DISSE O SENHOR AO MEU SENHOR

"O Pai que está em mim, é que faz as obras." (João, 14:10)

Numa discussão com os Fariseus, Jesus Cristo indagou: "De quem é filho o Cristo?" E a resposta veio peremptória: "De Davi!"

Então, disse o Mestre; "Como é que Davi, em Espírito lhe chama Senhor, dizendo: Disse o Senhor (Deus) ao meu Senhor (Jesus): Assenta-te à minha direita até que eu ponha os teus inimigos como estrado de teus pés. Se Davi, pois, o chama Senhor, como é ele seu filho?" (Mateus, 22:41-45)

Eis aqui mais uma robusta prova de não ser Jesus uma parte trina de Deus como o apregoam as teologias.

Em Nenhuma parte do Antigo ou Novo Testamento se encontra qualquer referência ou ensinamento que conduza à aceitação de ser Jesus uma das partes de Deus trino, uma vez que Deus é uno e indivisível. Sobejam nos Evangelhos as afirmações do Mestre de ser Filho de Deus, e de estar a Ele submisso, como criatura e como Filho. Se existem citações nas quais Ele diz: "Quem vê a mim Vê ao Pai" (João, 14:9), é isso meramente uma indicação de ser Ele um enviado de Deus, compromissado com o Criador no sentido de revelar uma Doutrina, que Ele próprio sustenta ter aprendido do Pai. Por reiteradas vezes, o Mestre afirmou que veio à Terra para cumprir ordenações recebidas do Pai Celestial.

Jesus é Filho de Deus, por Ele criado e a quem foi atribuída a gigantesca tarefa de presidir a criação e dirigir os elevados destinos do nosso mundo. Por isso, diz Ele: "Antes do mundo ser eu já era."

Os antigos Judeus davam muito apreço à linhagem de onde procediam, principalmente quando eram descendência de um grande profeta, de um patriarca ou de um guerreiro indômito.

Nos primórdios de sua organização política, os hebreus formavam doze tribos, cada uma delas tendo como titular um dos doze filhos do patriarca Jacó: Ruben, Simeão, Levi, Judá. Dan, Nefhtali, Gad, Aser, Issacar, Zebulon, José e Benjamim. Durante muito tempo, os Judeus se classificavam como descendentes de tal ou qual tribo. Eles não tinham um governo central, porém reuniam-se em caso de perigo, sendo então, presididos por um único chefe: o Juiz. Os juízes de que a Bíblia fala foram: Gadeão, Jefté, Sansão e Samuel (1300-1100 a.c.). No undécimo século, antes do advento de Jesus Cristo, os israelitas, apesar dos conselhos de Samuel, resolveram implantar o regime monárquico, elevando ao trono o rei Saul.

Os pais de Jesus procediam da linhagem de Davi, porque haviam nascido em Belém de Judá, mas residiam em Nazaré na Galiléia. Quando o imperador romano decretou a realização de um censo, eles tiveram que se alistar em Belém de Judá, por isso, foram obrigados a fazer longa caminhada.

Havia uma profecia de Miquéias (5:2) que dizia: "E tu Bethlehem, terra de Judá, de modo nenhum és a menor entre as capitais de Judá, porque de ti sairá o Guia que há de apascentar o meu povo de Israel." (Mateus, 2:6). Quando Maria chegou a Belém, aconteceu o nascimento de Jesus; por isso, e pelo fato de ser Belém a mesma cidade onde havia nascido Davi, o Mestre passou a ser chamado, mais tarde, de Filho de Davi, o que segundo Mateus (22:41-45). Ele confrontou quando disse que era superior, hierarquicamnte, a Davi e, portanto, não poderia ser seu Filho.

No entanto, muitos enfermos, quando imprecavam a proteção de Jesus, clamavam: "Tende piedade de nós, Jesus, filho de Davi"

A perseguição movida por Herodes contra Jesus também foi motivada por essa profecia de Miquéias, pois, indagando de onde viria o Cristo, todos disseram: de Belém de Judá, o que o incitou a persegui-lo com o fito de mata-lo, só não concretizando o seu vil intento, em virtude de o pai do menino ter sido advertido, em sonho, para fugir em direção ao Egito, onde o abrigou juntamente com a sua mãe, somente dali regressando, após a morte de Herodes, o Grande.

Entretanto, Jesus também foi, por muitos, chamado Nazareno, pelo fato de ter residido muitos anos em Nazaré, na Galiléia.

Os Judeus também apreciavam ser chamados Filhos de Abraão, o mais antigo dos patriarcas hebreus. Além disso, João Batista, a fim de demonstrar a precariedade dessa arrogante presunção dos Judeus, quando foi procurado por um grupo de Fariseus e Saduceus às margens do rio Jordão, proclamou: "E não presumias de vós mesmos, dizendo: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que mesmo destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão." (Mateus,3:9).

Paulo A. Godoy