13ª. AULA
EDIFICAÇÃO CRISTÃ II
ATOS DOS APÓSTOLOS

EDIFICAÇÃO CRISTÃ - (Atos dos Apóstolos)

Dia de Pentecostes. O Discurso de Pedro ao Povo. Primeiras Conversões. A Primeira Comunidade Cristã.
A Cura de um Coxo.A Prisão de Pedro e João. Ananias e Safira.

1 - Dia de Pentecostes (Atos 2: 1-13)

Cinqüenta dias após a Páscoa judaica, no dia da antiga Festa da Colheita (Ex 23: 16: Dt 16:9-12), eis que se realiza a primeira previsão do Mestre: a vinda do Espírito na concretização da renovação da aliança com Deus. Reunidos no lugar de costume os Apóstolos oravam, como sempre e, de repente, um ruído semelhante ao de um vento impetuoso encheu a casa onde estavam sentados.

Desde os tempos antigos, a palavra Espírito (pneuma, em grego) tem conotação como vento, pois também significa sopro e é assim descrito por toda a Bíblia.

As "línguas de fogo" como relâmpagos nos demonstram bem a simplicidade da narração de para a mudança de plano dimensional, onde o Verbo elevado irrompe as dimensões mais grosseiras do nosso plano físico, como o fogo que purifica e vivifica.

As "línguas de fogo" se distribuíram, penetrando o centro de força coronário de cada discípulo (At 2:3).

Todos ficaram envolvidos pelos Espíritos Puros numa manifestação mediúnica conhecida por glossolália, ou xenoglossia, faculdade que permite aos médiuns falarem ou escreverem em línguas desconhecidas deles.

Achavam-se em Jerusalém judeus, homens religiosos de numerosas nações. O ruído espanta-os e surpreende-os, pois os Apóstolos começaram a falar em todas as línguas as grandezas de Deus (At 2:5-11).

Como sempre, apesar da evidência havia aqueles incrédulos que os achavam ébrios, como se o fato da embriaguez permitisse o dom das linguas (At 2: 13).

2 - O Discurso de Pedro ao Povo (At 2: 14-36)

Pedro ergue-se com os Onze (At 2: 14-15) e fala ao povo, adverte-os de que os Apóstolos não estavam embriagados, sendo 9 horas da manhã.

O Apóstolo lembra as profecias tão do conhecimento dos Judeus (Joel 2:28-32; e lsaías 2:2 e 44:3)

"...derramarei meu Espírito sobre toda a carne, vossos filhos e filhas profetizarão"

".. E farei aparecer prodígios no Céu e na Terra .. "

".. E todo aquele que invocar o Nome do Senhor será salvo".

Pedro mergulha no passado das profecias para buscar testemunhos, e avança para o futuro, para o advento dos tempos messiânicos, onde, todos na Terra, encarnados e desencarnados, no conhecimento da Verdade, estarão unidos ao Redentor, no coração e no intercâmbio mediúnico de apoio para os novos tempos da Augusta Vontade do Pai.

As profecias do Antigo Testamento comprovam esse desígnio de Deus, mas a perseverança e o trabalho dos discípulos de Jesus, por todos os tempos, asseveram a confiança e o amor a Deus.

Ao proclamar-se testemunha ocular da Paixão e Ressurreição do Mestre, o Apóstolo demonstra a consagração de Jesus em Senhor e Cristo, por Deus, em virtude de seu mais alto sacrifício: fidelidade à vontade do Pai e fraternidade sublimada para com seu rebanho espiritual consignado pelo Pai (At 2:36) .

3 - Primeiras Conversões (At 2: 37 -41 )

Preocupado e temeroso, o povo indagou: "Irmãos, como devemos fazer?" (At 2:37). Respondeu-lhes Pedro (At 2:28-41): - Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos VOSSOS pecados, e recebereis o dom do Espírito (Santo). Pois para vós é promessa e para os vossos filhos e para todos os que estão longe, e a quantos chamar o Senhor Nosso Deus. E exortava-os, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.

