SER   ESPÍRITA

Emmanuel

 

“Tenho-vos dito isto paro que em mim tenhais paz: no mundo. tereis aflições,
mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” JESUS JOÃO, 16:33.

 

“Ide e agradecei a Deus a gloriosa tarefa que Ele vos confiou;
mas atenção! entre os chamados para o Espiritismo muitos se transviaram;
reparai, pois, vosso caminho e segui a verdade.” - Cap. XX, 4.

 

         Doutrina Espírita - Cristianismo Renascente.

         Ser espírita é constituir-se em núcleo de ação edificante, através do qual principia a Nova Era.

*

         Fala-se no mundo de hoje, qual se o mundo estivesse reduzido à casa em ruínas.

         O espírita é chamado à função da viga robusta, suscetível de mostrar que nem tudo se perdeu.

         Há quem diga que a Humanidade jaz em processo de desagregação.

         0 espírita é convidado a guardar-se por célula sadia, capaz de abrir caminho à recuperação do organismo social.

*

         0 espírita, onde surja a destruição, converte-se em apelo ao refazimento; onde estoure a indisciplina, faz-se esteio da ordem e, onde lavre o pessimismo, ergue-se, de imediato, por mensagem de esperança.

         Assim sucede, porque o espírita reconhece que não vale exigir dos outros aquilo que não fazemos, nem reclamar no vizinho o clarão de um farol, quando, muitas vezes, esse mesmo vizinho espera pela chama de alguém que lhe aqueça e ilumine o coração enregelado na sombra.

*

Companheiro de ideal!        

          Ensinamento espírita é a palavra do Cristo que nos alcança sem gritar e a obra espírita, desde as bases primordiais de Allan Kardec, é construção do Evangelho, levantando as criaturas sem rebaixar a ninguém.

         Trabalha servindo, cônscio de que cada um de nós é o agente da propaganda de si mesmo, no trabalho da redenção humana, que não nasce da violência e sim da verdade e do amor, no toque fraternal de espírito a espírito.

         A vista disso, se muito podes realizar, a benefício do próximo, por aquilo que sabes, somente conseguirás renovar os semelhantes por aquilo que és.

 

 

Extraído do Livro da Esperança. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.