SERVE  E  ESQUECE

 

Maria Dolores

 

 

Coração, ouve!... Se queres

 

A bênção da paz constante,

Trabalha e segue adiante,

Cumprindo o próprio dever...

Para vencer no caminho

Tristeza, treva e pesar,

Muito mais do que lembrar

A vida roga esquecer.

 

Esquece as mágoas sofridas,

As horas de céu cinzento,

O azedume, o desalento

E os tempos de provação;

Renova-te, dia-a-dia,

Não pares, contando lutas,

Progresso é o lema que escutas

No mundo em transformação.

 

Tudo procura a vanguarda,

A flor converte-se em fruto,

Do cascalho rijo e bruto,

Eis o diamante a surgir...

O fio forma o agasalho,

A própria noite se esquece

Na aurora que resplandece

Buscando a luz do porvir.

 

Da própria queda no erro,

Levanta-te e segue à frente,

Servindo incessantemente,

Tudo podes refazer;

Não te detenhas na angústia,

Ante o mal, prossegue e olvida,

As próprias nódoas da vida

A vida pede esquecer.

 

 

Do livro A Vida Conta. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.