Caridade e Caminho

 

Maria Dolores

 

Alma querida, observa

Na Terra que se aprimora

A vida fulge por fora

Nas trilhas da evolução.

 

Em toda parte, no entanto,

Sob ruídos e disfarce

A dor é chaga a ocultar-se

Por dentro do coração.

 

Nunca existiu para os homens

Tanta cultura brilhando,

Altas conquistas em bando,

Inventos, palmas, troféus!...

 

Mas a violência campeia,

No império do instinto bruto,

Ouro e sangue, pompa e luto,

Entremeiam-se ante os Céus!...

 

O ódio incendeia povos,

A ambição ruge no excesso,

Desnorteando o progresso,

A discórdia aflige o lar...

 

As criaturas se apartam,

Sob o medo que as domina,

A treva espalha em surdina

A guerra ativa no ar.

 

Mas sobrestanto o tumulto,

Reina a Divina Presença,

Em Cristo, a luz se condensa

E aponta o Sol por porvir...

 

Quanto a nós outros, obreiros

De qualquer tempo e lugar,

A ordem é “trabalhar”

E o lema é “sempre servir”!...

 

Alma fraterna, sigamos!

A voz do Céu nos confia

A base do novo dia

No campo renovador.

 

Caridade! Caridade!

Sem cansaço ou retrocesso

Eis o caminho de acesso

Ao Reino do Eterno Amor.

 

 

ESTRADAS E DESTINOS - Francisco Cândido Xavier - Espíritos Diversos