UM ESTUDO SOBRE A REENCARNAÇÃO

Fundamentalmente, é, a reencarnação, o mecanismo pelo qual a Lei Celeste age para aplicar a Justiça e a Misericórdia em sua plenitude.

Entretanto, para aceitá-la, não basta tão somente querer, sem estudá-la em sua essência e ação.

As perguntas:

- Quem somos?:

- De onde viemos?

- E para onde vamos?

encontram, irrefutavelmente, respostas nesta Lei que possibilita o progresso tanto material quanto moral da humanidade.

Neste livro, você encontrará um estudo concreto embora sintético, mas substancial da reencarnação.

Eis que, a literatura, de um modo geral, ganha mais uma importante contribuição no campo do estudo existencial que o leitor, com certeza, saberá valorizar e, sobretudo, compreender.

R.M.

1 - Hinduísmo

Reencarnação conceito milenar:

Bramanismo ou Hinduísmo é a religião mais antiga do planeta, sendo a primeira que compreendeu a evolução do princípio espiritual pelo renascimento.

As mais antigas escrituras sagradas dos hindus são os Vedas e destas a mais remota, de aproximadamente 10.000 a.C, o Rigveda.

Para os Hindus, a roda dos renascimentos chama-se Sansara que se encerraria com a plenitude da sabedoria.

2 - Ensinamento Budista

Os budistas também têm conhecimento da reencarnação.

As escrituras sagradas do budismo denominam-se tripitaka, que significa três cestos.

Apesar de existir há mais de 2.500 anos e das inúmeras ramificações sofridas, a grande maioria ainda preserva o ensinamento de Buda:

Aquele que chegou ao fim da corrente dos renascimentos, é dono da sabedoria, tendo realizado tudo quanto deve ser realizado.

3 - Islamismo

No islamismo, o livro sagrado Corão ou Alcorão também faz referências à reencarnação.

O Corão é subdividido em suras. Sura 2: 28

E estáveis mortos, e Ele vos trouxe de volta à vida. E Ele fará com que morrais e vos trará de volta à vida, e ao fim vos reunirá Nele próprio. Sura 25: (5-10-6)

E Ele mandou as chuvas lá de cima em quantidade apropriada, e traz de volta a vida para a terra morta, tal qual tu serás renascido.

4 - Judaísmo

Apesar da maioria dos judeus, como dos maometanos, não serem adeptos da reencarnação, é possível encontrar diversos trechos que se referem às vidas sucessivas no livro Zohar, do rabino Moisés de
Leon, bem como na Miscelânea Talmúdica de Hershon e outros.

Do Zohar, que seria a Cabala recompilada e publicada em 1280:

...Se não cumpriram essa condição durante uma vida devem começar outra, e uma terceira e assim por diante...

5 - Cristianismo

Inicialmente o cristianismo admitia o conceito de reencarnação.

Orígenes e outros teólogos defendiam a tese do nascer de novo conforme ensinara Jesus.

Este conhecimento foi combatido na Idade Média e considerado heresia a partir do II Concílio de Constantinopla em 553 d. C.

Renascer em outra classe social ou em outro povo, contrariava interesses de superioridade de determinados grupos dominantes.

6 - Inquisição Cristã

No sul da França originou-se do maniqueísmo uma poderosa seita, a dos cátaros ou albingenses, palavra que significa puros.

Desta região disseminou-se por diversos países europeus.

Os cátaros ou albingenses consideravam que o homem deveria retornar várias vezes ao mundo para a completa reconciliação com Deus, o criador.

Os albingenses existiram do século X até o século XIV, quando foram barbaramente mortos pela Inquisição Cristã.

7 - Jesus

Disse Jesus:

...O espírito assopra onde quer e tu ouves a sua voz, mas não sabes donde veio, nem para onde vai...

Significa que não se sabe o que foi, nem o que será o espírito.

Se não existisse reencarnação e o espírito fosse criado ao mesmo tempo que o corpo, nesta vida, saber-se-ia donde veio.

Como a alma preexiste, realmente não sabemos, quem fomos e donde viemos.

8 - Bíblia

Observemos a frase:

Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo.

São palavras do grande Mestre em João cap. III, versículo 3.

Mais adiante, no versículo 7, insiste: Não vos admireis de que vos diga é necessário nascer de novo.

Esta é uma das inúmeras passagens da Bíblia que faz referência ao renascimento o que equivale dizer: reencarnação.

9 - Alterações na Bíblia

Em simbologia a palavra água é o símbolo da matéria.

Quando Jesus referiu-se a renascer em água e espírito, significa renascer em corpo e espírito - Assim está escrito na tradução de Osterwald.

A referência foi tão incômoda, aos adversários da reencarnação, que geraram outras traduções.

. Sacy: Não renasce da água e do Santo espírito.

. Lamenais: Não renasce da água e do Espírito Santo. (daí, o renascer pelo batismo...)

10 - Os Apóstolos

E incontestável o conhecimento da reencarnação entre os apóstolos quando Jesus lhes pergunta:

Quem dizem os homens que eu sou?

E eles responderam: Uns, João Batista, outros Elias e outros Jeremias, ou um dos profetas. Marcos VIII, 27 e 28.

Apesar de Jesus não ser a reencarnação dos mesmos, fica clara a idéia do renascimento.

11 - A VOLTA DE ELIAS

Em Mateus XVII, 10 a 13 e Marcos IX, 11 a 13, lê-se: Por que dizem os escribas ser preciso volte antes o Elias?

Jesus respondeu:

E verdade que Elias há de vir...mas eu declaro que Elias já veio e eles não o conheceram.

Então entenderam os discípulos que fora de João Batista que ele falara...

