14ª. AULA
EDIFICAÇÃO CRISTÃ III
ATOS DOS APÓSTOLOS

EDIFICAÇÃO CRISTÃ - (Atos dos Apóstolos)
Sinais e Prodígios Realizados pelos Apóstolos.Prisão dos Apóstolos e Parecer de Gamaliel.Instituição dos Diáconos. Estêvão, o 1º Mártir.
A 1ª.Perseguição à Comunidade ("Igreja") Cristã. Conversões na Palestina: a) da Samaria; b) Simão, o Mágico; c) Filipe e o Eunuco.
Últimas Referências de Atos a Pedro

1 - Sinais e Prodígios Realizados pelos Apóstolos (At 5:12-16)

Muitos eram os sinais e prodigios que os Apóstolos estavam realizando. O povo lhes tributava grande admiração e crescia cada vez mais a multidão dos que acreditavam, tanto homens como mulheres, a ponto de levarem os enfermos pelas ruas e os colocarem em leitos e macas, para que quando Pedro passasse ao menos sua sombra se projetasse sobre eles. Afluía também muita gente das cidades vizinhas, trazendo doentes e atormentados por Espiritos obsessores; e todos eram CURADOS.

2 - Prisão dos Apóstolos e Parecer de Gamaliel (At, 5:17-42)

Por isso o sumo sacerdote e os seus aliados, isto é, os saduceus cheios de inveja, prenderam os Apóstolos na cadeia pública.

Mas, de noite, um "Anjo do Senhor" (um Espírito) abriu as portas da cadeia e mandou que eles fossem para o Templo e pregassem ao povo. Assim, quando amanheceu lá estavam eles ensinando. Enquanto isso, o sumo sacerdote colocava o Conselho e todo o Sinédrio, e mandou buscar os prisioneiros na cadeia. Os encarregados voltaram dizendo: - "Encontramos a prisão fechada e bem segura, com os guardas às portas. Mas, abrindo-a, não encontramos ninguém dentro". Surpresos, foram depois informados que os Apóstolos estavam no Templo, ensinando ao povo. Mandaram buscá-los e os colocaram na sala do Conselho. O sumo sacerdote censurou-os, lembrando-lhes que estavam proibidos de pregar. Então Pedro e os Apóstolos replicaram - "Importa mais obedecer a Deus do que aos homens"; e enalteceram Jesus como o Salvador. Os acusadores enfureceram-se e queriam matá-los. Mas, levantando-se no Conselho um fariseu de nome Gamaliel, doutor da lei, muito estimado de todo o povo, mandou sair os acusados, e disse: "Israelitas, considera bem o que ides fazer com estes homens. Há algum tempo apareceu um certo Teúdas, que se considerava um grande homem. Com ele se associaram cerca de quatrocentos homens. Ele foi morto e todos os que o seguiam foram dispersos e reduzidos a nada. Depois dele, levantou-se Judas, o Galileu, nos dias do recenseamento e arrastou o povo consigo. Mas também ele morreu e todos os que o seguiam se dispersaram. Agora, eu vos digo: Não vos metais com estes homens, deixai-os ir. Se for iniciativa, ou obra dos homens, perecerá. Mas, se vem de Deus, não podeis eliminá-los e algum dia talvez, constatareis terdes combatido a Deus".

Aceitaram seu conselho. E chamaram os Apóstolos e mandaram açoitá-los. E ordenam-lhes, com ameaças, que não pregassem em nome de Jesus, e os mandaram embora.

Eles se retiraram contentes por terem sido dignos de sofrer pelo nome de Jesus.

E todos os dias não cessavam de ensinar e pregar Jesus Cristo no Templo e nas casas.

