GRAÇA E REENCARNAÇÃO

Toda vez em que se aborda o tema de reencarnação, os mais ferrenhos estudiosos dos Evangelhos, que se detêm na forma da mensagem antes que no seu conteúdo, opõem à necessidade do nascer de novo na carne, a que se referiu Jesus, a concessão da "graça", como mecanismo de salvação, em decorrência da divina misericórdia do Pai.

A salvação pela graça, sem dúvida, constitui uma dádiva arbitrária, que viola as leis do equilíbrio universal, a uns beneficiando, em detrimento de outros, em flagrante injustiça por parte do Soberano Criador. Igualmente, o conceito apresentado, em referência ao "sangue de Cristo" salvando as criaturas, deve ser entendido como a lição preciosa que o Mestre nos deu, demonstrando que, mesmo Ele, sendo puro, não se furtou ao holocausto da própria vida, num extremo ato de amor, a fim de que nos não evadamos à doação plena e total, quando chegado o momento do sacrifício pessoal.

Ensejar-se a um endividado revel a oportunidade de resgatar os débitos, constitui-lhe uma graça. Conceder-lhe, ao trânsfuga do dever o ensejo de reabilitação, torna-se para ele uma graça imerecida. Facultar-se, ao enfermo, recursos de renovação e saúde é-lhe uma graça auspiciosa.

Proporcionar-se, ao delinquente, o afastamento da sociedade, a reeducação e o retorno à comunidade, torna-se-lhe uma graça bendita. Agraciar-se, porém, o agressor esquecendo-lhe a vítima, é um ato de injustiça. Liberar-se o algoz, sem facultar o mesmo a quem lhe padeceu a perversidade, faz-se uma forma de estimular o crime.

O amor e a justiça cooperam em favor da reabilitação do devedor, que liberta a consciência da engrenagem do erro, encontrando a felicidade anelada. O amor verdadeiro não beneficia uns, olvidando outros. "Nenhuma das ovelhas que o Pai me confiou se perderá" - disse Jesus. Isto equivale a afirmar que todos se salvarão mediante as conquistas realizadas durante as sucessivas existências.

A reencarnação é a graça que o Pai concede aos que se comprazem no erro e na delinquência, a fim de desfrutarem a salvação, essa conquista que nos cumpre lograr a esforço próprio e com sacrifício pessoal.

A vida é unica, no seu processo de crescimento e perfeição, em que o berço e o túmulo representam portas de entrada e de saída para cada existência física. A carne nasce, morre e renasce inúmeras vezes, inclusive numa mesma existência corporal, mas a vida não cessa nunca.

Utiliza-te, portanto, da concessão feliz dos renascimentos físicos, a fim de cresceres em direção ao bem e à libertação de que o Mestre te acena, enquanto te aguarda, reabilitando-te dos erros cometidos, evitando incidir em outros e edificando-te no bem para o bem de todos.

VIAGEM DA REENCARNAÇÃO

Na abençoada jornada que encetas sob as bênçãos da reencarnação, utiliza-te de todas as ensanchas para o ministério do progresso espiritual, tua meta maior. Considera a vilegiatura carnal como sendo uma estrada quilometrada com objetivos definidos e meta bem caracterizada.

À semelhança de qualquer rota, o seu curso se desdobra por paisagens límpadas e encantadoras, a claro céu ensolarado, sob intempéries vigorosas e sobre solos assinalados por problemas que impossibilitam o acesso... Cada quilômetro vencido representa uma etapa anual de conquista laboriosa.

Da mesma forma que o viajante comum se preocupa para a excursão, precatando-se contra as prováveis dificuldades, armando-se de previdência para enfrentar os trâmites difíceis e as possíveis ocorrências, no movimento reencarnacionista, igualmente, faz-se indispensável que medidas acautelatórias, de natureza preventiva ou reparadora, sejam colocadas em pauta e examinadas.

Nem sempre o avanço se fará com rapidez ou facilidade. Aqui, é um caminho impérvio, onde os problemas se multiplicam impeditivos, podendo, sem embargo, a penates, ser contornado. Ali, estão penhascos ameaçadores, cujos declives exigem embreagens e freios regulados, mediante os quais se poderá vencer o perigo.

Além, se encontram pontes caídas sobre cursos d'água que, todavia, se farão transpostos, através de outros recursos. Há sempre desafios; entretanto sempre se dispõem de soluções para equacionamento dos óbices. Pelo caminho humano, em que o Espírito avança no rumo da Vida Maior, repontam, também, surpresas desagradáveis, incidentes e testes que medirão a capacidade de resistência quanto de discernimento de cada viajante...

Os problemas servem para avaliar as aquisições morais, enquanto facultam que as conquistas amealhadas sejam colocadas a prova. No curso da evolução, por onde o Espírito transita para o grande norte, aparecem, providenciais, túneis que facilitam o acesso às metas buscadas.

Ao invés da montanha desafiadora ou do abismo aparvalhante, a técnica, no mundo, consegue abreviar as distâncias abrindo passagens subterrâneas. Nelas, todavia, se defronta a questão das trevas, que são contornadas mediante os recursos das luzes artificiais ou das aberturas estratégicas, na direção da claridade...

O túnel moral, que intimida, mas facilita o processo da evolução, deve ser configurado como as provações, os graves momentos de dor, os testemunhos... O cristão decidido utiliza-se da prece - verdadeiro canal que traz do Alto as claridades indispensáveis para que se esbatam as sombras - perseverando no avanço.

Outras vezes pode acender também as luminescências da resignação e da coragem, que se assemelham à força elétrica, para vencer a escuridão aterradora... Não te olvides, jamais, que, por mais sombria se te apresenta a rota ou o túnel, por onde rumas, há claridade aguardando à frente, convidativa.

Não te avassalem os injustificáveis receios, nem te assomem os estresses alucinantes, não te facultes inquietações indesculpáveis... Enquanto se está na Terra nada há em definitivo, ninguém está em segurança total. A relatividade do corpo, os impositivos da evolução, os dados fornecidos pelo passado para a elaboração do programa presente e do futuro são os responsáveis pelas conjunturas de cada momento, e as surpresas são mapeamentos que reprogramam atividades e realizações para o futuro.

Ninguém se considere, em razão disso, vitorioso, enquanto no corpo... Quase sempre uma viagem exitosa, até certo ponto, pode interromper-se por tempo indeterminado, no último quilômetro. Vigia e trabalha. Ora e serve. Confia e sê fiel ao bem. Sofre e liberta-te da constrição do erro. Insiste e não desanimes.

Jesus, nosso Modelo Perfeito, somente ao concluir a Sua tarefa entre nós, do alto do madeiro em que jazia crucificado, se considerou vitorioso ao bradar: - "Pai, em tuas mãos entrego o meu Espírito".

Quando tudo estiver consumado, poderás considerar-te vitorioso na tua viagem da reencarnação, por haveres logrado alcançar a meta perseguida que é a libertação total e plena.

JOANNA DE ÂNGELIS - OFERENDA