O LIVRE-ARBÍTRIO

O livre-arbítrio é a liberdade que cada um de nós tem de fazer ou não uma coisa qualquer.

O livre-arbítrio nos torna plenamente responsáveis por todos os nossos atos.

Deus nos concedeu o livre-arbítrio para que nós mesmos construíssemos o nosso destino.

Depende unicamente de nós seguir o caminho do bem que nos fará felizes ou o do mal que nos conduzirá ao sofrimento.

Pertence-nos o mérito de nossas boas ações e a culpa de nossos males.

Cada ato praticado é seguido de uma consequência.

Um ato bom traz boas consequências. Um ato mau traz más consequências.

Podemos praticar o mal mas temos que aguentar as consequências.

Já sabemos quais são as consequências do mal; é uma reencarnação dolorosa.

Todos os que sofrem é porque não usaram o seu livre-arbítrio para a prática do bem.

Nós temos a inteligência suficiente para distinguir o que é bom do que é ruim e saber aceitar o que é útil e repelir o que não presta.

A nossa consciência guia a nossa inteligência e nos mostra o que devemos e o que não devemos fazer.

É ouvindo a consciência que usaremos com acerto o livre-arbítrio.

Para que possamos ouvir a consciência é preciso pensar antes de fazer ou dizer alguma coisa.

Antes de tomar uma decisão devemos estudá-la com cuidado para verificar quais serão as consequências.

Somente depois que tivermos a certeza de que as consequências do que vamos fazer ou dizer são boas é que poderemos executar o que pretendemos.

Outra coisa que devemos evitar é agir sem refletir.

Em qualquer circunstância é preciso conservar a calma. Pensar primeiro, agir depois.

Eliseu Rigonatti