Pedro e João perante
o Sinédrio

No dia- seguinte reuniram-se em Jerusalém as autoridades, os anciãos, os escribas, Anaz que era o sumo sacerdote, Caifaz, João, Alexandre e todos os que eram da linhagem do sumo sacerdote; e pondo-os no meio deles, perguntavam:

Com que poder ou em que nome, fizestes vós isto? Então Pedro cheio do Espírito Santo, lhes disse: Autoridades do povo e anciãos, se nós hoje somos inquiridos sobre o benefício feito a um enfermo, como foi ele curado; seja notório a todos vós e a todo povo de Israel que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, a quem vós crucificastes, e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, neste Nome está este enfermo aqui são diante de vós. Ele é a pedra, desprezada por vós, edificadores, a qual foi posta como a pedra angular. E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu, não há outro nome dado entre os homens em que devamos ser salvos. - Atos, 4: 5 a 12.

O Sinédrio era, entre os judeus, o Supremo Conselho onde se decidiam os negócios do Estado e da religião. Pela narrativa acima, pode-se bem julgar a justiça daquele tempo, cuja maioria de membros pertencia à classe sacerdotal, cotados ainda dentre os maiores, como Anaz e Caifaz.

Imagine o internauta que atmosfera premente havia naquele meio, absolutamente hostil aos Apóstolos. Não era um conselho em que a Justiça teria a sua cadeira principal, mas sim um conselho bastardo, apaixonado, no qual predominava o ódio, o despeito e o desejo de vingança e de morte.

Mas o Espírito domina tudo. Contra o Espírito nada pode prevalecer; nem a opressão, nem o suborno, nem a malícia, nem a força, nem as potestades terrestres.

Movidos pelos Espíritos, Pedro, como outrora nas bandas de Cesaréia; e no Cenáculo de Jerusalém, pôs-se de pé, e em tom severo, sem vacilar, manejando a espada de dois gumes que é a palavra da Verdade e da Justiça, repetiu, com todo o ardor do seu coração, o que já havia dito em seu discurso no templo, acrescentando que o nome de Jesus está sobre todos, sobre tudo e foi em virtude desse Nome que o coxo, então presente, havia obtido o uso dos membros enfermos.

Cheios de intrepidez, sem temer a condenação e a morte, os dois Apóstolos aproveitaram a oportunidade para externarem entre os maiorais que constituíam o Conselho, os motivos da sua Fé, acrescentando corajosamente que abaixo do Céu não há outro Nome em que nos pudéssemos salvar, senão no de Jesus Cristo.

Cairbar Schutel