INDEPENDÊNCIA ESPÍRITA

O espírita, em verdade, pode e deve:

- Estimular as boas obras, mas saber com que meios;

- Ler de tudo, mas saber para que;

- Andar em qualquer parte, mas saber para onde;

- cooperar no bem de todos, mas saber com quem convive;

- prosperar, mas saber de que modo;

- guardar a fé, mas saber porquê;

- agir quanto deseje, mas saber o que faz;

- falar o que queira, mas saber o que diz;

- lutar corajosamente, mas saber com que fim;

- elevar-se, mas saber como.

O Espírita pensa livremente, mas precisa discernir.

Albino Teixeira