Breve excursão de Paulo

Despedindo-se dos irmãos, Paulo navegou com Priscila e Áquila para a Síria, depois de haver mandado raspar a cabeça em Cencréia; pois tinha voto. E chegados a Éfeso, deixou-os ali; mas ele entrando na sinagoga, discutiu com os judeus. Rogando-lhe estes que ficasse mais tempo, não unuiu, mas despediu-se dizendo: Se Deus permitir, de novo voltarei a vós; e navegou de Éfeso e, chegando a Cesaréia, depois de subir a Jerusalém, e saudar a igreja, desceu a Antióquia. Havendo estado ali algum tempo, saiu, atravesssando sucessivamente a região Gálata e a Frigia, fortalecendo a todos os discípulos. - Cap. XVIII, v. v. 18 - 23.

Retirando-se de Corinto, Paulo deliberou fazer uma ligeira excursão, na qual limitou muito a sua ação, pois, naturalmente, queria observar a situação dos discípulos pelas diversas regiões por onde andou.

É bem possível que tivesse ele feito uma viagem de recreio para retemperar as forças, ao mesmo tempo que examinava o progresso que o Cristianismo ia fazendo.

Essas saídas são muito úteis para se alcançar novo vigor.

A mudança de ar, de panoramas, a troca de idéias que se vai fazendo durante a viagem, tudo concorre para um novo avanço no campo da propaganda.

É ao mesmo tempo, uma conquista de novas energias que vem refazer as que se perderam, a fim de se receber mais influxos do Espírito para a tarefa que se empreendeu.

O trabalho espiritual de Paulo, nessa excursão, se limitou a encorajar os discípulos, fortalecer-lhes na fé para o bom cumprimento do dever.

Cairbar Schutel