PALAVRA  E  VIDA

Emmanuel

 

Recomenda estas coisas. Dá  testemunhos solene a todos, perante Deus, para que  evitem

contendas de palavras que para nada aproveitam,exceto para a subversão dos ouvintes.

–Paulo. ( Timóteo, 2:14 )

 

      Beneficência para todos os dias e ao alcance de todos: a doação das boas palavras.

*

      Estamos convencidos de que as nossas palavras, em oração, trabalham por nós diante do Criador, mas é preciso não olvidar que aquelas outras, pronunciadas à frente das criaturas nas ações diárias, também repercutem.

    As frases que articulamos são recursos inteligentes que colocamos em circulação nos mecanismos da vida, e cujos resultados voltam matematicamente a nós em forma de auxílio ou prejuízo, conforme o bem ou mal de que nos fazemos portadores, inconscientemente ou não.

    O verbo dita modelo à experiência.

    Um conselho é uma indicação.

    Um discurso é comparável a motor indutivo.

    Uma página escrita não deixa de ser um figurino para criações de ordem moral.

*

    Enquanto não nos dispomos a entender o valimento da palavra e a respeita-la através da disciplina no uso digno e harmonioso dessa tremenda força da alma, muito pouco  aproveitamos da bênção de cada reencarnação, porque, via de regra, caímos facilmente sob a hipnose da massa de agentes involuídos, aderindo de maneira instintiva aos processos de  vampirização em que se comprazem, na esfera da animalidade primitivista.

    Reflitamos na advertência do apóstolo Paulo a Timóteo, com referência ao assunto: “Recomenda estas coisas. Dá testemunho solene a todos, perante Deus, para que evitem contendas de palavras que para nada aproveitam, exceto para a subversão dos ouvintes.”

 

Mensagem psicografada por Francisco Cândido Xavier. Do livro “Bênção de Paz"