COMO NÃO ANDAREI CUIDADOSO

"Não andeis cuidadosos de coisa alguma, antes em tudo sejam conhecidos
os vossos pedidos diante de Deus, pela oração e pela súplica com ações
de graça." - (Filipenses, 4:6)

- Se aprendo que tudo de nós depende; que toda a alegria, toda a tristeza, toda a força, toda a fraqueza, todas as derrotas e todas as vitórias têm sua gênese dentro de nós, como não andarei cuidadoso pelo que faço e pelo que sinto, sabendo que em cada dia do presente, preparo um dia para o meu futuro?

- Inegável a afirmativa de que somos construtores de nossa própria vida, pedreiros da escada de nossa elevação espiritual ou cavadores do abismo de nossa degradação na ignorância ou no crime.

Irrefutável o conceito de que a obra-prima saída do cinzel do escultor, do pincel do artista ou da pena do músico foi, um dia, apenas visão, sonho ou inspiração.

Entretanto, cumpre lembrar que:

- tanto o escultor condicionou seus golpes delicados aos cálculos de ângulos e retas previamente delineados;

- tanto o pintor subordinou a elaboração de suas tintas às leis da química;

- tanto o músico restringiu os vôos de sua imaginação às regras da harmonia, do contraponto e às sete pequeninas notas,

- quanto a tua elevação espiritual ou a tua queda aos abismos do remorso pela oportunidade perdida ou malbaratada, condicionam-se às leis de liberdade de consciência, de livre arbítrio, de obediência ou não às sugestões divinas.

Assim pois,

- se aprendestes a buscar no trabalho de cada dia, a melhor diretriz e melhor estímulo para bem viver;

- se aprendestes a entregar a Jesus a solução dos problemas cuja significação foge ao âmbito de tua compreensão humana;

- se aprendestes a pedir, na oração da manhã, a inspiração superior para o dia que se inicia e a render graças na meditação da noite,

- não andes cuidadoso de coisa alguma, porque o Senhor tudo provê e prevê para aqueles que aprenderam a buscar-Lhe a companhia em todas as circunstâncias da vida.

Ottília (Espírito)