Em Mateus XI 13 e 14, ...E se quereis bem compreender, ele mesmo é o Elias que havia de vir.

12 - Isaías

Em Isaías, Velho Testamento, capítulo XVI, versículo 10, encontramos: Aqueles do nosso povo, que fizestes morrer, viverão de novo.

Caso estivesse se referindo a vida espiritual teria dito:

- Vivem ainda ou estão vivos.

Viverão de novo, significa que embora não vivam materialmente agora, voltarão à vida física.

O verbo está no futuro aludindo a uma nova existência.

13 - LEI UNIVERSAL

Assim como encarnar significa nascer, reencarnar quer dizer nascer de novo ou renascer na carne.

A lei da reencarnação é universal, atinge todas as criaturas oportunizando-lhes a evolução infinita.

À medida que renascemos, adquirimos novas experiências as quais são armazenadas em nosso inconsciente ou seja, em nosso espírito.

Não há qualquer vivência que não seja útil ao nosso aprendizado.

14 - Ressurreição

Reencarnação não é ressurreição.

Ressurreição significaria voltar à vida o corpo já morto, o que é cientificamente absurdo.

As substâncias químicas que nos compõem, com a morte, são decompostas por bactérias do solo e depois absorvidas por inúmeros outros seres da natureza.

Elementos do indivíduo A, falecido há séculos, poderão estar, hoje, fazendo parte de diversos outros corpos humanos.

15 - Palingenesia

Palingenesia ou palingênese é outro vocábulo de significado idêntico ao de reencarnação.

Etimologicamente, provém do grego: palin = de novo e génesis = geração.

Isto é: novo nascimento. Portanto palingenesistas ou reencarnacionistas são todas as doutrinas filosóficas ou religiões que sabem ter o homem, não uma só vida, mas, uma pluralidade de existências.

16 - Pitágoras, do Egito à Grécia

O famoso matemático Pitágoras, autor do clássico teorema do triângulo retângulo, era também filósofo no Egito antigo, 5 séculos antes da era cristã.

Pitágoras trouxe às terras helênicas o conceito do renascimento ou transmigração das almas.

Seus seguidores difundiram a idéia das vidas múltiplas.

Assim, tanto os pitagoristas como os neopitagoristas divulgaram filosoficamente este conhecimento.

17 - Metempsicose

Há necessidade de que se faça a importante distinção entre reencarnação e metempsicose.

A divergência entre estes dois conceitos é fundamental para que possamos compreender o significado filosófico da reencarnação.

A metempsicose admite que o homem poderia renascer em animais, uma concepção distorcida, como aliás, alguns vêem pejorativamente a reencarnação.

18 - Experiência

Na visão reencarnacionista nada se perde; os efeitos de qualquer experiência vivida registram-se em nós mesmos e eclodem, também, em nós próprios, no momento adequado.

As consequências sempre se farão mostrar mais cedo ou mais tarde, ativadas ou atenuadas pelas influências ambientais.

Não há ato, pensamento ou sentimento que se perca, como não há experiência inútil.

19 - Semeadura e Colheita

A idéia de uma só vida não nos permitiria entender como alguém, que só age em harmonia, parece ser vítima do destino e sofre constantemente.

Na realidade, já está colhendo agora o aprendizado do seu passado turbulento.

Além de compreendermos as causas, temos ainda, o consolo de podermos edificar agora as bases sólidas da nossa futura construção de paz e harmonia.

A receita é simples: Amor e Trabalho.

20 - Progresso

Qualquer referência que se faça à reencarnação, seja qual for a fonte, há que conter, sempre, a idéia evolutiva.

A finalidade principal da lei do renascimento é o progresso e não o pagamento de dívidas passadas.

Os retornos do espírito ao mundo físico objetivam seu crescimento rumo à sabedoria e à felicidade.

Alcançaremos este destino pelo trabalho, estudo e amor.

Uma vida só seria insuficiente para tanta conquista.

21 - Evolução Infinita

Se evoluímos incessantemente, outra questão que urge com frequência é: qual o ponto máximo ou o término a evolução?

A evolução, que se faz através das vidas sucessivas, não tem um ponto final.

A evolução é infinita.

Se nos parece difícil compreender a inexistência do ponto final na evolução, basta usar um raciocínio matemático:

-Qual é o maior número que existe? Qual é o número ?

22 - Transformação

Uma das incompatibilidades que se procura antepor à teoria evolucionista é a crença em Deus e na alma.

Não negamos esta incompatibilidade, quando se tem ; apenas a visão de um Deus criacionista produzindo seres prontos e acabados, seres sem passado e sem futuro.

O estudo da reencarnação nos demonstra que temos um passado longínquo e um futuro infinito.

23 - HORIZONTES

O ateísmo e o materialismo são consequências inevitáveis da rejeição inteligente à crença em forças cegas e fatais que presidem os fatos da vida, sem qualquer critério de justiça e sabedoria.

Paralelamente, no entanto, há aqueles que não se dão ao trabalho de pensar e continuam maquinalmente presos a uma tradição religiosa que cumprem como um reflexo condicionado e superficial.

O estudo da reencarnação nos abre horizontes mais amplos.

24 - Evolucionismo

O conhecimento da reencarnação muda a concepção da vida.

Não admitimos o termo salvação, pois o mesmo está relacionado ao salvacionismo igrejista.

Na realidade aceitamos, ao invés disto, o evolucionismo.

A evolução na visão reencarnacionista não admite salvação para uns e condenação para outros.

- Nenhuma das ovelhas se perderá - Jesus.

25 - DESCONHECIMENTO

Se você se surpreende ao saber que há espíritos que desconhecem a reencarnação, faça um paralelo com a vida aqui na Terra.

