SEGUNDO  AGIMOS

Emmanuel.

 

 

“Mas deliberei isto consigo mesmo: não ir mais ter convosco em tristeza”.-Paulo.

(II Coríntios, 2:1.).

 

              Cautela com a tristeza, capaz de converter-se em lama de fel ou em labareda de angústia no coração.

              Sentimento, idéias, palavras e atitudes são agentes magnéticos de indução para o melhor ou o pior, conforme o rumo que se lhes traça.

              Queixa inútil enfraquece o otimismo, gerando desconfiança e perturbação.

              Azedume corta o impulso de generosidade, aniquilando boas obras no nascedouro.

              Irritação abate as forças da alma, trazendo a exaustão prematura.

              Mágoa anula a esperança, arrasando possibilidades de trabalho.

              Desespero queima o solo do ideal, exterminando a sementeira do bem.

              Se aspiras a construir, planta benevolência e serenidade, entendimento e abnegação na gleba da própria alma.

              Todos dependemos uns dos outros, na desincumbência dos compromissos que nos competem. A vida, porém, através de todos aqueles que nos partilham a marcha, reage sobre nós, segundo agimos; em vista disso, para a execução da tarefa que nos cabe, quantos caminham ao nosso lado apenas colaboram conosco, na pauta de nosso auxílio, dando-nos isso ou aquilo, no tanto e na espécie daquilo ou disso que venham a receber.

 

Livro: “Palavras de Vida Eterna” – Psicografia: Francisco C. Xavier- Espírito Emmanuel.

 Digitação: Maria Cristina.