COMO ME CONTENTAREI

"Não digo isto por causa da necessidade: pois eu da minha parte tenho aprendido
a contentar-me com as circunstâncias em que me acho." - (Filipenses, 4:11)

- Como me contentarei com as circunstâncias em que me acho se elas sâo, unicamente, de dificuldades inúmeras, trabalhos incessantes e ansiedade contínua pelo que julgo belo e bom?

- Se o cenário da vida em que foste colocado, presentemente, não te oferece clima para a aleqria sã e verdadeira, procura ao menos revestir-te na capa da conformação e descobrirás um pouco de paz.

Se a experiência em que estás sendo agora provado, não se enquadra nos padrões que o teu espírito classifica como ideais, procura adquirir um pouco mais de conhecimentos edificantes e descobrirás encantos desconhecidos no hoje que vives.

Se o teu coração bate, ansiosamente, pelo que não podes ver, não podes possuir ou não podes sentir, educa-o nas lições do trabalho pelo Bem e para o Bem e verás todo o esplendor, toda a paz, toda a alegria que o Senhor nos oferece em cada vida, em cada lugar e em todas as circunstâncias, por piores que elas se afigurem perante nossa ignorância humana.

Cativo que sejas no cárcere da enfermidade física, conforma-te valorosamente e alça vôo com as asas do espírito pelos reinos da cultura, da arte, das vibrações mentais de amor e carinho, porque, talvez, a saúde perfeita que hoje deploras não possuir, tenha sido o talento que utilizaste, outrora, no mal e no crime.

Pobre que sejas de bens materiais, contenta-te com o tesouro de nova oportunidade de vida, qualquer que ela seja e enriquece-te de experiência no trabalho árduo, na dificuldade, na singeleza de viver, para fortaleceres teu espírito nas lições básicas do Bem a fim de que o ouro e a prata que vieres a ter nas mãos, um dia, não sejam empregados no Mal.

Faminto que sejas de afetos e carinhos de espíritos ligados ao teu, contenta-te com a posição de alma solitária em meio da multidão, transformando teus anseios em flores de trabalho e amor em benefício de todos porque, talvez, hooje, a posição de soberania num lar fizesse renascer em teu espírito frágil, as ervas daninhas do ciúme e do egoísmo, capazes de envenenar tantas vidas.

Contenta-te, aproveitando todos os recursos que o caminho te oferece e estarás plantando as sementes de júbilo e alegria que florescerão na Eternidade.

Ottília (Espírito)