Ao entrevistar pessoas em seu país, poderá encontrar quem não admita que a Terra gire em torno do Sol ou mesmo que o homem tenha pisado o solo lunar.

Há quem argumente que o Sol dá uma volta em torno da Terra do amanhecer até o anoitecer, etc..

O mesmo ocorre no mundo espiritual pois não nos tornamos sábios pela desencarnação.

26 - Responsabilidade

Se não existisse reencarnação, após a morte, a alma ou seria salva ou estaria condenada.

Para muitos religiosos, a salvação estaria disponível até o último suspiro da vida física.

Sempre haveria tempo de o pecador se arrepender e aceitar Jesus no último instante, passando a ser digno das recompensas eternas, independentemente dos seus erros anteriores.

A reencarnação nos exige uma postura de conscientização e não transferência de responsabilidades.

27 - Comunicações Mediúnicas

Como se explica que alguns espíritos afirmam não existir a reencarnação?

Há espíritos desde os mais ignorantes, por falta de experiência até os mais sábios.

Além disso, as comunicações mediúnicas sem os critérios recomendáveis pelos próprios espíritos superiores, podem sintonizar frequências menos elevadas, embora bem intencionadas, gerando informações imprecisas e até falsas.

28 - Personalidade

Não, você não foi Júlio César tampouco Napoleão Bonaparte.

E, no entanto, possível cogitar que ambos tenham sido o mesmo espírito em diferentes personagens no teatro da vida.

Dizem alguns espíritos orientadores que Einstein teria sido Demócrito, o pai da atomística.

Veríamos, deste modo, uma continuidade lógica de um trabalho, ou diferentes personalidades de uma individualidade em evolução.

29 - Justiça Divina

O homem moderno e inteligente vem gradativamente se afastando das religiões, à medida que passa a pensar mais profundamente sobre o assunto.


Não há como conciliar um Deus justo e sábio e uma única vida para cada criatura.

Por que para uns a deformidade e o sofrimento e para outros a beleza e a saúde?

Só o estudo das vidas sucessivas permite solucionar este problema e compreender cada caso.

30 - Credibilidade

Atualmente existem muitos pesquisadores sérios que utilizam a hipnose para investigar as vidas passadas.

Lamentavelmente, apesar de muitos cientistas, médicos e psicólogos, tratarem com a devida seriedade este assunto, são inúmeros os curiosos e charlatães que se envolvem nesta área.

Não se submeta a qualquer experimento sobre vidas pretéritas, quando não houver credibilidade reconhecida no investigador.

31 - UNIVERSIDADE DE JAIPUR

Dos cientistas que pesquisam recordações espontâneas de vidas passadas, o mais rigoroso é o Prof. Dr. Hamendras Nat Banerjee, da Universidade de Jaipur, província de Rajastan, na índia.

O motivo do seu excesso de cautela nas investigações deve-se ao preconceito ocidental com relação à ciência vinda da índia.

A auréola mística do país forçou Banerjee a tomar uma postura rigorosamente científica.

32 - Terapia Regressiva I

No Brasil, há alguns anos, fundou-se o INTVP, Instituto Nacional de Terapia de Vivências Passadas, entidade científico-cultural, sem vínculo religioso ou filosófico de qualquer espécie.

Através desta terapia, experiências traumáticas do passado recente ou remoto, isto é, desta ou de outras encarnações são trazidas à consciência e convenientemente tratadas.

33 - TERAPIA REGRESSIVA II

Nas sucessivas vidas, espírito e corpo interagem onstantemente.

Todas as experiências de vidas pregressas são azenadas nos porões do inconsciente ou seja, no espírito.

Desta maneira, observam-se nas terapias regressivas vivências passadas, que os traumas psicológicos atuais são sociados a danos físicos, ocorridos em vida anterior ou a sofrimentos psíquicos acontecidos até em épocas remotas.

34 - Memória Extracerebral

Há indivíduos que se recordam facilmente de suas vidas anteriores.

O fenômeno é denominado MEC, memória xtracerebral.

Trata-se de uma espécie de memória que não pode estar contida no cérebro, pois o mesmo só apresenta registros inerentes à atual reencarnação.

Na Universidade de Moscou, Vladimir Raikow foi um dos grandes pesquisadores da MEC ou paramemória.

35 - Os Artistas

Os grandes artistas, de um modo geral, possuem um psiquismo pleno de recordações das existências passadas.

O artista, normalmente, vive mais na esfera espiritual que propriamente no mundo objetivo terreno.

Assim como seus sentimentos e percepções costumam absorver o mundo fluídico-espiritual a sua volta, o mesmo ocorre com suas percepções absorvidas do inconsciente de vidas anteriores.

36 - Sabedoria Divina

Sem o mecanismo das vidas sucessivas, seria inconcebível a existência de um ser superior, perfeito, presidindo com amor e sabedoria as leis do universo.

Se considerássemos que a vida única é o nosso destino, teríamos de admitir que a Lei Universal seria facciosa, não correspondendo à suprema sabedoria e justiça como nós a concebemos.

37 - Falecimentos Precoces

Sem correlacionar a vida atual com as anteriores torna-se impossível aceitar a morte de crianças em tenra idade.

Há quem viva semanas, meses ou poucos anos enquanto outros vivem quase um século. Por quê?

A unicidade da vida ou a pluralidade das existências, qual das alternativas lhe parece mais racional para admitirmos que exista um Deus justo?

38 - Vôo Livre

A pluralidade das vidas do espírito é que dá a ele a condição necessária para sua educação e seu progresso.

Em função de seus próprios esforços e de seus embates na vida, é que o espírito consegue superar o seu estado de Ignorância primitiva e se eleva paulatinamente, alçando o vôo que o leva aos altiplanos da consciência superior.

