24ª. AULA
NOVA ERA

NOVA ERA - Os Tempos São Chegados. Sinais dos Tempos. A Geração Nova. Regeneração da Humanidade

1 - Os Tempos São Chegados

"Em verdade vos digo que esta geração não passará sem que estas coisas aconteçam" (Mt 24:34). "Nos últimos tempos, diz o Senhor, espalharei meu espirito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão; vossos jovens terão visões, e vossos velhos terão sonhos" (Atos 2: 17 -18). "Quanto a esse dia e essa hora, ninguém o sabe, nem os anjos que estão no céu nem o Filho, mas somente o Pai" (Marcos 13:32).

Semelhantes a estas informações, existem muitas outras transmitidas por Jesus aos homens. Foram predições genéricas de como se processaria a separação do joio e do trigo, quando os tempos tivessem chegado. Até mesmo antes de Jesus, no Velho Testamento, há informações a respeito da próxima era. Como será esta passagem? Os tempos já estão chegados? Os sinais precursores do fim já estão ocorrendo? Que são sinais dos tempos? Que é Juízo Final?

Muita gente fala ainda em "fim do mundo", como se a Humanidade encarnada, nos tempos atuais, não mais devesse existir, porquanto se se admitir a idéia dogmática da ressurreição dos corpos no final dos tempos, necessariamente tal hipótese deveria ocorrer, por causa da arrebatação dos bons ao paraíso e o envio dos maus às regiões infernais.

2 - Sinais dos Tempos

"A doutrina de um julgamento final único e universal que coloque fim a toda a Humanidade, repugna à razão, no sentido em que ela implicaria a inatividade de Deus durante a eternidade que precedeu a criação da Terra e a eternidade que se seguirá à sua destruição" (A Gênese, Cap. XVII, item 64). Dentro da Doutrina Espírita, estudam-se os sinais dos tempos através do progresso intelectual e moral da civilização terrena.

Se o bem-estar material é produto da inteligência, somente o bem-estar moral dá a legítima segurança ao homem, pois é produto inalienável da sabedoria de seu Espirito.

Diz o Espirito Arago (A Gênese, cap. XVIII, item 8) que: "Quando se diz que a Humanidade chegou a um período de transformação, e que a Terra deve se elevar na hierarquia dos mundos, não vede nestas palavras nada de místico, mas, ao contrário, o cumprimento de uma das grandes leis fatais do Universo, contra as quais se quebra a má vontade humana". É aí, nesta fatalidade, que o princípio da livre determinação individual se submete ao princípio dos desígnios divinos, ou Lei Natural porquanto, "tendo chegado tal tempo, este lugar será interditado àqueles que não hajam aproveitado as instruções que aí vieram receber; e tal interdição se aplicará não só aos encarnados, como aos desencarnados de tal grupo" (A Gênese, cap. XVII, item 63).

A aparente troca de valores, as lutas de classe, de religiões, as catástrofes materiais, as rebeliões dos jovens, tudo isso é um complexo e aprendizado, indicando a passagem para uma Nova Era, onde a Humunidade procura vencer as barreiras do egoísmo e seus efeitos: moral preconceituosa, aparente e baseada no orgulho e no fanatismo.

Os sinais dos tempos estão aí, indiscutíveis, mostrando a transformação e maturação da sociedade humana nos últimos dois séculos. Disseram os Espiritos, na Codificação, que "A humanidade terrestre chegada a um desses periodos de crescimento, está totalmente, já há quase um século, no trabalho de transformação: é por isso que ela se agita em todos os lados, presa de uma espécie de febre, como que movida por uma força invisível até que retome seu assento sobre novas bases. Quem a vir, então, a encontrará bem mudada em seus costumes, seu caráter, suas leis, suas crenças, numa palavra, em todo o seu estado social" (A Gênese. cap. XVIII, item 9)

A Humanidade, como ser coletivo, marcha através do progresso intelectual e moral enquanto seus constituintes, o ser individual realizam-se no esforço próprio, a cada dia, a cada ano. São encadeamentos de reações e solidariedade dos conjuntos de que resulta a transformação.

3 - A Geracão Nova

A Nova Geração terá novas necessidades e aspirações mais elevadas.

Grandes mudanças efetivamente ocorreram e estão ocorrendo:

a) Na ordem social:

- Legislação ampla regulando os direitos humanos, assegurando aos fracos melhor qualidade de vida;

- Organização das Nações Unidas, precedida da Liga das Nações, como forma de limitação da violência entre as nações, redução das guerrras, das pressões econômicas de uma sobre as outras;

- Os movimentos humanitários de "defesa dos direitos humanos", de "defesa da ecologia", em suas múltiplas facetas;

- Conscientização da educação do Espírito, como ser encarnado que é.

b) Na ordem científica:

- O grande desenvolvimento da tecnologia, em todos os campos, transformando o planeta numa pequena aldeia;

- O início das transcomunicações entre os dois níveis vibratórios, entre encarnados e desencarnados, através do vidicom, spiricom, etc.:

- Viagens interplanetárias, como o envio de sondas, viagens do homem à Lua, satélites artificiais, etc.;

- A evolução da Medicina, auxiliada pela tecnologia eletrônica, com os transplantes de órgãos, a seleção de embriões nas provetas, os equipamentos de sustentação da vida, etc.

c) Na ordem religiosa:

- Queda de preceitos arraigados e crescente aceitação, pela Humanidade, da existência dos Espíritos e sua influência sobre os homens, como se observa na literatura, no cinema, na televisão, nos jornais e em todos os meios de comunicação:

- Realização de concílios ecumênicos e suas conseqüências de conciliação religiosa;

- Estudo dos ensinamentos dos Espíritos em institutos científicos e universidades;

- Esboroamento dos dogmas e a menor influência do materialismo, etc..

