Simão, Judas e Matias

Simão também foi um dos doze; era galileu, parece que nascido em Caná, onde Jesus, nas bodas, transformou a água em vinho. Lucas chama-o Zelote, o Zeloso, significação essa que, em grego, segundo observa Jerônimo nos seus comentários sobre Mateus, exprime a mesma idéia que "cananeu".

Nos Evangelhos não há outra referência a Simão. Sabe-se, por dedução, que Simão, após o Pentecostes, tomou parte no trabalho dos demais Apóstolos, indo, certamente, pregar o Evangelho em algum lugar.

O historiador grego Nicéforo diz que ele percorreu o Egito, a Cirenaica e a África; que anunciou a Boa Nova na Mauritânia e em toda a Líbia e depois nas ilhas Britânicas; que fez muitos milagres, isto é, que era dotado de faculdades psíquicas, com o auxílio das quais produzia curas e outros fenômenos, que apoiavam suas prédicas.

Judas, apelidado Tadeu, era filho de Tiago e nascido também na Galiléia.

É interessante que todos os discípulos, ou quase todos, eram galileus.

A Galiléia, antiga província da Palestina, tem por confronto, o Mediterrâneo e a Fenícia; de um lado o monte Líbano e o rio Leontes; de outro o Jordão e o lago Genesaré; a torrente de Keseu ao sul. Os seus montes eram o Carmelo, o Tabor, e Gelboe; as suas cidades principais são: Aco, Seforis, Nazaré, Caná, Betúlia, Cafarnaum. Compreende o território das tribos de Neftali, de Aser, de Zabulon e de Issachar.

A Galiléia foi o refúgio de muitas famílias que se conservaram fiéis à crença judaica. Antes disso era considerada uma terra de maldição pelos profetas. Primeiramente fazia parte do território das tribos revoltadas contra o herdeiro de Salomão; depois a invasão assíria despovoara o país e substituíra-se as populações deportadas para as margens do Eufrates. Acabada a dominação assíria, e devastada a Judéia, as antigas populações voltaram, misturando-se assim as raças e os cultos e dando à Galiléia uma espécie de liberdade de pensamento, estranha no Oriente.

Foi nesse ambiente livre que nasceu o Cristianismo, que viveram os Apóstolos, os mártires da nova Religião, onde nasceu Jesus, que aí viveu mais de trinta anos; foi nela que se estabeleceu o núcleo de cristãos que havia de trazer ao mundo a nova da Redenção e bater com o azorrague da Luz o mundo grego e romano. Quando Jesus nasceu, a Galiléia era o paraíso da Sítia e principalmente Nazaré era célebre pela sua beleza e seu clima.

Os galileus formaram uma seita antes de Jesus, que tinha por chefe Judas da Galiléia.

Quando o imperador impôs um censo a todos os seus vassalos, os galileus levantaram-se, porque achavam que era uma vergonha para os filhos de Israel pagar tributo a um príncipe estrangeiro.

Enfim, parece que os galileus foram os primeiros a se converterem à nova fé, aliando-se ao Mestre querido.

Judas Tadeu, diz Necéforo e Isidoro, após a difusão do Espírito, anunciou o Cristianismo aos povos da Líbia, aos da Pérsia e Armênia. Deixou uma epístola exortativa, que faz parte do Novo Testamento, em que convida seus discípulos a pelejarem pela fé e se armarem de obras boas que dêem sinal de purificação.

Matias foi o substituto de Judas Iscariote no Apostolado.

Nada sabemos nos primeiros tempos sobre Matias, senão que ele foi um dos setenta e dois discípulos que o Senhor designou e enviou, dois a dois, adiante de si a todas as cidades e lugares que pretendia visitar.

E muito interessante a credencial que o Mestre lhes deu para o cumprimento da tarefa que iam desempenhar. Vale a pena transcrever.

"Ide, eu vos envio como cordeiros no meio de lobos. Não leveis bolsa, nem alforje, nem sandálias; e a ninguém saudais pelo caminho. Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: Paz seja nesta casa. E se ali houver algum filho da paz, repousará sobre ele a vossa paz; e se não houver, ela tornará para vós. Permanecei naquela mesma casa, comendo e bebendo o que vos oferecerem, pois digno é o trabalhador do seu salário. Não vos mudeis de casa em casa. Em qualquer cidade em que entrardes, e vos receberem, comei o que vos oferecerem; curai os enfermos que nela houver e dizei: Está próximo a vós o Reino de Deus. Mas na cidade em que entrardes, e não vos receberem, saindo pelas ruas, dizei: Até o pó da vossa cidade que se nos pegou nos pés sacudimos contra vós. Todavia, sabei que está próximo o Reino de Deus".

E estes discípulos foram e grande sucesso obtiveram, excedendo muito à sua expectativa. Pois, quando voltaram a dar conta ao Senhor, do resultado da incumbência que lhes fora confiada, cheios de alegria, Lhe disseram: "Senhor, até os espíritos malignos se submeteram a nós em Teu nome". Ao que Jesus respondeu: "Eu via a Satanás cair do céu como relâmpago. Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada de modo algum vos fará mal. Mas não vos regozijeis em que os espíritos se vos submetem, antes regozijai-vos em que os vossos nomes estão escritos nos Céus".

Esta última revelação de Jesus parece confirmar que os missionários da sua Doutrina não se fazem aqui na Terra; já vêm feitos do Mundo Espiritual; têm os seus nomes escritos "no Céu", como pegureiros da Verdade, que vêm libertar o homem das trevas e da ignorância.

Matias foi, portanto, um dos setenta e dois e daqueles que não se escandalizaram depois, mas sempre seguiu o Mestre.

Uma tradição, confirmada entre os gregos, refere que, após o Pentecostes, ele pregou o Evangelho na Capadócia e para lado do Ponto Euxino.

Cairbar Schutel