39 - PSICOBIOFÍSICA

A psicobiofísica, que é uma ciência exercida por indivíduos não vinculados a qualquer religião, tem contribuído para o estudo das vidas múltiplas.

Através da pesquisa da função paranormal denominada retrocognição, sensitivos hipnotizados descrevem as vidas anteriores detalhadamente.

É possível estabelecer-se um volume substancioso de provas através deste método de estudo.

40 - Reencontros

Ao invés da via única e das penas eternas, a filosofia reencarnacionista oferece uma visão menos sombria informando que todos os que amam voltam a se reencontrar.

A pluralidade das existências nos enseja a certeza não só do reencontro com nossos afetos, mas a segurança de que a felicidade futura será o destino de todas as criaturas. Não há penas eternas.

Há a solidificação e ampliação dos laços de amor.

41 - PARAPSICOLOGIA

Os adeptos e estudiosos da reencarnação nada tem a temer com relação à parapsicologia.

Longe de ser uma adversária, esta ciência tem contribuído para comprovar a teoria das vidas múltiplas.

A pesquisa da função paranormal psigama, RCG, através dos fenômenos de retroação da memória fornece farto material de comprovação.

Muito temos a agradecer aos cientistas sérios e descompromissados que documentam a reencarnação.

42 - Afinal, quem somos?

Considerando a pluralidade das vidas: afinal, quem somos?

Somos um ser pensante que a cada vida arregimentou dados e vivenciou experiências completando as páginas de sua vida e escrevendo de próprio punho o livro de sua existência.

A cada capítulo, teremos novo aprendizado em escala crescente, rumo ao epílogo da conscientização plena e sabedoria infinita.

43 - Mundos habitados I

As reencarnações não se efetuam apenas no globo terrestre.

Conforme nos disse o mestre Jesus, Há muitas moradas na casa do meu pai.

Entendemos como casa do pai, não um céu de anjos alados ou beatos transitando nas fofas nuvens do além.

A casa do pai é o universo infinito e multidimensional.

Há, nas galáxias, uma pluralidade de mundos habitados.

44 - Mundos Habitados II

Os astros habitados no universo, conforme o padrão evolutivo dos espíritos que neles reencarnam, assim podem ser classificados:

Mundos primitivos, nos quais a noção de bem e mal é quase inexistente;

Mundos de provas e expiações, são aqueles que se assemelham, evolutivamente, ao nosso planeta; aonde o mal ainda domina;

Mundos de regeneração moral, onde o bem nitidamente predomina sobre o mal;

Mundos felizes, nos quais reencarnam apenas seres de luz.

45 - Aumento Populacional

Se são as mesmas pessoas que renascem, como explicar o aumento populacional?

A população de espíritos, ligada ao nosso planeta, é superior a 20 bilhões de almas que habitam o mundo astral.

Não há como deixar de compreender o aumento populacional se somos aproximadamente 6 bilhões de encarnados.

Há, também, migração de espíritos de outros astros e, sobretudo, a criação é eterna.

46 - Jesus e os Astros

Muitos espíritos que hoje admiramos, quando reencarnaram em nosso planeta já haviam percorrido um longo caminho, na estrada da evolução, em outros astros.

Conforme Emmanuel, Jesus já era um espírito evoluído quando os primeiros seres humanos estavam surgindo em nosso planeta.

Portanto o grande mestre, que é o ser mais evoluído da Terra, percorreu inúmeras vidas em outros astros do universo

47 - Júpiter e o Sol

Embora as informações espirituais sejam reduzidas a este respeito, sabemos que em nosso sistema solar há seres mais evoluídos que nós terráqueos.

Em Júpiter reencarnariam espíritos bem mais adiantados do que a média terrestre.

No entanto, o ápice da evolução em nosso sistema solar seria a estrela que nos fornece luz para a vida ser possível na Terra.

Estamos nos referindo ao Sol, que os egípcios antigos já reconheciam como luz espiritual.

48 - Migrações Planetárias I

Muitas são as razões que determinam as reencarnações de espíritos em outros planetas primitivos, mas resumiríamos no seguinte conceito:

Não haveria mais sintonia entre o padrão energético espiritual dos indivíduos e o padrão correspondente do astro em que vinham renascendo.

Em virtude de seu atraso, não encontrariam campo adequado de provas, afinado com suas características.

49 - Migrações Planetárias II

Há espíritos que reencarnam em mundos mais primitivos passando a ser verdadeiros missionários naquele meio rudimentar.

Lá, nos novos mundos, seriam também aquinhoados com novos e vigorosos estímulos educativos, tendo em vista as dificuldades encontradas.

Grupos de espíritos também podem ser enviados para renascer em astros mais atrasados, para evitar perturbarem a ordem social do astro onde, antes, viviam.

50 - Seres Primitivos

No ciclo de renascimento dos seres primitivos, suas periências não se perdem, ao contrário, ficam gravadas na essência espiritual dos mesmos.

Importante também, é lembrar que as influências do meio ambiente, na luta pela sobrevivência, tornam-se fatores de
estímulo à transformação e desenvolvimento do princípio espiritual.

51 - Egípcios I

Segundo Emmanuel, um exemplo de espíritos de outros astros que renasceram aqui na Terra foi a civilização egípcia primitiva.

Os egípcios assombraram o mundo com sua arquitetura, conhecimentos de matemática, astronomia, física e outros.

Conforme relatos mediúnicos, foram emigrantes de um planeta ligado a estrela Capela situada na constelação do Cocheiro.

Atrasados, em relação aos demais capelinos, aqui foram úteis ao nosso planeta.

