NO  TESOURO  DAS  HORAS

Emmanuel

 

         Meus amigos, nas nossas reuniões do Espiritismo Evangélico, não nos esqueçamos da boa vontade e da cooperação.

         Quinze minutos de amparo fraternal, através da conversação educativa, representam valioso tempo na construção do bem.

         Os orientadores da Vida Maior não se expressam junto de nós exclusivamente através da máquina mediúnica, especializada em suas funções técnicas. Mais que isso, aproximam-se de nossa expressão verbalística e tomam-nos a palavra por fio de transmissão de ensinamentos preciosos ou por veículo de medicação eficiente aos que nos acompanham detendo problemas mais asfixiantes que os nossos.

         Uma frase amiga...

         Um trecho de leitura edificante...

         Um apontamento consolador...

         O relato de uma experiência construtiva...

         Tudo isso é recurso no levantamento do Reino de Deus que lutamos para alcançar.

Abstenhamo-no de converter as nossas reuniões em congressos de fadiga e expectação inoperante.

         É possível materializar em nossos agrupamentos de oração o mais seguro aprendizado com o Divino Mestre, através da palavra bem conduzida.

         Um quarto de hora é inestimável para Deus.

         É preciso não perdê-lo em divagações inúteis, em suspiros de cansaço, em aflição injusta ou em ociosidade incompatível com a nossa fé.

         Todos podemos dar.

         Esta é a primordial revelação do amor que nos rege os destinos.

         Comecemos a concretização da caridade, dando ao próximo algo de nossa esperança, de nosso trabalho ou de nossa cultura, em forma de notícias de nosso mundo interior, ainda em processo de adaptação ao Evangelho.

         Cada assembléia Espírita-Cristã é acompanhada de orações sequiosas de reconforto e de luz

         Desencarnados e encarnados, em obstáculos escuros na própria vida, esperam de nós o socorro providencial que uma simples frase, muitas vezes, pode realmente estabelecer.

         Recordemos, desta forma, o tesouro dos minutos e aproveitemo-lo.

         Nós sempre somos tão pródigos nos comentários puramente humanos,, em torno da ignorância e da penúria que nos rodeiam, podemos modificar o impulso de nossa fertilidade mental no rumo do bem, mobilizando a palavra para a edificação de todos.

         Rogando, assim ao Senhor, forças para valorizarmos a riqueza das horas, somos, como sempre, vosso irmão e servo humilde.

 

 

Extraído do livro Bênçãos de Amor. Autores Diversos

Psicografia de Francisco Cândido Xavier.