FOTOGRAFIA ESPÍRITA

Fenômeno Espírita: "Fotografia Espírita": Há dois gêneros de materialização: há em primeiro lugar a materialização invisível ao olho, e não apresentando mais do que um atributo físico, acessível ao nosso confronto: consiste na emissão de raios luminosos, que não produzem ação alguma sobre a nossa retina, porém agem sobre a placa sensível de um aparelho fotográfico; para os resultados assim obtidos, proponho a expressão: fotografia transcendente.

No início da década de 70, no século XIX, começaram a surgir em Paris as chamadas "fotografias Espíritas", ou seja, retratos de pessoas encarnadas, junto às quais apareciam, mais nítidos ou menos nítidos, seres desencarnados. Eram obtidas nos Estados Unidos, bem como na Inglaterra, e por essa pesquisa interessou-se pessoalmente o eminente cientista Sir William Crookes.