52 - Egípcios II

Os egípcios primitivos, que migraram de um astro mais evoluído, reencarnando em um planeta inferior, sofreram um curioso trauma psicológico.

Seu inconsciente registrou a falsa idéia de que seria possível renascer em uma espécie inferior.

A sensação psicológica deste renascimento, como humanos terrestres, gerou a crença de que fosse possível renascer em espécies animais.

Surgiu, assim, a doutrina da metempsicose.

53 - A Primeira Encarnação

A primeira encarnação foi, para nós, hoje humanos, há incontáveis milhões de anos, quando as centelhas divinas mergulharam na dimensão física unindo-se às formas materiais mais simples.

O princípio espiritual passou o grande sono pelo reino mineral, sonhou nas organizações vegetais, agitou-se como animal para despertar na espécie humana como um espírito propriamente dito.

54 - Minerais - Vegetais - Animais

Considerando a existência de múltiplas vidas, não há seres privilegiados, ou criados pela Lei Universal já superiores aos outros.

A distância entre minerais, vegetais e animais é ilmplesmente consequência do maior ou menor caminho percorrido na estrada evolutiva do ser.

A sabedoria divina está onipresente e portanto se encontra no interior de todos os seres do universo. Isto faz com que todos os seres se aprimorem através do ciclo dos renascimentos.

55 - Instinto

Através das reencarnações, nós, seres vivos, adquirimos o instinto pela repetição dos mesmos atos.

Enquanto animais agíamos pelo instinto e pensávamos fragmentariamente.

Agora como humanos atuamos pelo pensamento e amamos fragmentariamente.

Nosso próximo passo será amarmos constantemente.

56 - Retrocesso Inadmissível

Os renascimentos dos seres vivos devem ocorrer dentro de uma mesma espécie e acompanhando, inclusive, a evolução das mesmas.

A própria presença do espírito ou princípio espiritual, na carne, e seus retornos sucessivos, arquivando experiências, seria o fator impulsionador da evolução das espécies.

A doutrina palingenésica, isto é, reencarnacionista, não admite o retrocesso do espírito.

57 - Espíritos Velhos

Há, em nosso planeta, espíritos que são recém-egressos das espécies pré-humanas enquanto outros já são espíritos luminares e nos cumes evolutivos da Terra.

Existem comunidades bárbaras, como há aquelas que Ele empenham no amparo ao próximo.

Portanto, sem dúvida, observam-se níveis diversos em função do maior tempo de existência como espírito humano.

As vidas sucessivas tendem a diminuir estas diferenças.

58 - Deus em Nós

A essência espiritual, mesmo nos seres primitivos, imitem em latência todas as possibilidades de desenvolvimento.

Se proveio de um ser perfeito, Deus, há de ser à sua fíliagem e semelhança, isto é, contém a potencialidade da perfeição.

Com os ciclos de renascimento, esta potencialidade passa a se manifestar cada vez mais intensamente.

Deus, não criaria seres que não pudessem chegar à plenitude.

59 - Etapas Superadas

Nossos instintos são sábios, não necessitam adestramento pois são etapas já apreendidas.

Instintos são reflexos automáticos de sobrevivência, adquiridos através das múltiplas vidas.

Tão logo um ato é assimilado, a economia da natureza o deixa fora da consciência.

A qualidade assimilada é transmitida ao inconsciente, arquivo mais profundo do psiquismo, tornando-o instinto.

60 - Escola

A analogia da escola adequa-se muito bem para expressar a finalidade básica da reencarnação.

Educação é a palavra chave.

Embora muitos possam encontrar sabor amargo nos trabalhos do mundo, ou mesmo pelo livre arbítrio tornarem sua encarnação uma penitenciária de regeneração, a Terra deve ser considerada como uma escola de fraternidade para o aperfeiçoamento dos espíritos reencarnados.

61 - Felicidade

Com relação à reencarnação, Deus não pune nem premia.

Deus é a Lei da Harmonia que preside a ordem das coisas.

Todo dano à harmonia, seja ambiental, ou de qualquer gênero, acarretará consequências que levam a sofrimentos o agente agressor, amadurecendo-o.

A visão das vidas múltiplas nos ensina que a felicidade ecorre de nossa capacidade de fazer o bem.

62 - Carma Grupai

Em função de nosso livre arbítrio exercido, também as vidas passadas, reencarnamos trazendo nossos créditos nossos débitos ou carma individual.

Além do carma individual ou egocarma, podemos estar ligados ao policarma ou grupocarma familiar, social e até l.mctário.

Assim como construímos nossa aura individual, que ptermina nossa programação em vidas futuras, o mesmo ocorre com famílias, ou grandes comunidades.

63 - PROVAS

É comum ouvirmos dizer que determinada situação é prova, conceituemos, então, reencarnação de prova ou de provação.

Tal como na escola, prova é simplesmente um teste para conferir se um determinado conhecimento ou conteúdo já está assimilado pelo indivíduo.

São situações mais ou menos difíceis que devemos enfrentar e superar, para galgarmos um novo degrau na escada do progresso.

Analogamente ao escolar que necessita passar de ano...

64 - Indiferença

Eis uma crítica muito comum:

A idéia da reencarnação estimularia a indiferença ao sofrimento do próximo, pois, sabe-se que seu sofrimento é merecido.

Ao contrário, tornamo-nos responsáveis em relação ao próximo.

A reencarnação nos permite compreender a origem dos sofrimentos e, desta forma, melhor atuar na resolução dos mesmos.

A caridade em todas as modalidades sinceras é a indispensável ferramenta com a qual esculpiremos o nosso futuro.

65 - Injustiça

Muitas pessoas nos questionam:

É injusto sofrermos por algo que fizemos em outras das e nem nos lembramos mais...

