O EVANGELHO DOS HUMILDES

PREFÁCIO

Este livro brotou da fonte inexaurível do Evangelho. E', modesto, é despretensioso, é simples. Não traz coisas novas, ou se as traz, são mínimas. Se algum mérito ele tem, é o de ter reunido todos os ensinamentos do Espiritismo até o dia de hoje, e com eles comentar, analisar, explicar, pôr ao alcance dos pequeninos cada um dos versículos do Evangelho segundo S. Mateus.

Por que foi escolhido o texto de S. Mateus, e não um dos outros?

Nem eu o sei. Tomei-o ao acaso, como poderia ter tomado qualquer um dos outros textos, sem idéia, e sem um plano preconcebido. E uma vez iniciada a obra com o texto de Mateus, fui com ele até o fim.

Sendo um livro despretensioso, não tem a presunção de ter ensinado tudo sobre o Evangelho, tenta apenas esclarecer o que está ao alcance de a humanidade atual compreender.

Com o tempo estes comentários envelhecerão, e os homens terão progredido, e por isso terão necessidade de receber explicações mais elevadas, consoante o grau de espiritualização conquistado. Então estes comentários passarão, e outros novos virão. Só a palavra de Jesus não envelhecerá; só ela não passará. Rocha inamovível dos séculos, cada geração descobre na palavra de Jesus uma faceta sempre mais brilhante que a anterior, que reflete mais luz, que mais ilumina os viajores que demandam a pátria celeste por entre os caminhos da Terra.

Resta-me dedicar este livro. A quem?

Dedicarei este livro aos pobres de espírito, porque meu Mestre os chamou de bem-aventurados. Almas cândidas que o mundo humilha e esmaga, compartilhai comigo destas lições de luz!

Dedicarei este livro aos mansos, porque meu Mestre os chamou de bem-aventurados. Almas ternas que repelis a violênda, e sabeis usar a força do Amor, este livro vos anuncia o novo mundo que ides possuir!

Dedicarei este livro aos que choram, porque meu Mestre os chamou de bem-aventurados. Através destas páginas, eu vos darei a esperança que consola as aflições, e acalma as dores, e mitiga os sofrimentos.

Dedicarei este livro aos que não acham justiça na terra, porque meu Mestre os chamou de bem-aventurados. Eu vos ensinarei que não estais esquecidos, e que os agravos que vos fizerem, subirão ante um Tribunal Incorruptível, que embora cheio de misericórdia, sabe ser justiceiro.

Dedicarei este livro aos misericordiosos, porque meu Mestre os chamou de bem-aventurados. Vós sois as sentinelas do Amor Divino, e neste livro há Amor e Misericórdia.

Dedicarei este livro aos limpos de coração, porque meu Mestre os chamou de bem-aventurados. E os ensinamentos aqui contidos ensinam aos outros como serem puros como vós o sois !

Dedicarei este livro aos pacíficos, porque meu Mestre os chamou de bem-aventurados. A paz que trazeis em vossos corações, espalhai-a por entre os caminhos perturbados do mundo, e semeai-a nas consciências atribuladas e desassossegadas pelo remorso.

Dedicarei este livro aos que se sacrificam pelas idéias justas e nobres que tornarão a humanidade feliz, porque meu Mestre os chamou de bem-aventurados. Este livro representa um ideal. Não nos envergonheis dele!

Dedicarei este livro aos que recebem motejos por se dedicarem às lições divinas, e ao sublime desempenho de seu medíanato, porque meu Mestre os chamou de bem-aventurados. Se vos criticarem por estudardes estas lições e por socorrerdes com vossa mediunidade um irmão infeliz, lembrai-vos de que eu vos falo aqui do galardão que meu Mestre vos prometeu!

Vós, que não encontrais na terra um bálsamo para vossas feridas; vós, cujo fardo ameaça esmagar-vos; vós, cuja flama da esperança bruxoleia ou já se extinguiu, vinde a mim. Dai-me as mãos e escutai-me. Através das páginas deste singelo livro, eu vos mostrarei o bálsamo pelo qual suspírais; dar-vos-ei forças para que carregueis suavemente o vosso fardo; avivarei, reacenderei em vossos corações a chama da Esperança. Vinde, vinde todos! Meu Mestre manda que vos mostre onde está o descanso para vossas almas.

CAPÍTULO I
A GENEALOGIA DE JESUS CRISTO
CAPÍTULO II
OS MAGOS DO ORIENTE
CAPÍTULO III
JOÃO BATISTA
CAPÍTULO IV
A TENTAÇÃO DE JESUS
CAPÍTULO V
O SERMÃO DA MONTANHA
..
CAPÍTULO VI
CONTINUAÇÃO DO
SERMÃO DA MONTANHA
CAPÍTULO VII
CONTINUAÇÃO DO
SERMÃO DA MONTANHA
CAPÍTULO VIII
O LEPROSO PURIFICADO
..
CAPÍTULO IX
O PARALÍTICO DE CAFARNAUM
CAPÍTULO X
OS DOZE E SUA MISSÃO
CAPÍTULO XI
JOÃO BATISTA ENVIA 2 DISCÍPULOS
CAPÍTULO XII
JESUS É SENHOR DO SÁBADO
CAPÍTULO XIII
A PARÁBOLA DO SEMEADOR

CAPÍTULO XIV
A MORTE DE JOÃO BATISTA

CAPÍTULO XV
A TRADIÇÃO DOS ANTIGOS

CAPÍTULO XVI
O FERMENTO DOS SADUCEUS

CAPÍTULO XVII
A TRANSFIGURAÇÃO
CAPÍTULO XVIII
O MAIOR NO REINO DOS CÉUS
CAPÍTULO XIX
ACERCA DO DIVÓRCIO
CAPÍTULO XX
A PARÁBOLA DOS TRABALHADORES
CAPÍTULO XXI
A ENTRADA TRIUNFAL DE JESUS
CAPÍTULO XXII
A PARÁBOLA DAS BODAS
CAPÍTULO XXIII
JESUS CENSURA OS ESCRIBAS
CAPÍTULO XXIV
O SERMÃO PROFÉTICO
CAPÍTULO XXV
O SERMÃO PROFÉTICO CONTINUA
CAPÍTULO XXVI
A CONSULTA DOS SACERDOTES
CAPÍTULO XXVII
O SUICÍDIO DE JUDAS
CAPÍTULO XXVIII
A RESSURREIÇÃO