PARA LER E RELER

1 - APRESENTAÇÃO

Leitor amigo,

Destas páginas, em prosa e verso, poucas são inéditas, a maioria já havia sido publicada na imprensa espírita, em jornais e em livros.

Em algumas, aqui e ali, a inspiração do Alto me coloriu a escrita singela. Outras, entranhadas na extensão dos capítulos dos livros, não haviam tido o merecido destaque.

Pareceu-me que elas pediam para serem lidas por quem ainda não as conhecia, e mesmo quem já as conhecesse poderia reler com gosto e proveito.

Terei acertado na escolha? Você, leitor, me dirá.

2 - EM LOUVOR DO LIVRO ESPÍRITA

Com estalos ruidosos, responderam os Espíritos às indagações da família Fox, em Hydesville, e atraíram a espantada atenção do povo americano.

Generalizando o intercâmbio, movimentaram mesas, falando por elas na tiptologia, e divertiram a curiosidade da Europa inteira.

Mas quando Kardec enfeixou-lhes em livros os ensinos sublimes, a Humanidade terrena se apossou de uma Doutrina que lhe recristianizou idéias e crenças.

Desde então, a revelação admirável vem se propagando entre as massas, de criatura a criatura.

Nesta passagem, é fatal haver quem...
...não a assimile completamente e lhe turve o sentido,
...tente adaptá-la a interesses particulares,
...lembre apenas parte do todo revelado,
...a deseje sufocar no silêncio.

O livro espírita, contudo, reedita, a qualquer tempo, pura e acessível, a Doutrina dos Espíritos, preservando-a para a Humanidade.

Alguém nos iniciou na fenomenologia espírita. Outro nos instruiu na verdade que desconhecíamos. Terceiro nos confortou no momento da dor, com palavras ou auxílio fraternos.

Todos, porém, seguem um destino próprio, sem se prenderem à nossa vida, enquanto o livro espírita permanece ao nosso alcance, explicando o fenômeno, comentando os ensinos revelados, prodigalizando as mensagens consoladoras do amor e da esperança.

Beneficiado pela Doutrina, você deseja colocá-la ao alcance dos que dela necessitam sem o saber, ou recalcitram ante a verdade.

E o livro espírita...
...chega aonde você não pode ir,
...não constrange como a sua presença física,
...aguarda sem pressa o momento propício,
...argumenta sem se exaltar, esclarece sem ferir, repete sem cansar.

Em toda a obra da codificação kardequiana e até os dias de hoje, o livro espírita tem sido o portador fiel e o difusor incansável das idéias renovadoras.

Exaltando-lhe a função, comemoremos o "Dia do Livro Espírita". E, fazendo-o a 18 de abril, data em que Kardec publicou, em Paris, no ano de 1857, O Livro dos Espíritos, ressaltemos-lhe a presença desde o marco inicial da Doutrina Espírita em nosso mundo.

(Do livro Quando o Espiritismo Fala)

3 - GRAÇAS A ALLAN KARDEC

Em 1854, já conhecedor e estudioso do magnetismo e da hipnose, ele ouviu falar dos fenômenos das mesas girantes. Mas só em maio de 1855 assistiu pela primeira vez a esses fenômenos e, depois, presenciou experiências imperfeitas de escrita mediúnica em ardósia, com auxílio de cesta.

Convencido da realidade das manifestações dos espíritos, dispôs-se a coletar mais informações deles e estudar os fenômenos que produziam, usando como ponto de partida 50 cadernos de comunicações diversas obtidas por outros experimentadores.

Lançou-se aos estudos e pesquisas e, apenas dois anos depois, a 18 de abril de 1857, publicou o monumental O Litro dos Espíritos, inicialmente com quinhentas e uma perguntas e respostas e, depois, com mil e dezenove.

Em 1858, lançou a Revista Espírita e, fundou, também, a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas.

Em 1861, publicou O Livro dos Médium, verdadeiro tratado sobre a mediunidade.