3 - Instituição dos Diáconos (At 6:1-7)

"Diácono" é uma palavra grega que significava originalmente "aquele que serve à mesa". Com o tempo ganhou novos significados e, assim, além dessa função original os diáconos também são assistentes de autoridade religiosa, ministros, servidores ou prestadores de certos serviços à comunidade dos fiéis (igreja). Todavia, em Atos vemos que Estêvão (6:8 e 6:10) e Filipe (8:5-13 e 8:26-40) também pregavam como os Apóstolos (e Filipe até batizava).

As qualidades exigidas para ser diácono estão relacionadas na 1ª Epistola a Timóteo 3:8-13.

As funções de diácono podem ser exercidas também por mulher, que então se chama ""diaconisa".

Atos 6: 1-7 conta que multiplicando-se o número de discípulos, os cristãos de língua grega reclamaram contra os hebreus, pois suas viúvas deveriam receber tratamento igual ao dispensado às viúvas da comunidade dos cristãos-judeus de Jerusalém. Então, os Doze Apóstolos convocaram a comunidade e disseram: - "Não é razoável que nós abandonemos a palavra de Deus para servir às mesas. Escolhei, irmãos, dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais confiaremos este serviço. E nós nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra".

Foram então eleitos sete helenistas: Estêvão, homem cheio de fé, e do Espírito, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas e Nicolau, prosélito de Antioquia.

Eles se apresentaram aos Apóstolos e estes, orando, impuseram-lhes as mãos.

4 - Estêvão, O 1º . Mártir (Atos capítulos 6 e 7)

Estêvão, cheio de proteção espiritual e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. Então, alguns helenistas que não aceitavam, a Boa Nova passaram a discutir com Estêvão, e como não podiam sobrepor-se à sabedoria e ao Espírito com que ele falava, subornaram homens que mentiram, sublevaram o povo, os anciãos e os escribas: e arrebatando Estevão levaram-no ao Sinédrio. Apresentaram testemunhas falsas que depuseram contra ele. "Todos os que estavam assentados no Sinédrio, fitando os olhos em Estêvão, viram o seu rosto como se fosse de anjo" (At 6:15)

Quando o sumo sacerdote o interrogou, Estêvão fez sua defesa em um brilhante discurso em que historiou a caminhada religiosa do povo judeu desde Abrão, numa síntese notável. Ao encerrar, disse que Deus, a Altíssimo, não habita em casas feitas por mãos humanas (como disse Isaías em 66: 1-2) e arrematou: - "Homens de dura cerviz e incircuncisos de coração e de ouvidos, vós sempre resistis ao Espírito Santo, assim como fizeram vossos pais, também vós o fazeis. Qual dos profetas vossos pais não perseguiram? Eles mataram os que anteriormente anunciavam a vinda do Justo, do qual vós agora vos tornastes traidores e assassinos, vós que recebestes a lei por ministério de anjos, e não a guardastes. (At 7:51-53).

"Ouvindo eles isto, enfureciam-se nos seus corações e brilhavam os dentes contra ele. Mas, Estêvão cheio do Espírito Santo fitou os olhos no céu e viu a glória de Deus, e Jesus à sua direita, e disse: - Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem em pé à direita de Deus.

Eles, porém, clamando em alta voz, taparam os ouvidos e unânimes arremeteram contra ele. E lançando-o fora da cidade, o apedrejaram.

As testemunhas deixaram suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo.

E apedrejavam a Estêvão que invocava e dizia: "Senhor Jesus, recebe o meu espirito!"

Então ajoelhando-se, clamou em alta voz: "Senhor, não lhes leve em conta este pecado !" Com estas palavras adormeceu.

E Saulo aprovava sua morte (At 7:.54-60 e At 8: 1). Era o ano de 34 d. C.

Notas: 1) O termo "helenista" designa os judeus de língua grega que aderiram à comunidade cristã; assim como os que residiam em Jerusalém e Damasco (mas, não eram cristãos).

2) O moço Saulo vai ser o "Paulo de Tarso", Apóstolo dos Gentios.