Em síntese, percebe-se ao lado da grande coordenada da evolução intelectual, o surgimento do progresso moral, numa verdadeira revolução de costumes, preparando caminho para a nova geração emergente que marchará para a realização e a vivência de idéias humanitárias, predominantemente na nova etapa social onde o homem:

- deixará de temer a Deus para amá-lo em Espírito e Verdade, liberto de imagens, paramentos, dogmas e tantas outras criações humanas;

- perderá o medo de "fantasmas" (Espíritos), porque saberá que a vida continua, além dos horizontes da morte física;

- terá mais confiança nos demais homens, seus irmãos, por duas razões fundamentais:

a - primeira, porque será mais tolerante pelo conhecimento da vida futura e,

b - segunda, porque sabe que os Espíritos inferiores estão sendo substituídos por Espíritos melhores, que farão reinar entre si a justiça, a paz, a fraternidade.

- compreenderá que a Lei Natural empresta o corpo ao Espírito e não o Espírito ao corpo, daí o viver com o corpo para o Espírito e não simplesmente no corpo. Neste caso, sabendo que a vida é eterna, viverá, enquanto homem, segundo os interesses do Espírito.

4 - Regeneração da Humanidade

Cabe ao Espiritismo, como Cristianismo redivivo, relevante papel na orientação espiritual do Homem Novo, muito mais exigente em matéria de fé, tanto mais que sabe que "para a sua plena felicidade e realização pessoal há de haver o engajamento na prática do bem, sob todos os aspectos da vida, com o total desinteresse das trocas de valores transitórios, pois o fora da caridade "terá peso decisivo".'(1)

Kardec esclarece na "Conclusão" de "O Livro dos Espíritos", item IV, que este progresso moral não somente ocorrerá porque o homem saberá da existência da vida futura, mas também porque haverá a unificação religiosa, como conseqüência dessa abertura do mundo espiritual para toda a Humanidade.

A evangelização ocorrerá mais rapidamente e o homem, sabendo dos efeitos, vencerá suas más tendências, pela força de vontade (L. E., 909). Vencerá a influência de sua natureza corpórea, pela abnegação (L.E., 912). e vencerá todos os arrastamentos negativos, conhecendo a si mesmo (L.E, 919)

Como conseqüência haverá, não uma nova geração corporal mas uma nova geração de Espiritos. "Não haverá, pois, exclusão definitiva, senão dos Espiritos substancialmente rebeldes, daqueles que o orgulho e o egoísmo, mais do que a ignorância, tornaram surdos aos apelos do bem e da razão". (2)

Com a regeneração da humanidade, a nova geração marchará para a realização de todas as idéias humanitárias compatíveis com o seu grau de adiantamento

- a fé inata será um dos caracteres distintivos;

- a fraternidade será a pedra angular da nova ordem social;

- a unidade de crença será um liame fundamental nas relações humanas;

- os preconceitos de raça, cor desaparecerão e os povos se encararão como membros de uma grande família;

- o homem viverá como Espírito imortal que é, e como tal não se vinculará somente aos valores materiais passageiros, mas viverá ligado aos valores do Espírito e consciente da Lei de Causa e Efeito, que vai além dos horizontes do nascimento e da morte física.

Com a prática das verdadeiras Leis de Deus, os sofrimentos, as expiações, as dores não mais se farão necessárias, porquanto na Terra morada dos mansos, não mais existirão Espíritos renitentes no mal, porque serão dispersados pelos mundos inferiores, de acordo com suas tendências.

Bibliografia:

G.E Cap XVll e XVIII.

LE.. perguntas 909, 912 e 919

E.S.E. cap. Xl. item 14

(1) Editorial"Tempos Difíceis". Jornal O Semeador. l.a quinzena. Janeiro/90

(2) OBRAS PÓSTUMAS, - OP. 2ª. parte. item "Regeneração da Humanidade".

QUESTIONÁRIO

1 - O que significa dizer que os tempos são chegados?

2 - E' possível a doutrina de um Juizo Final, único e Universal, que coloque fim a toda a Humanidade?

3 - Deverá a Terra se elevar na hierarquia espiritual?

4 - Quais são os "Sinais dos Tempos" indicando a passagem para uma Nova Era?

5 - Na nova ordem que se aproxima, o que acontecerá na ordem social? E na ordem científica?

6 - Nessa mesma Era, o que acontecerá na ordem religiosa?

7 - Que papel caberá ao Espiritismo no porvir?