DESCULPAR

André Luiz

Desculpe e você compreenderá.

 Onde existe amor não há lugar para ressentimento.

 Ao colocar-se na condição de quem erra, seja qual seja o problema, você notará que a compaixão nos dissolve qualquer sombra de crítica.

 A existência humana é uma coleção de testes em que a Divina Sabedoria nos observa, com vistas à nossa habilitação para a Vida Superior; quem hoje condena o próximo não sabe que talvez amanhã esteja enfrentando os mesmos problemas daqueles companheiros presentemente em dificuldade.

 Nos esquemas da Eterna Justiça, o perdão é a luz que extingue as trevas.

 Às vezes, aquilo que parece ofensa é o socorro oculto do Mundo Espiritual em seu benefício.

 A misericórdia vai além do perdão, criando o esquecimento do mal.

 Em muitas ocasiões, a Divina Providência nos permite o erro para que aprendamos a perdoar.

 A indulgência é a fonte que lava os venenos da culpa.

 Perdão é a fórmula da paz.

 Aprendamos a tolerar, para que sejamos tolerados.


De “Respostas da Vida”, de Francisco Cândido Xavier