5 - A 1ª. Perseguição à Comunidade ("Igreja") Cristã (At 8: 1 -3)

Naquele dia (do apedrejamento de Estevão) começou grande perseguição contra a igreja (comunidade) de Jerusalém, instigada por Saulo. Todos se dispersaram pelas regiões da Judéia e da Samaria, com exceção dos Apóstolos.

Alguns homens piedosos sepultaram Estêvão, com grande pranto. Saulo, porém, assolava a igreja (comunidade), entrando pelas casas, arrastando homens e mulheres, encerrando-os na prisão. Perseguia-os, e açoitava-os.

Saulo era fariseu, doutor da lei, de grande cultura religiosa.

Era um moço de temperamento extremado e muito zeloso das tradições judaicas.

6 - Conversões na Palestina (At 8:4-40)

a) Conversão da Samaria (At 8:4-8)

A dispersão dos discípulos provocada pela perseguição de Saulo, rendeu frutos, porque a Boa Nova sai de Jerusalém para atingir as demais regiões.

Assim é que o diácono Filipe (que é chamado "evangelista" : 21 :8) desceu para a cidade de Samaria e lhes anunciava o Cristo. A multidão atendia unânime ao que ele dizia e presenciava os prodígios que operava. Muitos Espíritos impuros saíam gritando em altas vozes e muitos paralíticos e coxos se curavam.

b) Simão, o Mágico (At 8:9-25)

Todavia, havia lá um homem chamado Simão, que praticava a magia enganando o povo, e fazendo-se passar por grande homem. Todos, do maior ao menor lhe davam atenção, porque há muito estavam deslumbrados com sua mágica.

Quando, porém, creram em Filipe, que lhes anunciava o Reino de Deus e Jesus Cristo, batizavam-se, homens e mulheres. O próprio Simão também acreditou e foi batizado. E acompanhava sempre Filipe, extasiado com os sinais e grandes "milagres" que fazia.

Os Apóstolos em Jerusalém, ouvindo que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João. Assim que chegaram, oraram para que os novos fiéis recebessem o Espírito Santo, visto que ainda não havia descido sobre nenhum deles. Então lhes impuseram as mãos, e ele receberam o Espírito Santo.

O mágico Simão vendo isto, ofereceu dinheiro aos Apóstolos para que lhes concedesse também este poder: aquele sobre quem ele impusesse as mãos, recebesse o Espírito Santo, Pedro respondeu-lhe: "Maldito seja o teu dinheiro e tu também, porque julgaste poder comprar com dinheiro o dom de Deus. Não terás direito nem parte alguma neste ministério, porque teu coração não é puro diante de Deus".

c) Filipe e o Eunuco (At 8:26-40)

Um anjo do Senhor falou a Filipe diácono, mandando-o ir para o sul pelo caminho que, através do deserto, desce de Jerusalém para Gaza, Ele foi.

Ora, um etiope, eunuco, alto funcionário de Candace, rainha dos etíopes, da qual ele era o superintendente de todo o tesouro, e que viera adorar em Jerusalém, estava de volta; e assentado em seu carro vinha lendo Isaías,

Então disse o Espírito a Filipe: - "Aproxima-te para perto do carro," Filipe acelerou o passo e ouviu-o ler o profeta Isaías. Como o eunuco não entendia o trecho que estava lendo, Filipe explicou-lhe. E começando desta passagem da Escritura, Filipe anunciou-lhe Jesus, converteu-o e batizou-o.

Ao saírem da água, o Espírito do Senhor arrebatou Filipe, e o eunuco não mais o viu: e prosseguiu viagem cheio de júbilo.

E Filipe foi parar na cidade chamada Azoto e, passando além, evangelizava todas as cidades até chegar a Cesaréia.