Conforme estudamos, a maior prova de sabedoria e bondade da Lei Cósmica Universal é o benefício do esquecimento.

Ser-nos-ia impossível conviver com aqueles que prejudicamos ou ainda, aqueles outros que nos fizeram sofrer Intensamente.

E' justo que tenhamos um pouco de paz e, assim, possamos superar as dificuldades.

66 - Expiação

Se fizemos mal a alguém, não é necessário que renasçamos com o mesmo problema para pagar uma dívida.

A reencarnação em um organismo defeituoso só se faz quando o indivíduo ainda não se modificou, ocorrendo, então, uma natural exteriorização física do seu real estado Intimo.

Estas encarnações visam a eliminar defeitos ou lesões no corpo espiritual oriundos de atitudes pretéritas.

O chamada expiação é um processo de cura e não de castigo.

67 - Conformismo

O fato de trazermos uma tendência cármica poderia nos induzir a um certo conformismo na vida?

Não. Como sabemos que o karma é dinâmico, somos impelidos ao trabalho e à reforma íntima constante.

Não se deve confundir compreensão com conformismo.

A idéia de que o carma é imutável só existe nas mentes estreitas e limitadas pelas muralhas rígidas da ignorância ou falta de informação.

68 - Livre Arbítrio

Sendo a vida atual consequência das anteriores, não teríamos livre arbítrio?

Ao contrário. Nosso destino não está traçado, mas tracejado. Há, apenas, uma tendência cármica.

O destino deverá ser, a cada minuto, alterado pelo nosso livre arbítrio. E, até, nossa obrigação mudá-lo para melhor.

Nossos pensamentos, sentimentos e atitudes são energias que modificam constantemente o destino. Não somos marionetes do nosso passado.

69 - Resgate coletivo I

A reencarnação de certas comunidades ou povos que trepudiaram sobre outras populações, podem constituir as chamadas provações coletivas.

Na provação coletiva observamos o renascimento dos participantes do mesmo crime coletivo em um local comum, para o resgate coletivo.

O mesmo padrão energético os atrai, magneticamente, pura uma situação semelhante a que criaram em vidas interiores.

70 - Resgate coletivo II

As provações coletivas não se constituem em processo simplesmente punitivo.

Lembramos, novamente, o aspecto educativo da reencarnação.

A Lei Universal Onipresente é automática.

Trata-se de ação e reação, o mesmo processo que ocorre individualmente também existe na dimensão coletiva.

Tudo aquilo que se semeia leva inexoravelmente a uma colheita obrigatória pelo automatismo das leis da natureza.

71 - Missionários

As coletividades humanas, sejam elas quais forem, não são abandonadas pelos espíritos de luz.

Reencarnam, em todas as comunidades, missionários que não precisarão dizer aquilo que já foi dito e já se encontra escrito; agem no setor da ciência, da filosofia, da literatura, da arte e sobretudo da ética.

Ao invés de desertos bíblicos onde se nutriam de gafanhotos selvagens, passam a conviver com o árido deserto das megalópolis entre homens ingratos ou indiferentes.

72 - Raças

Quando reencarnamos em outras raças ou etnias? Renascemos, normalmente, no meio onde nos vinculamos.

É preciso frisar, no entanto, que vínculos são, também, nossos atos que interferem significativamente na vida do próximo.

Assim, por exemplo, aquele que prejudicou uma comunidade étnica, poderá renascer na referida comunidade.

A finalidade nunca é punitiva, mas, visa ao aprendizado de valores que ainda não sabe reconhecer.

73 - Etnias

A reencarnação de um espírito, em comunidade étnica diferente da anterior, tem por finalidade desenvolver o respeito pelos seus irmãos, outrora por ele desprezados.

Desta maneira aprende a valorizar seus costumes, criar laços afetivos, perdoar desafetos, resgatar dívidas junto a suas vítimas, enfim todo um conjunto de relacionamento que determinará o crescimento individual e a recuperação do espírito perante a Lei Universal.

74 - Posição Social

A reencarnação em diferentes posições sociais visa a ampliar o patrimônio de experiências do ser.

Não existe relação entre nível social e evolução de Um espírito.

Há espíritos que reencarnam pobres, sendo sábios e bondosos, como há outros pobres que se comprazem vendo o próximo sofrer.

O mesmo se dá com os ricos.

As entidades superiores ensinam, de forma a não deixar dúvidas, que a evolução decorre exclusivamente da capacidade de amar e da sabedoria do ser.

75 - Altruísmo

Comunidades primitivas ou grupos étnicos em desenvolvimento podem receber espíritos superiores que não tenham qualquer dívida ou resgate com as mesmas.

As reencarnações, neste caso, são de missionários que por vocação altruística, pretendem impulsionar outros ao progresso.

É importante que se tenha em mente o livre arbítrio dos espíritos de luz para programarem suas encarnações, bem como os desafios que eles se propõem.

76 - Meio Adequado

Vivemos em um universo de ondas.

Conforme o nosso padrão energético, seremos atraídos a renascer no meio adequado ao nosso merecimento.

Interpretar isto como castigo seria uma idéia distorcida da lei do carma (Karma). A Lei é automática.

Tão absurdo como se jogássemos uma pedra para o alto, e, pela lei da gravidade, ao retomar sobre a nossa cabeça também considerássemos isso um castigo.

77 - Planos Espirituais

Antes de renascer, os espíritos vivem em planos espirituais.

A Lei Universal da Gravidade, que é lei divina, determina que a massa física do globo exerça atração sobre a matéria perispiritual que constitui o corpo astral dos espíritos.