Então os que lhe aceitaram a palavra foram batizados: sendo admitidas naquele dia quase três mil pessoas .

4 - A Primeira Comunidade Cristã (At 2:42-47)

Esses primeiros cristãos mostravam-se assíduos aos ensinamentos apostólicos, vivendo em comunhão fraterna, mantendo-se em orações e promovendo as ceias nas quais eram repartidos os pães, rito judaico desde os tempos do Patriarca Abraão.

Nessa ceia, como sabemos, quem preside faz uma invocação de bênçãos à Providência divina antes de repartir o pão.

Tomavam os suas refeições com alegria e singeleza de coração.

A refeição em comum é sempre uma verdadeira comunhão de vibrações.

Os fiéis formam uma comunidade unida: vendiam as suas proopriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade. Eles tinham tudo em comum. Continuavam a freqüentar o Templo para não despertar a ira dos sacerdotes, os Apóstolos realizam prodígios e todos guardam a "alegria da fé" (At 2:46). Louvavam a Deus pelos atos e palavras e eram bem aceitos e respeitados por todos. E dia a dia o Senhor acrescentava-lhes os que iam sendo salvos.

A comunidade crescia, mas conservava o mesmo tipo de vida comunitária, conforme se lê em At 4:32-37

5 - A Cura de um Coxo. A Prisão de Pedro e João (At 3; e 4: 1 -31 )

Pedro e João subiam ao Templo para a oração diária da hora nona (três horas da tarde). Todos os dias era posto na porta do Templo (chamada Formosa) um homem coxo de nascença, para pedir esmola.

Ao ver Pedro e João, implorou deles uma esmola Pedro fíxou os olhos nele e lhe disse: - "Olha para nós". Ele os olhou com atenção esperando receber alguma coisa Pedro porém lhe disse: - "Não tenho ouro nem prata, mas o que tenho eu te dou: -" Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda!" E pegando-o pela mão direita o levantou. Imediatamente se lhe firmaram os dedos do pé e os tornozelos. De um pulo se pôs de pé, e andava. Entrou com eles no Templo, caminhando, saltando e louvando a Deus.

Todo o povo o viu andar e louvar a Deus. E como se conservasse perto de Pedro e João, uma multidão de curiosos, atônitos, correu perto deles, no pórtico chamado de Salomão. Então Pedro, com grande eloqüência, fez pregação ao povo glorifícando a Jesus. "Foi a fé em Jesus que deu a este homem plena saúde na presença de todos vós".

Mas, enquanto falava, sobrevieram os sacerdotes, o oficial do Templo e os saduceus, indignados de que Pedro e João ensinassem ao povo que as profecias foram cumpridas em Jesus, prenderam-nos e os levaram em cárcere, até a manhã seguinte, pois que já era tarde.

Muitos, porém, dos que ouviram a palavra, creram; e o número de fiéis se elevou a mais ou menos cinco mil.

Na manhã seguinte, reuniram-se os príncipes, os anciãos, os escribas, o sumo sacerdote Anás, seu sogro Caifás e todos os que eram de familias de sumo sacerdote. Puseram os dois prisioneiros no centro e os interrogaram. Então Pedro, cheio do Espírito, lhes respondeu que quem havia curado o homem, foi Jesus Cristo. Vendo a coragem de Pedro e João, e considerando que eram homens simples e sem instrução, mandaram-nos embora, com ameaças para que não mais falassem nem ensinassem o nome de Jesus. Ao que eles responderam: - ''Julgai vós mesmos se é justo diante de Deus, obedecermos mais a vós do que a Deus. Não podemos deixar de falar do que vimos e ouvimos". Então, ameaçando-os os soltaram

