Prosseguimento da viagem Siracusa, Puteoli e Roma

No fim de três meses fizemo-nos ao mar em um navio de Alexandria, que havia invernado na ilha, o qual tinha por insígnia Castor e Polux. E tocando em Siracusa, ficamos aí três dias, donde bordejando, chegamos a Régio. No dia seguinte soprou o vento Sul e chegamos em dois dias a Puteoli; onde tendo achado alguns irmãos, estes nos rogaram que ficássemos com eles sete dias; e assim fomos a Roma. E tendo aí os irmãos sabido notícias nossas, vieram ao nosso encontro até a Praça de Ápio e as Três Vendas, e Paulo, quando os viu, deu graças a Deus e cobrou ânimo.

Quando chegamos a Roma, o centurião entregou os presos ao general dos exércitos; porém a Paulo se lhe permitiu mover sobre si à parte com o soldado que o guardava. Cap. XXVIII, v.v. 11-16.

Após uma estadia de três meses na Ilha de Malta, Paulo e seus companheiros tomaram um navio de Alexandria e, com o centurião e soldados, seguiram para Roma, onde desejava ser julgado, sob o juízo de César.

Passaram por Siracusa, onde ficaram três dias, depois aportaram em Régio e daí a dois dias a Puteoli.

Em Puteoli já existiam muitos crentes, que fizeram com que os apóstolos lá ficassem sete dias. Certamente nessa santa intimidade, onde se procura cultivar a fraternidade, muitas idéias foram trocadas acerca da Doutrina de Jesus e o necessário para torná-la conhecida.

Talvez por falta de tempo, Lucas deixou de fazer referências sobre o que, ocorreu em Puteoli.

Chegados a Roma, Paulo e seus companheiros foram recebidos por muitos apóstolos e cristãos que formavam em redor dele, enchendo-se de alegria, não só por abraçar seus irmãos em crença, mas também por haver concluído sua viagem que tinha por motivo principal obedecer às ordens de Jesus para a pregação da Palavra da Vida.

O centurião, certamente já de posse das novas idéias cristãs, foi de uma generosidade admirável para com o Apóstolo, permitindo-lhe a liberdade em aposento particular, embora em companhia do soldado que O guardava, que deveria ser, sem dúvida, já muito ligado ao Apóstolo pelos seus dotes de coração.

Não há quem não ceda às sugestões do bem. A bondade domina e apaixona aqueles que dela se aproximam.

Vamos ver no capítulo seguinte a estréia de Paulo em Roma.

Cairbar Schutel