Os mais limitados em aquisições evolutivas, portanto mais densos, agrupam-se em colônias espirituais mais próximas à superfície do planeta.

78 - Mudança de Personalidade

Se você se preocupa com a mudança de personalidade nas vidas futuras observe o quanto sua personalidade mudou nos últimos 10 ou 20 anos.

Não nos referimos ao envelhecimento físico, mas a maneira mais coerente e profunda de encarar a vida e observar ao seu derredor.

Normalmente somamos experiências que modificam nossa personalidade, adequando-nos ao melhor relacionamento com o meio ambiente e conosco mesmo.

O mesmo sucede nas reencarnações.

79 - REENCARNAÇÃO COMPULSÓRIA

Embora a lei do renascimento seja universal, há espíritos que reagem a esta determinação.

Aqueles relutantes, que temem renascer e se recusam a receber o preparo necessário, passam a sofrer um desgaste progressivo de suas unidades energéticas.

Em função disto, sentem um crescente torpor ou sonolência.

Algo como se definhassem impelindo-os compulsoriamente para o retorno à vida física.

80 - PERMANÊNCIA NO MUNDO ESPIRITUAL - Perm80 - anência no Mundo Espirital

Ao contrário dos espíritos superiores, os mais embrutecidos reencarnam mais rapidamente.

O pequeno intervalo entre suas vidas físicas decorre do rápido desgaste das unidades energéticas que compõem seu corpo astral.

Sua permanência no plano espiritual é curta, exceto pela interferência de entidades superiores obedecendo aos desígnios específicos para cada caso.

81 - SALVAÇÃO

Compreendendo que colheremos na próxima vida o que semeamos agora, colocamo-nos responsáveis pelo nosso destino.

A Salvação não virá de fora, isto é, por outrem, ao contrário, será consequência de uma consciência tranquila.

Auxiliando os outros estaremos semeando flores no jardim de nossa existência.

A doutrina reencarnacionista não só não nos torna frios e indiferentes ao próximo, como nos estimula a desenvolver o amor.

82 - Estímulo à Preguiça

A possibilidade de adiarmos compromissos para outra vida, não seria um estímulo a preguiça?

Não. A responsabilidade pelos nossos atos torna-se muito maior, já que não há uma idéia salvacionista, porém uma concepção de colheita obrigatória.

Conhecendo a realidade das múltiplas vidas sabemos nâo existir o milagre da salvação que nos levaria, preguiçosamente a um paraíso, independentemente de uma vida inútil e até perniciosa ao próximo.

83 - Determinismo e Livre Arbítrio

A teia do nosso destino não é exclusivamente determinista ou determinada, pelo nosso passado.

O livre arbítrio que possuímos tece, também, os finos fios desta teia a cada momento, num dinamismo sempre renovado.

Não somos, portanto, escravos do passado. Somos artífices do nosso destino com as ferramentas dos atos da vida presente.

84 - O Futuro a nós Pertence

À medida que tomamos conhecimento de não sermos meras marionetes do nosso passado, passamos a nos sentir mais responsáveis pelo nosso futuro.

Nossos atos e pensamentos edificam tijolo por tijolo nosso destino.

Nesta vida e nas próximas, passamos a compreender a beleza da existência ao saber que somos livres para semear, embora a colheita seja obrigatória.

85 - Paternidade e Maternidade

Paternidade e maternidade, frequentemente expressam vínculos de vidas anteriores.

O triângulo pai, mãe e filho resulta quase sempre de uma continuidade necessária para todos os envolvidos na mesma família.

O mesmo ocorre com irmãos e parentes próximos.

Nossas dívidas se fizeram, muitas vezes, dentro do mesmo grupo familiar no passado.

E' comum retornarmos ao mesmo meio, para o perdão mútuo.

86 - Proteção Espiritual

Uma vez tendo sido escolhidos os pais para o espírito reencarnante, inicia-se uma laboriosa assistência espiritual às pessoas envolvidas no renascimento.

O trabalho dos protetores espirituais necessita estender-se, além dos pais, a outros membros da família cuja interferência na gestação se fará de forma acentuada e, em alguns casos, poderá prejudicar a planificação superior.

87 - Laqueadura de Trompas

Métodos impeditivos à reencarnação não devem ser estimulados.

No entanto, são incompatíveis ao bom senso posturas inflexíveis e dogmáticas.

Ligaduras de trompas são válidas em situações onde uma nova gravidez determinará possibilidade concreta de óbito para a gestante.

Não são aceitáveis, entretanto, aquelas cirurgias feitas em massa ou por motivos apenas egoísticos.

Cada caso merece análise.

88 - Vasectomia

Laqueadura de trompas ou vasectomia são mutilações que podem, em certos casos, trazer repercussões futuras.

O corpo espiritual registra as alterações e, por automatismo, determina consequências nesta ou em outras encarnações.

No tocante aos graus de débito cármico, sabemos que a consequência, estará relacionada à intenção que move a pessoa.

Cumpre-nos lembrar que cada caso é estritamente pessoal.

89 - Anticoncepcionais

Anticoncepcionais deverão ser utilizados com critérios mais amplos, em casais que conhecem a realidade da reencarnação.

Da mesma forma como alguns missionários da ciência ou da filosofia optam pelo celibato, também é lícito que nós, seres mais limitados, também exerçamos o livre arbítrio nesta área.

Consultemos o travesseiro da consciência que a intuição brotará, qual fonte de água cristalina, mostrándo-nos se há amor ou egoísmo.

Assunto estritamente pessoal...

90 - Infertilidade

A ciência marcha céleremente para conquistas surpreendentes na área da reprodução.

A infertilidade além de impedir a reencarnação, nubla o horizonte da felicidade em alguns casais.

