O QUE FOI O TABERNÁCULO DE ISRAEL?

"E farão um santuário para mim, e eu habitarei no meio deles.
Façam tudo como eu te mostrar, conforme o modelo do tabernáculo" (Êxodo 25, 8-9).

Assim foi feito.

E o Tabernáculo, chamado de Mishkan -lugar da morada de Deus, em hebraico -, tornou-se o primeiro santuário do povo israelita. De acordo com a Bíblia, era uma construção desmontável, projetada para acompanhar os judeus na peregrinação rumo à Terra Prometida de Canaã.

Junto com as tábuas dos Dez Mandamentos, as instruções sobre como erguer a edificação foram transmitidas por Deus a Moisés no Monte Sinai, passados três meses da fuga do cativeiro, no Egito.

A estrutura ambulante viajou pelo deserto com o povo de Israel por trinta e nove anos antes de ser instalada em Canaã, onde permaneceu por séculos, até o rei Salomão substituí-la por seu famoso Templo, destruído em 587 a.c. pelos babilônios.

Na verdade, há evidências arqueológicas do Templo de Salomão, mas nada em relação ao Tabernáculo. Porém, a falta de comprovação histórica não impediu que a tenda se transformasse num Ícone vivo da fé judaico-cristã. "O Mishkan simboliza a relação profunda entre Deus e Seu povo", diz o rabino Alexandre Leone, da Congregação Israelita Paulista.

TENDA DO ENCONTRO

Conhecido como Ohel Moed (Tenda do Encontro), o Tabernáculo era o centro da vida de Israel. A localização das tribos no acampamento era organizada a partir do Templo. Os levitas acampavam imediatamente ao redor do santuário, e os demais clãs tinham cada um seu lugar específico. (Eram colocados em forma de X, tendo o Tabernáculo como Centro).

TRABALHO EM FAMÍLIA

Pela fidelidade a Deus, a tribo de Levi foi separada para cuidar dos serviços do santuário. Cada clã tinha tarefas especificas na manutenção e no transporte. Enquanto alguns contavam com a ajuda de carroças durante as viagens, outros carregavam suas peças nos ombros.

CONSTRUÇÃO VOLUNTÁRIA

O material para erguer a estrutura foi obtido de doações. Os israelitas ofertaram tanto que a certa altura os operários pediram que Moisés interrompesse a coleta. Segundo relato bíblico, só em metais preciosos, como ouro, prata e bronze, foram arrecadados 6 toneladas.

PÁTIO DE SACRIFÍCIO

Quase todas as cerimônias no Tabernáculo envolviam o sacrifício de animais, como meio de remissão de pecados ou de agradecimento a Deus. Além do altar de holocausto, no pátio havia também uma pia usada pelos sacerdotes para lavar mãos e pésantes dos rituais.

ESPAÇO SAGRADO

A tenda era composta de dois compartimentos. O primeiro, chamado de Santo Lugar, abrigava a menorah - um candelabro de 35 quilos de ouro maciço, aceso diariamente -,uma mesa de ouro com 12 pães - que eram trocados a cada sábado e representavam as 12 tribos - e o altar de incenso.

PRESENÇA DE DEUS

No segundo, conhecido como Santo dos Santos, ficava a Arca da Aliança, símbolo do pacto entre Deus e Seu povo. Nela eram guardadas as tábuas dos Dez Mandamentos, o maná (alimento enviado dos céus) e o cajado de Aarão. Segundo a tradição, o Shekinah, sinal visível da presença do Criador, manifestava-se sobre a Arca.

Thiago Jokura - Revista das Religiões