TEMPO  EM  NÓS

 

Maria Dolores

 

 

Enquanto o Tempo segue renovando

Os quadros da existência a que se atrela,

Indagas, muita vez, alma querida e bela,

Como vencer na prova a te agredir...

De tudo quanto aprendo, entre as lições do mundo,

Dá-me a estrada, na luta a que me vejo exposta,

Quatro verbos distintos por resposta:

– Amar e compreender, trabalhar e servir.

 

A própria Natureza é um livro aberto...

Se inquirisses do Sol no firmamento

Como brilhar sem pausa, firme e atento,

Nutrindo mundos sem se consumir...

Ele, decerto, te responderia

Que o Senhor lhe traçou por alta obrigação

Cumprir as leis da vida, tais quais são:

– Amar e compreender, trabalhar e servir.

 

Interroguei, um dia, à roseira podada,

Já que se lhe furtava o véu de rosas,

A pancadas e injúrias espantosas,

Como devia a pobre reflorir;

Ela, porém, me disse, humilde e crente:

– “Enriquecer a Terra é o meu dever

E, se quero evoluir, necessito aprender

Amar e compreender, trabalhar e servir.”

 

Vejo tratores retalhando o solo,

Dinamites na serra, a parti-la, de todo,

Fontes varando tremedais de lodo,

Árvores venerandas a cair...

E se busco entender a dor do campo,

Nesses despojamentos que pesquiso,

Cada elemento fala que é preciso

Amar e compreender, trabalhar e servir.

 

Assim também, alma fraterna e boa,

Se trazes sob o Tempo, aflições e problemas,

Constrói, age, confia, crê, não temas

E resguarda no peito o anseio do porvir;

Por mais sofras, não pares, segue à frente,

Enquanto cada dia surge e avança,

Eis que o Céu nos repete, através da esperança:

– Amar e compreender, trabalhar e servir.

 

 

Do livro A Vida Conta. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.