O CRISTÃO E OS INSENSATOS

O desajuste da mente é desequilíbrio da alma.

A resignação, compreendendo o ajuste ativo do homem às Leis Divinas, sintetizadas no Amor, permite-lhe construir e sustentar a sua casa mental.

Cada um receberá recompensas.

Quem se desvia do rumo, despreza o bem.

Se você caminhar pela senda justa, que eleva e dignifica as suas qualidades espirituais, com isso você revelará que é cristão, amando a Jesus.

A palavra do néscio encerra condenação a seu orgulho.

Dos lábios do humilde nasce a proteção para si próprio, já que quem fala para o bem interioriza o clima do bem em seu coração.

Onde não há trabalho, não há alimento.

A abundância da colheita só existe para aqueles que mantêm a manjedoura abastecida pela sua dedicação à obra de amparo aos carentes de pão-do-corpo e do pão-da-alma.

A quem ironiza, a verdade falta.

O conhecimento das coisas espirituais, que enriquecem e dão razão de ser à existência na Terra, é facultado a quem busca com singeleza e despreendimento, aceitando a sua posição de filho do Pai celestial, a quem tudo é dado mas que nem tudo sabe.

Só conviva com os tolos para ajudá-los.

Não aguarde que deles surja sabedoria e entendimento, gratidão ou reconhecimento, pois que seus lábios não são fonte de sabedoria.

O insensato cria a fraude.

O bom-senso dos que despertaram para a luz do Evangelho lhes recomenda cuidar de sua própria conduta, a fim de distinguirem quais são os bens reais da vida.

O néscio zomba de quem erra.

Aqueles, no entanto, que se renovam no Evangelho de Jesus, devem acolher os que se equivocaram, abrindo-lhes e reabrindo-lhes oportunidades para o refazimento necessário.

Se você não o fizer, a reencarnação o fará.

Roque Jacintho