DINHEIRO  E  SERVIÇO

Emmanuel

 

Não é a vida mais do que o mantimento e o corpo mais do que o vestido?-
- JESUS - MATEUS, 6: 25.

 

“Não vos julgueis com o direito de dispor em vosso exclusivo proveito daquilo que recebestes, não por doaÇão mas simplesmente como empréstimo, Sendo sabeis restituir, não tendes o direito de pedir, e lembrai-vos de que aquele que dá aos necessitados salda a dívida que contraiu para com Deus. ”
 - Cap. XVI, 14.

 

Não digas que o dinheiro é a causa dos males que atormentam a Terra.

Se contemplas o firmamento, aceitando a Sabedoria Infinita que plasmou a grandeza c6smica e se te inclinas para a flor do valado, crendo que a Infinita Bondade no-la ofertou, não ignoras que a Providência Divina criou também o dinheiro de que dispões.

Basta ligeiro olhar no campo do mundo para que entendas a moeda por seiva da atividade, sustentando reconforto e educação, segurança e beneficência.

0 pão extingue a fome.

0 dinheiro ajuda a produzi-lo.

0 livro espanca as trevas de espírito.

0 dinheiro protege-lhe a expansão.

A veste agasalha o corpo.

O dinheiro auxilia a entretecê-la.

A casa abriga.

0 dinheiro apóia-lhe a: construção.

0 remédio socorre.

0 dinheiro incentiva~’he o preparo.

A caridade suprime a penúria.

0 dinheiro assegura-lhe as manifestações.

Dinheiro na estrutura social é comparável ao sangue no mundo orgânico: circulando garante a vida e, parando, acelera a morte.

Valores amoedados, sejam em metal ou papel, são sementes de realização e alegria; e observe-se que ninguém está impedido de multiplicá-las nas próprias mãos, através do trabalho honesto.

É por isso que a Doutrina Espírita nos ensina a encontrar no dinheiro um agente valioso e neutro a pedir-nos emprego e direção.

Dá-lhe passagem para o reino do bem, agindo e servindo-te dele, a benefício de quantos te partilham a caminhada e estarás em conjunção incessante com o Suprimento Divino que te abençoará a prosperidade e te resguardará a presença na Terra, por fonte viva do Eterno Bem.

 

Extraído do livro " O Livro da Esperança" - Psicografado por FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER