CASAS ESPIRITUAIS

Quando se fala, entre Espíritas, da passagem para o plano espiritual, é comum as pessoas emitirem o desejo de ir para o "Nosso Lar", entretanto, segundo as descrições de André Luiz, ele fica sobre a zona norte do Rio de Janeiro e tem capacidade limitada.

Aí, vem a pergunta: Só o Rio de Janeiro possui um refúgio no espaço?

Partindo desse princípio, o Comandante Armond começou, em 1956, a fazer pesquisas com os médiuns, para verificar o que haveria em São Paulo; usando o seu método disciplinar, obteve o conhecimento de que em cada camada da Crosta são construídos, pelos Espíritos, arquitetos especializados, os mais diversos abrigos para o socorro espiritual.

Assim é que acima da Federação Espírita do Estado de São Paulo, no Espaço, encontram-se albergues para Entidades que, pela dificuldade de ouvir os Benfeitores altamente qualificados, precisam de um contato mais profundo com os encarnados, até que adquiram a capacidade de sintonizar com a Espiritualidade Maior.

De fato, esses albergues são como hospitais-escolas, onde são recolhidos os Espíritos de bons sentimentos, que, desconhecendo as Leis da Reencarnação e ainda ausentes do conhecimento religioso, são trazidos às salas de aula da Federação ou das Casas Espíritas credenciadas, a fim de adquirirem o discernimento necessário à própria evolução.

Em seguida, estão as Casas Transitórias espalhadas sobre a Crosta; essas Casas mantêm contatos permanentes entre si e se movimentam de acordo com a necessidade local. Elas se encontram em constante movimentação, recolhendo doentes e ensinando os que se recuperaram a ajudar aqueles que estão chegando cheios de dores, mágoas e aflições.

O Instituto de Confraternização, em São Paulo, está na mesma dimensão que a Colônia "Nosso Lar", situada sobre a zona norte do Estado do Rio de Janeiro.

O Instituto é um edifício de cinco andares e se encontra no meio de um grande jardim.

Para chegar a esse jardim há uma escada de 12 degraus; porém em frente do prédio há apenas um degrau que conduz a um imenso portal, que se encontra sempre aberto, levando a um grande salão, com uma porta de cada lado; e, à frente, vê-se uma outra porta que fica embaixo de um patamar, onde se chega por duas escadas laterais.

Nessa viagem que fazíamos pela Espiritualidade Maior, fomos convidados a nos recolhermos, em tranquilidade, para que pudéssemos penetrar a porta do meio, o que nos causou enorme deslumbramento; entramos num salão redondo, cercado de vitrais, por onde a luz, penetrando, formava um arco-íris luminoso, fazendo com que, quase inconscientemente, os joelhos se dobrassem reverentemente; ali ficava a Sala de Oração, e as vibrações emanadas do ambiente nos faziam sentir toda a nossa pobreza diante da Misericórdia Divina.

Depois de nos libertarmos dos nossos pontos de vista "terrenos", fomos novamente convidados a conhecer o Salão da Direita, e, qual não foi a nossa surpresa, ao nos defrontarmos com um enorme fichário, onde milhões de fichas se encontravam destacadas por cores diversas.

Perguntamos o que, ou melhor, de quem eram aquelas fichas, e os Espíritos Maiores nos disseram que todos aqueles que, através das Escolas de Aprendizes, ou de uma reforma intima, se tornaram discípulos de Jesus estavam ali fichados, para que fossem acompanhados no seu desenvolvimento terreno.

Com essa explicação soubemos que todos os anos os Benfeitores responsáveis descem à Terra, para analisar tudo o que fazemos e o que fizemos; eles vêm munidos de um pequeno aparelho filmador; verificam e filmam, através do nosso pensamento, a capacidade que tivemos de servir e de amar.

Essa película adquirida vai juntar-se à ficha guardada no Salão da Direita, no Plano Maior.

À proporção que o trabalhador terreno se aprimora, sua ficha vai ganhando colorido mais luminoso.

No Salão da Esquerda reúnem-se os responsáveis pelo desenvolvimento das comunicações.

Em um painel, vêem-se diversos aparelhos eletrônicos; quando um desses instrumentos recebe um pedido de socorro, imediatamente é acionado um outro aparelho, para localizar a Casa Cristã ou o servidor mais próximo; designa-se, então, o Mensageiro especializado no tipo de tratamento pedido,

Se for o caso de doença, o Mensageiro procura ligar-se no primeiro andar com o Grupo do Irmão Pasteur; sendo problema obsessivo liga-se, ainda, no primeiro andar, com as legiões de Itaporã e Brogotá, que, por sua vez, verificada a profundidade do mal, ligam-se ao segundo andar, onde estão localizados os Espíritos que pertencem à Fraternidade do Cálice, especialistas em resolver essas situações.

No segundo andar, também, se encontram os Irmãos do Deserto, e, nos andares subsequentes, encontram-se representantes de todas as Fraternidades. Porém, no quinto andar, está a Equipe que, supervisionando todas as situações, prevê quando é preciso um amparo maior.

Por isto, nos últimos das do mês de setembro de 1992, observamos que toda a Fraternidade dos Cruzados se espalhou pelo Brasil, para que os acontecimentos inerentes ao bem estar da nossa Pátria decorressem com o máximo de ordem, de tranquilidade.

Martha G. Thomaz