O QUE É A IGREJA PRESBITERIANA BETHESDA?

Fundada há 17 anos, no Rio de Janeiro, a Igreja Presbiteriana Bethesda é uma dissidência da Igreja Presbiteriana do Brasil e ganhou os holofotes da mídia ao realizar o primeiro casamento homossexual no Brasil, em 2001.

Desde então, a palavra bethesda "casa de misericórdia", em hebraico, passou a ser sinônimo de polêmica.

O pomo da discórdia, claro, foi o apoio explícito da igreja à causa homossexual. De fato, a proximidade da Bethesda com o universo gay é tamanha que, todos os anos, o pastor Nehemias Marien, um dos fundadores da igreja, abençoa a Parada do Orgulho GLBT (gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros), no Rio de Janeiro.

"Somos discriminados por termos uma postura acolhedora com os homossexuais", diz o pastor Nehemias. "Mas o que fazemos é aceitar igualmente a todos, independentemente de suas escolhas sexuais."

O matrimônio homossexual é justificado com passagens da Bíblia, coomo uma suposta relação amorosa entre o rei Davi e um de seus guerreiros, chamado Jônatas. "Em 1 Samuel 18, 1-3 diz-se que o amor de Davi a Jônatas era superior ao que ele tinha pelas mulheres", afirma Nehemias. Para muitos religiosos, contudo, essa abordagem do texto sagrado é completamente equivocada.

"Isso não tem fundamento. É como se não fosse possível dois homens terem uma amizade sincera", afirma o reverendo Ludgero Bonilha Morais, secretário-executivo do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil.

Essa interpretação própria da Bíblia, aliás, é outro ponto polêmico em relação à Bethesda, que não vê o livro como tradução direta da palavra de Deus.

"Não cremos na Bíblia literalmente. Deus apenas inspirou os homens a escrevê-la", diz o pastor Nehemias. Há desavenças também pelo fato de a Bethesda incorporar princípios externos ao Cristianismo, como a crença na reencarnação.

O resultado é o repúdio da igreja pela maioria das linhas cristãs, principalmente por parte da Igreja Presbiteriana do Brasil, que nega à Bethesda a denominação de presbiteriana. ''Ao admitir crenças como a da reencarnação, eles deixaram de seguir os preceitos cristãos que o Presbiterianismo propaga", afirma Ludgero.

Mas alguns estudiosos consideram que a postura da Bethesda - que hoje tem um único templo, no Rio de Janeiro, e conta com cerca de 250 fiéis - pode enriquecer o debate em torno da espiritualidade.

''A religião costuma ser um dos setores connservadores da sociedade. Quando se propõe a tratar de temas polêmicos, como o homossexualismo, abre um importante espaço de discussão", afirma o teólogo Hélio Sales Rios, da Universidade Metodista, em São Paulo.

"Contudo, é preciso distinguir entre os que propõem uma ampla discussão daqueles que só buscam autopromover-se.""

A defesa do casamento gay é um dos pontos polêmicos em relação à Igreja Presbiteriana Bethesda

Adriano Reis - Revista das Religiões