O QUE É A RELIGIÃO OOMOTO?

Tradição de origem japonesa, a religião Oomoto nasceu em 1892, em Kyoto, quando a fundadora Nao Deguchi, uma viúva de 55 anos, teria sido possuída pelo espírito de Kunitokotachi, o deus ancestral da Terra.

Analfabeta, de repente começou a escrever incessantemente mensagens contendo profecias sobre o destino do mundo.

Os escritos resultaram nos sete tomos do livro Divinas Revelações, uma das obras sagradas da crença - ao todo, as chamadas Fudesaki (escrituras sagradas) chegam a 10 mil volumes, com 20 páginas cada.

Uma característica peculiar da religião é só poder ser comandada por uma mulher - hoje, já está em sua quinta guia espiritual, descendente direta da fundadora.

"A exclusividade da liderança às mulheres foi uma norma passada por meio de revelação divina", diz Yasuharu Fujimoto, missionário do credo no Brasil.

Outro pilar da Oomoto é a crença no Deus único, embora a visão tenha uma pitada panteísta.

"Cremos no Deus único, mas também reverenciamos Suas diversas manifestações, como anjos e arcanjos.

Na verdade, todos os seres, desde o homem até os vegetais e minerais, são divinos, pois são parte de Deus", diz Masamichi Tanaka, professor da Escola Oomoto de Artes Tradicionais Japonesas, em Kyoto.

Aliás, a prática das milenares artes do Japão, como a Caligrafia e o Aikido (uma luta marcial), é incentivada pela doutrina como meio de purificar o coração.

Além disso, os cerca de 300 mil fiéis da crença no mundo - no Brasil são 250 famílias registradas - celebram uma missa no primeiro domingo de cada mês, nos moldes dos rituais xintoístas japoneses, com música, orações e oferendas.

Cláudia de Castro Lima - Revista das Religiões