VIVÊNCIA

 

André Luiz

 

Habitualmente, perdemos tempo em desgosto inútil, quando nos achamos em antagonismo com alguém ou vice-versa.

Entretanto, vejamos:

os outros pensam segundo imaginam;

falam o que melhor lhes parece;

fazem o que lhes ocorre aos desejos;

abraçam o que lhes agrada;

adquirem o que estimam;

valorizam o que mais amam;

inclinam-se para aquilo que os atrai;

vivem com quem mais se afinam;

estão no caminho que escolheram;

acham sempre o que procuram.

Isso não é novidade. Todos seguimos diretrizes idênticas: agimos como somos e reagimos conforme a própria vontade. A novidade é reconhecer que os outros e nós teremos invariavelmente o que fizermos.

Alcançando a certeza disso, vale, acima de tudo, auxiliarmo-nos reciprocamente, pois ninguém consegue aperfeiçoamento próprio senão à custa de numerosas experiências.

À frente da realidade, vivamos com as nossas lições e deixemos aos outros o seu próprio dom de aprender e de viver.

 

Livro Respostas da Vida. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.