IMAGINEMOS

 

Maria Dolores

 

Sofres e lutas?

Alma fraterna, enquanto aqui me escutas,

Imagina a caudal de sofrimentos

Que rola pelo mundo...

Pensa nos dias lentos

Dos que gemem a sós, de segundo a segundo,

Do pardieiro humilde aos grandes hospitais...

 

Se, em verdade, pudesses

Contar as lágrimas e as preces

Que surgem sem cessar

Nos que faceiam duras provações

Sem apoio e sem lar,

Carregando nos próprios corações

Inquietação, angústia, sombra, desventura...

 

Se pudesses somar

As chagas, os desgostos e os gemidos

Na alma triste e insegura

Dos irmãos perseguidos

Por pedradas da injúria e açoites do pesar...

 

Se enumerasses todas as crianças

Que por falta do amor a que te elevas,

Sofrem deformações, suplícios e mudanças,

Da infância rejeitada à revolta nas trevas.

 

Se pudesses fitar, analisar, transpor,

No caminho em que avanças

Aflições que talvez nunca enxergaste em derredor,

Certo que a tua dor

Ficaria menor.

 

 

Do livro A Vida Conta. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.