ADMINISTRANDO A VIDA

Os pensamentos dos perversos são tramas dolorosas contra a lei da fraternidade.

Os dos que abraçam o bem são exaltação do amor.

As palavras dos impiedosos são ciladas.

É possível, no entanto, confiar no que dizem os que vivenciam o amor pelo próximo, porque neles está o ato que redime e salva, abrindo-se para uma vida maior.

Os maldosos não sobreviverão ao mal.

O coração de quem busca o Evangelho, porém, permanecerá sempre firme, crescendo em sentimentos mais puros após a borrasca.

Avalia-se o homem pelos seus atos.

Os de coração duro, por isso, não permanecerão na admiração de seu próximo, porque deles procede a dor e o sofrimento para si e para todos.

Os que vivenciam o bem jamais serão esquecidos.

Agasalha-se um homem humilde, sem temores.

Teme-se, contudo, o falaz e jactancioso, porque a vida dele não reproduz o que seus lábios anunciam.

As futilidades são preferências dos insensato.

O homem ajustado aos desígnios divinos, contudo, é aquele que multiplica seus próprios talentos, abastecendo-se do que lhe saciará as necessidades de vida.

O imprudente cobiça a vitória do perverso.

Aquele, todavia, que já se conhece a si mesmo e que luta para domar as suas más paixões, é o que deita raízes na terra para obter o fruto dadivoso da vida.

Roque Jacintho