A CIRCUNCISÃO

"Porque a circuncisão é, na verdade, proveitosa, se tu guardares a lei;
mas, se tu és transgressor da lei, a tua circuncisão se torna incircuncisão." Paulo, (Romanos, 2:25)

A circuncisão, prática judaica feita em todo menino, oito dias após o nascimento, era uma determinação da Lei Mosaica, rigorosamente observada pelos judeus, como preceito religioso.

Paulo, neste versículo, deu uma lição aos judeus intransigentes, dizendo que a circuncisão não teria nenhum valor religioso, se o circunciso não guardasse a lei de Deus.

Paulo muito discutiu com os outros Apóstolos, que queriam que todos os gentios convertidos ao Evangelho devessem ser circuncidados.

Paulo ganhou a questão, libertando os cristãos dessa imposição inútil, do ponto de vista espiritual.

O que vale, perante Deus, não são os atos religiosos exteriores, de cuja prática os judeus usavam e abusavam, mas sim o esforço do indivíduo para viver dentro das leis, cujos ensinamentos estão bem claros no Evangelho de Amor, que Jesus nos veio trazer.

O Espiritismo, entre outras, tem o atributo de Doutrina de Libertação, porque realmente nos liberta de todas as exterioridades religiosas, por serem expressões secundárias e inúteis.

Por esta razão, o Espírita procura seguir os ensinamentos de Jesus, que é "adorar a Deus em Espírito e Verdade".

Luiz R. da Cruz