COMO NÃO ME ENGANAREI

"Ninguém se engane a si mesmo." - (I Coríntios, 3: 18)

- Em que estarei eu enganando a mim mesmo e como o evitarei?

- Certo é que as condições de restrição temporária da visibilidade espiritual do homem encarnado, nos impedem contemplar, em toda a extensão, os horizontes belíssimos da Verdade.

Forçoso reconhecer que a vida humana guarda para nossos espíritos o privilégio do esquecimennto para que o aprendizado se torne proveitoso.

Inegável a afirmativa de que o viajor embrenhado na floresta espessa das lutas terrenas é compelido a usar seu livre arbítrio quanto à escolha do trilho a seguir.

E assim sendo,

- a imagem que cremos real, pode ser apenas miragem;

- a riqueza do conhecimento dos fatos do pretérito que ansiamos tanto por entesourar, pode nos tornar mais pobres;

- e o caminho pelo qual deliberamos seguir, pode não ser o que realmente nos conduza aos campos floridos da paz e do trabalho feliz.

Em tudo isto pode estar o teu engano e

- se ele se tornou inevitável pode, hoje, amanhã e sempre, transformá-lo em oportunidade bendita que te ensinará uma lição a mais.

Procura pois, analisar-te dentro das pautas dos preceitos evangélicos e evita enganar a ti mesmo, em perpetuando ilusões nefastas, as quais te afastarão, cada vez mais, da hora de te avaliares sob a luz da Verdade, cuja claridade por mais que doa, é a única capaz de proporcionar júbilo eterno.

Ottília (Espírito)