O  VIAJANTE  ETERNO

 

 Carlos Bejamin De Viveiros

 

Ergue-se como o véu a Noite da

Memória

E desnuda-me o Ser sob as

Reminiscências.

Desfile singular de história sobre

História,

Na estranha reunião de várias

Existências!

 

Numa só consciência as demais

Consciências,

Sombras do mesmo Ser... Que nova

Trajetória

O Senhor traçará na vida transitória,

Agora, para mim, noutras experiências?

 

Olho-me interior e múltiplo me vendo,

Clamo: nada atingi daquilo que julgava

Crescer ao meu redor... e eis que sigo aprendendo!

 

Vou com todos em mim renovando os esforços,

Pois fomos sempre um só que os séculos

Viajava,

Pelo País da Dor e as terras dos remorsos!

 

                                               

 

 Livro Mais Vida - Chico Xavier