7 - Últimas Referências de Atos a Pedro

a) Atividade Missionária em Lida e Jope (At 9:31-43)

A igreja crescia e gozava de paz por toda a Judéia, Galiléia e Samaria Pedro ia por toda parte e, assim, chegou aos "santos" que moravam em Lida. (A denominação comum dos membros da comunidade (igreja em Atos e Epistolas é o "os santos". Isto para significar tanto a união da comunidade (igreja) com o Pai através de Jesus, como também à qualidade moral da igreja. Os cristãos são aqueles que foram santificados porque receberam a graça de Cristo.)

Lá havia um homem chamado Enéias, que há oito anos estava de cama, por ser paralítico. Pedro curou-o em nome de Jesus. E todos habitantes de Lida e da planicie de Sarona se converteram.

E em Jope havia uma discípula chamada Tabita, nome que traduzido é Dorcas. Ela era notável pelas boas obras e esmolas que fazia. Sucedeu que adoecendo, morreu. Depois de a lavarem, colocaram-na parte de cima da casa (cenáculo).

Como Jope ficava perto de Lida, mandaram chamar Pedro. Logo que chegou, conduziram-no ao local onde ela estava.

Pedro mandou todos saírem: pôs-se de joelhos e orou. Voltando para o corpo, disse-lhe - "Tabita, levanta-te." Ela abriu os olhos vendo Pedro, sentou-se. Ele, dando-lhe a mão, levantou-a. Chamando os santos e viúvas, apresentou-a viva.

b) O Centurião Cornélio. Atividade Missionária de Pedro em Cesaréia (Atos capítulos 10 e 11: 1-18)

Havia em Cesaréia um homem chamado Cornélio, oficial comandante do batalhão chamado "Itálico". Era religioso e temente a Deus, juntamente com todos os da sua casa. Dava muitas esmolas, constantemente.

Um dia, à hora nona (três horas da tarde) teve uma visão, na qual um anjo de Deus chamou-o, disse-lhe que suas esmolas e orações subiram para Deus e, então, devia mandar chamar Pedro em Jope.

Atendendo, enviou dois de seus criados domésticos e um soldado de sua guarda pessoal. No dia seguinte, quando já estavam próximos de Jope, Pedro subiu ao terraço para rezar, por volta da hora sexta (meio-dia).

Estando com fome, quis comer: mas enquanto lhe preparavam a comida, teve um êxtase: - viu o céu aberto e de lá descia alguma coisa como um grande lençol aberto, o qual era baixado à terra, sustentado pelas quatro pontas. E dentro havia toda espécie de quadrúpedes, répteis da terra e aves do céu. E uma voz lhe disse: - "Levanta-te, Pedro, mata e come". E Pedro replicou: - "De modo nenhum, Senhor: porque jamais comi coisa alguma contaminada e impura". Mas, a voz lhe disse: - "Não chames de contaminado o que Deus purificou". Isto se repetiu por três vezes.

Enquanto Pedro estava perplexo sobre qual seria o significado da visão, chegaram os mensageiros de Cornélio. Enquanto Pedro ainda meditava, o Espírito lhe disse - "Estão aí dois homens que te procuram: levanta-te, desce e vai com eles sem hesitar: porque fui eu quem os enviei.

Pedro hospedou-os e no dia seguinte partiu com eles, acompanhado de alguns irmãos de Jope. No dia imediato chegou a Cesaréia e Cornélio o estava esperando juntamente com seus parentes e amigos.

Assim que Pedro entrou, Cornélio lançou-se aos seus pés e o adorou, Pedro o levantou, dizendo-lhe - "Levanta-te, pois eu também sou homem".

Dirigindo-se aos presentes, Pedro disse: - "Bem sabeis que é proibido a um judeu ajuntar-se a alguém de outra raça. Mas, Deus me mostrou que a nenhum homem considerasse profano ali imundo. Por isso chamado, vim. Pergunto, pois, por que me chamastes.

Cornélio contou-lhe a visão que teve.

"Agora, todos nós estamos na presença de Deus, prontos para escutar o que te foi ordenado pelo Senhor."