Soltos, procuraram os irmãos na comunidade que haviam instituído. Contaram-lhes o que havia ocorrido e, então, juntos elevaram a Deus uma prece emocionada (At 4:23-30). "Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos: todos ficaram cheios do Espírito (Santo), e com intrepidez anunciavam a palavra de Deus" (At 4:31)

6 - Ananias e Safira (At 5:1-11)

Como vimos, para ingressar na Comunidade instituída pelos Apóstolos, era mister entregar todos os seus bens, os quais passavam a ser usados de modo coletivo. Mas um homem chamado Ananias, com sua mulher Safira, vendeu sua propriedade, e reteve parte do dinheiro, sabendo-o também sua mulher, e levando apenas uma parte depositada aos pés dos Apóstolos Pedro, que no entanto, disse: Ananias, por que encheu um Espírito enganador o teu coração, para que mentisses, retendo uma parte do dinheiro proveniente da venda do terreno? Porventura, se não o vendesses não seria ele todo teu? Como formaste este desígnio no teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus. Ananias, ao ouvir estas palavras caiu e expirou; e houve grande temor entre os ouvintes. O corpo foi amortalhado e, levado para fora, sepultaram-no. Quase três horas depois chegou sua mulher Safira, não sabendo o que havia acontecido. Pedro perguntou-lhe: ''Dize-me, vendeste por quanto o terreno?" Ela confirmou e Pedro disse-lhe: "Por que é que tu combinaste provar o Espirito do Senhor? Eis à porta os pés dos que sepultaram o teu marido, e eles te levarão a ti também".

No mesmo instante ela caiu aos pés de Pedro e expirou.

Os jovens vieram, e achando-a morta, levaram-na e sepultaram-na junto ao marido.

E sobreveio grande temor a todos quantos souberam destes acontecimentos.

Esta é a história estranha de Ananias e Safira, que até agora não encontrou explicação unânime dos exegetas. Cairbar Schutel, em "Vida e Atos dos Apóstolos"(Casa Editora O Clarim, Matão, SP) põe em dúvida a veracidade, porque:

a) Seria porventura mortífera a frase dita por Pedro?

b) Seria possível que naquela fase de grande perseguição aos Apóstolos (prendendo-os e açoitando-os pelo simples fato de curar doentes), os sacerdotes, príncipes, saduceus, escribas não tomariam nenhuma providência pela morte conseqüente de um ato de um Apóstolo? Ora, nem Atos, nem parte alguma do Novo Testamento falam que Pedro foi responsabilizado e muito menos punido pelas mortes.

Portanto, Cairbar conclui que a finalidade deste trecho de Atos, é mostrar que:

1) os Apóstolos não admitiam hipócritas nem mentirosos, na comunidade;

2) eles também não exigiam os bens dos que ingressavam, conforme a frase de Pedro:

- "Porventura, se não o vendesse não seria ele teu? e vendido, não estava o preço em teu poder?". Logo os bens não eram exigidos, eram doados espontaneamente.

Bibliografia:

VIDA E ATOS DOS APÓSTOLOS - Cairbar Schutel.

O NOVO TESTAMENTO.

NA ESCOLA DO MESTRE - Vinícius.

PARÁBOLAS E ENSINOS DE JESUS - Cairbar Schutel.

EM BUSCA DO MESTRE - Vinícius.

QUESTIONÁRIO

1 - O que era o dia de Pentecostes entre os Judeus?

2 - Nesse dia, em Jerusalém, aconteceu o maior desenvolvimento coletivo de médiuns no mundo. Que tipo de fenômeno ocorreu com os Apóstolos?

3 - Quais foram as palavras de Joel e Isaías que o Apóstolo Pedro pronunciou nesse dia?

4 - Quantas pessoas se converteram nesse dia?

5 - Como era a vida na 1ª. comunidade cristã?

6 - Quais os dois Apóstolos que foram presos? Como foram libertados'?

7 - Que aconteceu ao término da oração da comunidade, após a libertação de Pedro e João?