QUEM SÃO OS MONGES ORTODOXOS DO BRASIL?

Igreja Ortodoxa Ucraniana - Pela primeira vez, eles são anunciados no país

Tazida para o Brasil por imigrantes eslavos no início do século passado, só agora a Igreja Ortodoxa Ucraniana anuncia a criação de um monastério e a ordenação de seus primeiros monges no país.

Em dezembro de 2003, quatro religiosos participaram da cerimônia de Tonsura Monática - nome dado ao ritual para alguém se tornar monge -, a mesma data em que foi instituída a Comunidade Monástica São João Apóstolo, na cidade de São José, em Santa Catarina.

Até então, não havia mosteiros ou monges ortodoxos ucranianos tonsurados na América do Sul, "O monaquismo ortodoxo não cresceu muito por aqui devido às diferenças culturais entre os latinos e os eslavos", afirma dom Jeremias Ferens, bispo da Igreja Ortodoxa Ucraniana na América do Sul: "Os ortodoxos, por exemplo, seguem o calendário juliano, enquanto o resto do continente segue o gregoriano."

Para os ortodoxos, a criação de uma comunidade monástica e a existência de monges tonsurados no país representam a garantia de maior força espiritual à religião. "São os monges que divulgam a ortodoxia na comunidade. Suas orações também são essenciais para a Igreja", afirma dom Jeremias.

Os monges ortodoxos seguem uma rígida disciplina e levam uma vida dedicada a Deus

Embora sejam mais conservadores que os católicos, os ortodoxos têm uma rotina semelhante a de outros monges cristãos: as orações começam antes do Sol nascer e se estendem até a meia-noite, de três em três horas.

"É preciso muita perseverança para seguir as regras rígidas da vida contemplativa em um mosteiro", diz padre Paulo Tamanini, um dos religiosos tonsurados em dezembro. "A grande diferença entre os monges católicos e ortodoxos é a influência de seus padroeiros", afirma o padre José Oscar Beozzo, do Centro de Estudos de História da Igreja na América Latina.

"São Bento, do século 5, é o pai do monaquismo do Ocidente, enquanto a vida monástica ortodoxa ou oriental surgiu desde São Basílio, no século 4." Mais tradicionalistas, os monges ortodoxos, por exemplo, deixam a barba e o cabelo compridos, e usam apenas sandálias. Os católicos, por sua vez, cortam o cabelo e a barba, e usam sapatos.

Um monge ortodoxo deve ser solteiro e fazer votos de obediência, castidade e pobreza. Além disso, ao serem tonsurados, recebem outro nome. "O novo batismo simboliza o esquecimento da vida civil e a entrega à vida monástica", diz padre Paulo.

Karina Fusco - Revista das Religiões