Pedro, começando a falar, disse: - "Reconheço por verdade que Deus não fez acepção de pessoas, pelo contrário, em qualquer nação, aquele que o teme e faz o que é justo, lhe é agradável". Em seguida esclareceu-os sobre Jesus.

E ainda falava, quando desceu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a pregação, e os gentios começaram a falar em várias linguas e a glorificar Deus; o que deixou perplexos os fiéis que tinham vindo com Pedro. E, então, Pedro ordenou que os gentios fossem batizados em nome de Jesus Cristo.

Foi uma temeridade de Pedro, e, após, ele foi interrogado pelos circuncisos de Jerusalém. Contou-lhes tudo e convenceu-os de que também aos gentios Deus concedeu a conversão para a vida.

A pregação de Pedro a Cornélio e aos gentios que estavam com ele, a conversão e conseqüente batismo é de enorme importância para expansão da Boa Nova. Isto porque os primitivos judeus-cristãos consideravam impuros os incircuncisos e impossível a convivência com pagãos de outras raças. A ação de Pedro foi decisiva para a missão entre os gentios. Por isso, no Concílio de Jerusalém (At capítulo 15) em 49 d.c .. Pedro se refere à conversão de Cornélio.

Paulo só pode dedicar-se à sua grande missão entre os gentios graças aos obstáculos que Pedro removeu.

c) Herodes Persegue Tiago (Maior) e Pedro. Libertação de Pedro (At 12:1-19)

O rei Herodes mandou prender alguns da igreja para maltratá-los. (Trata-se de Herodes Agripa I, neto de Herodes, o Grande). Matou a espada Tiago. (Trata-se de Tiago Maior, irmão de João, e filho de Zebedeu). Era 44 d. C. Tiago Maior foi o primeiro Apóstolo a ser morto. Herodes vendo que isto agradou aos judeus, mandou prender Pedro. Eram os dias dos pães asmos (ou seja, a semana da Páscoa).

Tencionando apresentar Pedro prisioneiro, ao povo, após a Páscoa, meteu-o no cárcere sob a guarda de quatro escoltas de quatro soldados cada uma. Mas havia oração incessante a Deus, da igreja, a favor dele.

Na noite antes do dia em que ele seria apresentado ao povo, Pedro amarrado com duas correntes, dormia entre dois soldados, com sentinelas guardando a porta. Mas, um anjo do Senhor acordou-o, mandou-o vestir-se e retirou-o da prisão, abrindo as portas.

Na rua, foi para a casa de Maria, mãe de João chamado Marcos, onde muitas pessoas estavam reunidas e oravam. Ao verem-no, ficaram atônitos: Pedro, contou-lhes tudo e acrecentou: - "Anunciai a Tiago e aos irmãos". (Este é o Tiago Menor) E saiu, retirando-se para outro lugar.

d) No Concílio de Jerusalém (Atos capítulo 15)

Depois desses fatos, Atos só fala novamente em Pedro no Concílio de Jerusalém, em 49 d.c. (Falaremos disso na aula seguinte sobre Paulo) E não mais se refere a ele.

Bibliografia:

NOVO TESTAMENTO - (De preferência uma edição comentada)

VIDA E ATOS DOS APÓSTOLOS - Cairbar Schutel.

DICIONÁRlO BÍBLICO - Jolm L. Mackenzie (Edições Paulinas. SP)

DICIONÁRIO PRÁTICO - da Bíblia Sagrada (Edição Barsa, 1966)

QUESTIONÁRIO

l - Qual foi o parecer de Gamaliel? Quem era Gamaliel?

2 - Por que foram instituidos diáconos?

3 - Como e por que Estêvão foi morto?

4 - Qual foi o grande acontecimento após a morte de Estêvão?

5 - Por que Simão, o mágico, não foi atendido pelos Apóstolos?

6 - Qual a grande importância da conversão do Centurão Cornélio e de sua gente?

7 - Que aconteceu na perseguição de Herodes a Tiago e a Pedro?