nos esqueçamos de que nossos pensamentos, palavras, atitudes e ações constituem moldes mentais para os que nos acompanham (...). Todos os teus pensamentos atuam nas mentes que te rodeiam. Todas as tuas palavras gerarão impulsos nos que te ouvem. Todas as tuas frases escritas gerarão imagens nos que te lêem (...) (destacamos). Façamos do próprio caminho abençoado manancial de trabalho e fraternidade, auxílio e esperança, a fim de que o nosso Hoje Laborioso se converta para nós em Divino Amanhã."

É o que Juvanir tem procurado fazer com seus escritos, todos visando a despertar nos seus semelhantes, aqueles que o lerem, vibrações de paz, aspirações altas de concórdia e de fraternidade, propósitos dignificantes de reforma íntima através do trabalho, pensando, falando, escrevendo e agindo, pautando todos esses impulsos pelo ideal sublime de Jesus — que é a regeneração humana.

Auguramos para este segundo livro — Tempo de Renovação o mesmo êxito que acompanhou o primeiro, de recente lançamento — Tempo de Transição —, cuja primeira edição se esgotou rapidamente.

Pedindo que nos releve a singeleza deste Prefácio, estreitamos o irmão devotado à Causa do Bem e da Verdade, da Esperança e da Fé, bem junto ao nosso coração de irmão e amigo verdadeiro.

LAURO S. THIAGO

2 - INTRODUÇÃO

A acolhida generosa ao livro "Tempo de Transição", esgotando-se rapidamente sua primeira edição, sugeriu a idéia da organização de uma nova obra, em moldes semelhantes àquele primeiro lançamento.

O Departamento Editorial da Federação Espírita Brasileira, abrigando a idéia, transformou-a na realidade de um novo título — "Tempo de Renovação".

As crônicas ora enfeixadas em livro foram escolhidas dentre as muitas já divulgadas pela revista "Reformador". Não fogem muito ao estilo das anteriores, senão quanto aos temas e à oportunidade.

Nosso objetivo primacial continua sendo o de servir por dever, humildemente, com a fidelidade que nos impusemos ao Consolador.

Aprendemos com Emmanuel que Espiritismo não é somente convicção de imortalidade, com o conhecimento claro das leis da vida e as deduções lógicas sobre as verdades eternas. E' também clima de serviço e de edificação.

Por isso rogamos aos leitores relevar-nos a preferencia pela abordagem de tantos assuntos que vão desaguar na necessidade da auto-educação, comum a todos nós.

Ao escrever, nossa posição ê a de simples aprendiz, nunca deixando de considerar, em primeiro lugar, nossas próprias necessidades de aperfeiçoamento.

Na Doutrina Espírita e no Evangelho de Jesus os caminheiros da romagem terrena encontram as mais seguras diretrizes para a auto-iluminação.

Todo esforço individual, apoiado naquelas fontes supremas a serviço da Humanidade, constitui-se na base abençoada para quem procura melhorar-se, ascender-se, pacificar-se, reeducar-se.

A todos que já abriram os olhos para a luz compete seguir adiante, persistir no bem, auxiliar sempre.

A Doutrina Espírita, na atual fase de transição que o mundo atravessa, necessita mais dos seguidores sinceros de seus princípios libertadores, estudantes e praticantes das lições do Mestre e Senhor, e menos dos polemistas, discutidores e impositores de pontos de vista pessoais.

Regozijamo-nos em verificar que o Movimento Espírita do Brasil, na maioria de seus componentes, individuos e instituições, compraz-se no labor construtivo, sem exigencias e sem exibições desnecessárias, consciente da grandeza do ideal a realizar, na glória de servir à construção da felicidade comum.

Se acreditamos no progresso e na renovação, em busca de um mundo melhor para todos, em lugar de lamentar e criticar as tribulações e tristezas atuais trabalhemos nossas almas e auxiliemos as almas irmãs a se redimirem.

O soerguimento moral depende de os homens aceitarem realizar sua parte na grande planificação dirigida pelo Governador Espiritual do Planeta. Os espíritas estão engajados nessa obra de regeneração que é, ao mesmo tempo, individual e coletiva.

Todo trabalhador consciente da imensa seara do Cristo tem condições de lançar a semente do bem. A germinação, o crescimento e os frutos dependem do tempo, o aliado dos que trabalham e esperam.

