PALINGÊNESE, A GRANDE LEI

Toda idéia, antes de pertencer à ciência pelas provas analíticas que ela exige, foi fruto da inspiração numa primeira etapa, da lógica e do raciocínio em uma segunda. Somente após experiências e provas é que a ciência dá o veredito, incluindo em seu terreno a hipótese sob a forma de lei. Consideremos, também, que a ciência moderna já aceita fenômenos aparentemente subjetivos, percebidos unicamente pelos seus efeitos, embora não podendo passar pela comprovação sensorial-analítica. Nos dias de hoje, podemos asseverar que o homem, pela pobreza de seus sentidos, recebe reduzidas informações do ambiente em que vive.

As páginas deste exórdio, conduzidas nas rotas da ciência, possuem, aqui e ali, conceitos novos, ainda não abordados pela biologia. São assuntos diretamente ligados ao mundo energético, impossíveis de percepção pelos sentidos comuns, no entanto, passíveis de serem perfeitamente compreendidos.

Alguns conceitos que abordaremos, concebidos intuitivamente, foram transformados e adaptados ao campo intelectivo, único modo possível de serem apresentados na exposição escrita. Existem, igualmente, conceitos outros formados através de leituras diversas, tornando-se impossível fazer detalhadas referências de suas respectivas fontes.

Apesar de a Palingênese ser objeto de acurados estudos filosóficos por parte da maioria das seitas e religiões, sob o nome de reencarnação, o nosso escopo não visa a defender esta ou aquela corrente, e sim procura integrar dentro da biologia, no seu devido lugar, o fenômeno palingenético.

Não desejamos que a biologia se curve perante certos fatos; por enquanto ela terá que calar, como o faz quando nos elevamos um pouco mais em face das últimas razões filosóficas. Sabemos, perfeitamente, que estamos escrevendo aos que "sentem a questão; o nosso ponto de vista - o fenômeno palingenético, capítulo ainda obscuro, visa a abrir novos horizontes em busca de hodiernas visões biológicas arrecadadas à filosofia. Todo aquele que vislumbra uma rota ou pensa que está caminhando em nova estrada, tem por obrigação comunicar os seus pensamentos à sociedade onde milita.

Pietro Ubaldi, conhecido através de suas obras filosóficas, traduz a Palingênese como "uma verdade biológica positiva, que hoje pertence já à ciência; é um fato objetivo independente das afirmações de qualquer escola ou religião." Ainda mais: "está em harmonia com as leis da natureza que conhecemos, como a indestrutibilidade da substância, pela qual, se as mudanças se operam só na forma, a personalidade humana poderá mudar, mas não ser destruída. Essa teoria é a ampliação no campo moral da lei de conservação de energia, estabelecida pelos físicos."

Consideramos a Palingênese, um processo normal, de lógica evidente e clareza meridiana. O processo palingenético em biologia, além de ser a melhor solução para os mais altos problemas da vida, é o mais completo de condições e praticamente apoiado pela ciência. Sem este conceito que abrange as idéias evolutivas de hoje, só nos resta o acaso que traduz o oposto agnóstico e penumbroso.

Jorge Andréa

..Capítulo I - A célula
..Capítulo II - Óvulo e espermatozóide
..Capítulo III - Glândula pineal ou epífise
..Capítulo IV - Substrato energético da glândula pineal
..Capítulo V - Palingênese.
..Capítulo VI - Os alicerces da palingênese