Paulo e Barnabé se dirigem aos gentios

No sábado seguinte reuniu-se quase a cidade toda para ouvir a palavra de Deus. Mas os judeus, vendo a multidão, encheram-se de inveja e, blasfemando, contradiziam o que Paulo falava. Paulo e Barnabé, falando ousadamente, disseram:

Era a vós que se devia falar primeiramente a palavra de Deus; mas visto que a rejeitais e vos julgais indignos da vida eterna, eis que nos viramos agora para os gentios. Porque assim no-lo ordenou o Senhor:

Eu te tenho posto para luz dos gentios.

A fim de que sejas para salvação até os confins da terra. Os gentios ouvindo isto regozijavam-se e glorificavam a palavra do Senhor, e creram todos os que estavam destinados para a vida eterna; e divulgava-se a palavra do Senhor por toda aquela região. Mas os judeus instigaram as mulheres devotas de alta posição e os principais da cidade, e excitaram uma perseguição contra Paulo e Barnabé, e expulsaram-nos do seu território. Mas havendo estes sacudido contra aqueles o pó de seus pés, foram a Icônio, e os discípulos estavam cheios de gozo e do Espírito Santo. Cap. XIII, v. v. 44 - 52.

O judaísmo se reproduz perfeitamente no Romanismo. É o mesmo espírito de ódio, de absolutismo, de privilégio, de superioridade.

Os judeus, sob a direção sacerdotal, como se depara na narração dos Atos, não suportavam a palavra apostólica e contradiziam-na sempre, mas faziam-no sem base, sem lógica, sem motivo plausível que justificasse suas condenações.

E como o povo aplaudisse e concorresse às pregações dos Apóstolos, eles instigaram, como fazem atualmente os sacerdotes romanos, as mulheres devotas de alta posição e os principais do povo, para perseguirem os discípulos de Jesus, expulsando-os do território.

Não há dúvida que, com armas tão infames, não podiam deixar de vencer aqueles em cujo coração só palpitava a humildade, o amor e a resignação.

Os Apóstolos retiraram-se, mas não se esqueceram de pôr em prática a recomendação do Mestre, sacudindo contra os inimigos do Bem o pó de seus pés.

Entretanto, os gentios, cuja religião não era outra que o Paganismo inciente e idólatra, receberam de braços abertos os novos pegureiros e abriram seus corações para as irradiações da Luz Celeste que lhes devia iluminar o caminho da Vida Eterna. E os gentios se regozijavam e glorificavam a palavra do Senhor, proferida por aqueles portadores da Redenção.

Enfim, partiram os Apóstolos para Icônio, e os que ficaram e se converteram alegravam-se no Senhor permanecendo na oração e no estudo para a conquista de maiores graças.

Cairbar Schutel