Em 1864, apresentou O Evangelho Segundo o Espiritismo, com o exame do ensino moral do Cristo, obra que conforta, pacifica e anima as criaturas.

Em 1865, novo livro, O Céu e o Inferno, abordando a vida futura, a justiça divina.

Em 1868, a derradeira obra, A Gênese, estudando a origem das coisas, os milagres e as predições.

E ainda escreveu folhetos e opúsculos diversos, fez viagens para difusão doutrinária pela França, na Bélgica e Suíça, mantendo correspondência com interessados no mundo todo e realizando estudos e pesquisas, além de se posicionar em defesa do Espiritismo, ante seus detratores.

Ao desencarnar, em 31 de março de 1869, deixava a Doutrina Espírita codificada e divulgada em suas bases.

Quanto ele conseguiu realizar em apenas 14 anos, com a sua cultura, sua capacidade de trabalho, sua perseverança e dedicação ao ideal espírita!

Para avaliar a importância do seu labor, imaginemo-nos sem o conhecimento espírita.

- Qual seria a nossa filosofia de vida, que pensaríamos do mundo e dos seres?

- Teríamos consciência de nosso eu imortal e de que os outros também são espíritos imortais, da destinação de todos à perfeição e à felicidade?

- Adoraríamos a Deus em espírito e verdade, sem mais nos prendermos a cultos exteriores, nem a crendices e superstições?

- Confiaríamos em uma justiça divina que dá a cada um segundo suas obras? E que o amor divino não condena seus filhos, mas os recupera sempre, aqui ou no Além?

- Saberíamos que reencarnamos, temos vidas sucessivas, e, através delas ou no espaço, progredimos incessantemente?

- Entenderíamos o porquê das diferenças de situações ou das desigualdades sociais, como provas ou expiações, e como enfrentá-las?

- Saberíamos possível o intercâmbio com o mundo espiritual? Empregaríamos a mediunidade com segurança e objetivo superior?

..CAPÍTULO 1 - SER ESPÍRITA
..CAPÍTULO 2 - PROGRAMA
..CAPÍTULO 3 - JESUS PARA OS ESPÍRITAS
..CAPÍTULO 4 - BEM-AVENTURANÇAS
..CAPÍTULO 5 - A GRANDE VIAGEM
..CAPÍTULO 6 - A TI, SENHOR
..CAPÍTULO 7 - ATÉ AS CRIANÇAS SABEM
..CAPÍTULO 8 - O MAL E O BEM
..CAPÍTULO 9 - CONVITE AO IDEAL
..CAPÍTULO 10 - CARNAVAL
..CAPÍTULO 11 - TENTAÇÕES
..CAPÍTULO 12 - JESUS PASSA !
..CAPÍTULO 13 - MENSAGEM PARA QUEM SOFRE
..CAPÍTULO 14 - REDENÇÃO
..CAPÍTULO 15 - VERDADE E AMOR
..CAPÍTULO 16 - EM BELÉM
..CAPÍTULO 17 - DIVINA MISSÃO
..CAPÍTULO 18 - ORAÇÃO PELOS MÉDIUNS
..CAPÍTULO 19 - NO DIA DAS MÃES
..CAPÍTULO 20 - CARTA DE FILHO
..CAPÍTULO 21 - SE EU TIVER FÉ
..CAPÍTULO 22 - A VISITA
..CAPÍTULO 23 - SINO DE CRISTAL
..CAPÍTULO 24 - APELO AO JOVEM VICIADO
..CAPÍTULO 25 - O TRABALHO
..CAPÍTULO 26 - RONDA DA INFÂNCIA
..CAPÍTULO 27 - QUANDO É ANO NOVO
..CAPÍTULO 28 - SEGUIR A JESUS
..CAPÍTULO 29 - A CHUVA E A DOR
..CAPÍTULO 30 - MOCIDADE !
..CAPÍTULO 31 - A OUTRA FACE DA VIDA
..CAPÍTULO 32 - QUEM BOM QUE VIESTE, JESUS !