O plano espiritual, atento às experiências, encaminha para renascer nestas condições aqueles espíritos que se afinam com as circunstâncias.

Recomendável é que se medite sobre os limites éticos e morais de cada situação em especial.

91 - Esterilização

Aos casais que se tornaram estéreis por opção precipitada, recomenda-se o trabalho construtivo em benefício do próximo.

O mesmo poderá atenuar, parcialmente, a dívida da reencarnação adiada.

Na realidade, qualquer débito cármico é sanável pelo labor amoroso aos menos favorecidos.

Atividades na área específica da maternidade e infância carentes são remédios para a rearmonização das energias ligadas ao chakra genésico autolesado.

92 - Filhos Adotivos

Filhos adotivos, habitualmente, são espíritos com quem já convivemos em outras vidas.

O processo de adoção é acompanhado, em detalhes, pelos mentores da espiritualidade.

Desde a intuição para se adotar, passando por todos os trâmites hospitalares, familiares e outros, recebem intenso amparo da luz.

Apesar de reencarnarem em outro ambiente, não é o simples acaso que coloca uma criatura em um lar; são vínculos pretéritos.

93 - Aborto Indicado

Sabemos que a reencarnação se inicia no início da gravidez, e o aborto provocado é um atentado à vida do ser que está renascendo.

Como exceção a esta regra, os espíritos de luz nos advertem que, nos casos onde o risco de vida da mãe é iminente, torna-se válido efetuar o aborto.

No entanto é importante que salientemos: esta indicação não deve ser extrapolada para simples casos de gestações difíceis ou complicadas, que requerem ao invés de aborto, muito amor.

94 - O Abortado

Espíritos, que estavam em processo de reencarnação, o serem abortados apresentam reações bastante diversas conforme seu estado evolutivo.

Há aqueles que, apesar de sofrerem o reflexo das dores do aborto em seu corpo astral, perdoam a seus pais.

Quase todos lamentam a oportunidade perdida de progresso, rumo à sabedoria e à felicidade.

Há, no entanto, alguns que se desequilibram necessitando de longo tratamento espiritual.

95 - A Ciência do Espírito

Ao desconhecerem razões transcendentais que fazem alguém reencarnar neste ou naquele meio, nesta ou naquela situação orgânica, parece lógico evitar que um sofredor ou deficiente seja abortado.

É na realidade, uma visão parcial e distorcida dos fenômenos da vida integral.

Urge, pois, que semeemos o esclarecimento dado pela ciência do espírito, evitando sofrimentos de criaturas encarnadas e desencarnadas.

96 - Defeitos Congênitos

Abortos, mesmo quando se constata a existência de defeitos congênitos no feto, são contrários à Lei Cósmica Universal.

Há irmãos espirituais que necessitam renascer, por provas ou expiações, com dificuldades físicas ou mentais.

Ao se proceder ao aborto impede-se, temporariamente, o espírito de progredir mais rapidamente vencendo uma prova.

Além disso, os pais também costumam estar vinculados ao mesmo passado do seu filho.

97 - Medo de Reencarnar

Assim como nós, mesmo sabendo da continuidade da vida após a morte, às vezes tememos a partida para o mundo espiritual, o mesmo pode suceder em alguns espíritos, que estão reencarnando: fobia em relação a renascer.

Recusa persistente ou pavor de retornar ao mundo físico, ocasiona, em determinadas situações, rompimento das ligações energéticas do corpo espiritual do reencarnante com futura mãe e consequente aborto em fase inicial da gestação.

98 - Abortos Espontâneos

Há abortos espontâneos que não têm origem na recusa psíquica do espírito em renascer, tampouco são decorrentes de qualquer agressão mental da gestante.

Muitas vezes mãe e filho se reencontram para um reajuste perante as leis da natureza.

Ambos adquiriram desarmonias em seu chakra genésico ao atentarem contra a vida e o renascimento, em encarnações passadas.

Colhem hoje a semeadura de ontem e aprendem para o amanhã.

99 - Séculos na Espiritualidade

À medida que são galgados mais degraus na escala evolutiva, a consciência da vida espiritual cresce, bem como a possibilidade de maior tempo de permanência no plano extrafísico antes de renascer.

Um espírito de elevado nível pode levar milhares de anos para retornar ao planeta, caso assim opte.

Alguns, apenas por altruísmo, renascem como missionários da ciência, da filosofia ou da ética.

100 - Ministério da Reencarnação

Conforme o espírito compreende a necessidade de renascer, inicia-se todo um processo de acompanhamento e orientação especializada no evento.

Como existem aqui as maternidades, no mundo espiritual há equipes especializadas que acompanham aquele que parte rumo ao mundo físico.

Em determinadas colônias espirituais há estruturas extremamente categorizadas que se denominam Ministério(s) da Reencarnação.

101 - Evolução das Espécies

O princípio espiritual existe em todos os seres vivos e sobrevive após a morte dos mesmos.

A energia espiritual retorna, ou renasce, atraída pela energia vital dos seres vivos do mesmo nível, recém gerados ou gestados.

As aquisições obtidas nas idas e vindas tomam-se importantes fatores impulsionadores da transformação da própria espécie.

102 - Ciência e Oportunidade

Nem fecharmos os olhos ao progresso nem nos hipnotizarmos pelo brilho ofuscante da tecnologia, deve ser nossa postura em face aos novos avanços da ciência na área de reprodução humana.

Se é verdade que não devemos infringir a ética, bem como não colocar nossa vaidade acima de valores espirituais, há também, outro fator a ser considerado.

Há bilhões de desencarnados que necessitam renascer.

UM ESTUDO SOBRE A REENCARNAÇÃO

SEGUNDA PARTE