"Tempo de Renovação" é a pequena semente que é lançada no terreno arroteado pelas claridades do Consolador. Fica-nos a esperança de sua germinação no julgamento daqueles que já sabem que a aceleração do processo evolutivo depende do esforço individual, intransferível.

Dentro dos infinitos valores da vida, tendo o homem terreno tomado conhecimento de sua verdadeira natureza, graças à Revelação Espírita, já não há tanta necessidade de absorver-se completamente com paisagens e problemas exteriores, cujas soluções encaminham-se naturalmente, uma vez que todos os encarnados nelas se empenham.

Em escala crescente, as energias espirituais precisam voltar-se para o reino interior da criatura, para o aperfeiçoamento de si mesma.

Espiritismo e Evangelho são a sustentação da nova era de concórdia e fraternidade que todos esperamos, após a grande transição que estamos vivendo.

Essas as premissas que justificam a publicação de "Tempo de Renovação".

Rio de Janeiro, dezembro de 1988.

JUVANIR BORGES DE SOUZA

..CAPÍTULO 1 - A PAZ DE JESUS

..CAPÍTULO 2 - DEVER E FIDELIDADE
..CAPÍTULO 3 - O CAMINHO
..CAPÍTULO 4 - TEMPO DE TRANSIÇÃO
..CAPÍTULO 5 - OS AGUILHÕES DA VIDA
..CAPÍTULO 6 - CONHECIMENTO E RESPONSABILIDADE
..CAPÍTULO 7 - ESPÍRITO E MATÉRIA
..CAPÍTULO 8 - CORPO E ALMA
..CAPÍTULO 9 - IMORTALIDADE
..CAPÍTULO 10 - NOSSO IDEAL
..CAPÍTULO 11 - CARÁTER DA REVELAÇÃO ESPÍRITA ..
..CAPITULO 12 - A LINGUAGEM..
..CAPÍTULO 13 - AUTO-EDUCAÇÃO
..CAPÍTULO 14 - PODER E SIGNIFICAÇÕES DA FÉ
..CAPÍTULO 15 - IDEAL E FÉ
..CAPÍTULO 16 - SOLIDARIEDADE
..CAPÍTULO 17 - FORÇAS ESPIRITUAIS
..CAPÍTULO 18 - O BEM E O MAL
..CAPÍTULO 19 - A PEDRA ANGULAR
..CAPÍTULO 20 - SOFRIMENTO E COMPREENSÃO
..CAPÍTULO 21 - PERÍODOS DE TRANSIÇÃO
..CAPÍTULO 22 - CONCÓRDIA E VIGILÂNCIA
..CAPÍTULO 23 - CONHECIMENTO E PRÁTICA DO ESPIRITISMO
..CAPÍTULO 24 - PERÍODOS DE ESPIRITISMO
..CAPÍTULO 25 - A FORÇA DO ESPIRITISMO
..CAPÍTULO 26 - A INFLUÊNCIA DO ESPIRITISMO
..CAPÍTULO 27 - A MISSÃO DO CONSOLADOR
..CAPÍTULO 28 - PROGRESSO MORAL
..CAPÍTULO 29 - NA "ERA DA INCERTEZA"
..CAPÍTULO 30 - TECNOLOGIA DO COMPORTAMENTO
..CAPÍTULO 31 - LIBERDADE DE EXPRESSÃO
..CAPÍTULO 32 - CIVILIZAÇÃO E PROGRESSO
..CAPÍTULO 33 - REVELAÇÕES
..CAPÍTULO 34 - TEMPOS MODERNOS
..CAPÍTULO 35 - "INDEX LIBRORUM PROHIBITORUM"
..CAPÍTULO 36 - REDENÇÃO
..CAPÍTULO 37 - MATERIALISMO E VIDA MODERNA
..CAPÍTULO 38 - O HOMEM E O ESTADO
..CAPÍTULO 39 - MEIAS-VERDADES
..CAPÍTULO 40 - "A CÉSAR O QUE É DE CÉZAR" ..
..CAPÍTULO 41 - O INTERESSE PESSOAL
..CAPÍTULO 42 - O "REINO DE DEUS"
..CAPÍTULO 43 - O SERMÃO DO MONTE
..CAPÍTULO 44 - PENSAR E AGIR
..CAPÍTULO 45 - JESUS-CRISTO