André e Bartolomeu

André foi um dos doze Apóstolos; era irmão de Pedro. A sua atitude, durante toda a vida de Jesus, foi de ouvir o Mestre, observar seus atos, estudar os seus preceitos, seguindo-O sempre por toda a parte.

A não ser certa vez que saiu com mais outro companheiro a pregar a Boa Nova ao mundo, segundo ordem que o Mestre deu aos doze, nenhuma outra ação aparece de André, enquanto Jesus se achava na Terra.

E com certeza dessa vez fez algo de verdade pela difusão do Cristianismo nascente, pois o Senhor, segundo diz Lucas, havendo reunido os doze, mandou-os, dois a dois, por todas as cidades, dando-lhes as seguintes instruções e poderes:

-"Tendes autoridade sobre os demônios (Espíritos maus) e para curar as doenças; pregai o Reino de Deus e fazei curas; nada leveis convosco, nem bordão, nem alforje, nem pão, nem dinheiro, nem deveis possuir duas túnicas.

Em qualquer casa em que entrardes nela ficai e dali partireis. Em qualquer cidade em que vos não receberem, saindo dela, sacudi o pó dos vossos pés em testemunho contra eles. Tendo eles partido, percorreram as aldeias, anunciando as boas novas e fazendo curas em toda a parte" (Lucas, cap. IX, v. v. 1-6).

Há uma tradição que André, após a difusão do Espírito, pregou em Patras, cidade da Grécia, e em Acaia.

De Bartolomeu, a seu turno, a notícia biográfica é resumida. Dizem ter ele nascido em Caná, na Galiléia, e haver depois pregado o Evangelho na Arábia, na Pérsia, na Etiópia e depois na Índia, donde regressou para a Liacônia, passando depois a outros países.

Seja como for, é interessante saber que estes, como os demais Apóstolos, limitavam a sua missão a pregar o Evangelho e às curas e recepção de instruções espirituais para o bom andamento da sua tarefa.

Nem cultos, nem ritos, nem exterioridades eram adotados pelo Cristianismo nascente.

Cairbar Schutel