O Senhor aparece a Paulo

Na noite seguinte o Senhor, pondo-se ao lado dele disse:

Tem bom ânimo, pois assim como deste testemunho de Mim em Jerusalém, assim importa também que o dês em Roma. Cap. XXIII, v. 11.

Jesus Cristo estava em íntima relação com Paulo. Poderoso médium de todos os efeitos, o Apóstolo dos Gentios recebia diretamente as ordens de Jesus a quem via e ouvia.

Nos momentos difíceis o Mestre não abandonava o discípulo querido a quem tinha constituído "vaso de honra" para levar aos gentios as flores perfumadas do Cristianismo, árvore bendita que Ele havia plantado para sarar as nações e alimentar os povos que se abrigassem à sua sombra.

"Tende bom ânimo, disse Ele ao Apóstolo; já deste de Mim bom testemunho, assim importa que também o dês em Roma".

Esta frase não representa só uma mensagem auditiva vulgar, mas um aviso, uma previsão da partida de Paulo para Roma, ordem que, longe de sair do Sinédrio, vinha das alturas, dos conselhos divinos.

O grande embaixador do Céu, que já havia escalado o seu terceiro plano, e ouvira no Paraíso palavras indizíveis, de glória à Verdade, tinha que partir para levar também aos tribunais romanos a palavra de ordem recebida de Jesus.

E ele como nenhum outro soube levar até o fim a empresa que lhe havia sido concedida, nunca retendo a Palavra de Deus, nem a prendendo entre os seus lábios, assim como, em todos os seus discursos, glorificando o nome de Jesus Cristo.

No correr dos estudos que estamos fazendo, vemos bem saliente o esforço divino para que os homens se salvem e as ovelhas que desgarraram do aprisco voltem, para, bem guardadas e pastoreadas, encontrarem a liberdade de que ficaram privadas sob o domínio dos mercenários e vendilhões.

Cairbar Schutel