14 - INJUSTIÇA

A injustiça experimentada foi semelhante ao gume afiado que retalhou os tecidos sutis do Espírito, deixando escombros nos painéis da esperança onde antes se desenhavam edificações nobilitantes.

O veneno da calúnia, logo alcançou o teu coraação, deu início à ação nefanda da destruição, lobrigando atingir os melhores propósitos que acalentavas, produzindo o inenarrável prejuízo da desmoralização em tomo dos elevados programas de santificação.

O abandono a que te relegaram pode ser comparado ao desprezo a que se atirasse uma plântula débil mas cheia de vitalidade, que as intempéries, os insetos e a erva daninha se encarregariam de destruir, tal é a situação em que agora te achas ante as circunstâncias várias que poderiam aniquilar-te ...

O ciúme ferino produziu o câncer da suspeita, conduzindo os sonhos de tua esperança à condição de pesadelo ultriz, que agora se converte em enfermidade demorada, a corroer-te interiormente.

A malquerença acercou-se da porta do teu lar, e de convidada, pela negligência da família, tomou-se residente e senhora da casa, aliciando a leviandade generalizada à infeliz peleja em que todos se atiram, inimigos gratuitos que se transformaram entre si.

Quantas outras experiências anotas, como resultado das lutas que vens travando nas províncias do mundo íntimo!

Acumulas a borra do desânimo e destilas o ácido da amargura logo és convidado a programas novos.

Relegas a Religião a plano secundário e apoquentas-te por nonadas, infeliz, desesperançado.

Tudo parece sombrio, desanimador, ao teu lado. Retempera as experiências com os condimentos do otimismo e as poções da prece bem urdida na emoção reajustada.

Modificar-se-ão as concepções, aragem agradável perfumada pelo aroma da paz produzirá harmonia íntima, e constatarás que tudo está nas mãos de Deus e a Ele deves entregar problemas e aflições fazendo, porém, a tua parte a benefício próprio.

Não te aferres, desse modo, aos incidentes lamentáveis da jornada evolutiva.

Problema é teste à aprendizagem moral e dor significa exame em face ás conquistas do Espírito.

Assim, liberta-te dos que te escravizaram, com os seus atos, à angustia que teima por dilacerar-te, abre os braços no rumo do amanhã e avança tranqüilo.

Jesus não é apenas oportunidade redentora, representa, também, lição viva que não pode ser desconsiderada.

A via-láctea, serena, bordada de bilhões de astros, gravita sob a segura diretriz das mãos de Deus. O carvão, transformando-se paulatinamente através dos milênios em diamante que luzirá claridades coruscantes, segue o esquema das mãos de Deus.

A vida infinitesimal que pulsa na molécula e o impulso que aciona o eléctron encontram-se submetidos às seguras linhas, inabordáveis, tracejadas pelas mãos de Deus.

O destino do homem é a perfeição, seu fanal é a glória imarcescível.

As lutas que apequenam os fracos, ajudam-nos a adquirir força para conquistas outras e desdobram as possibilidades no forte agigantando-o para o futuro.

Quando os amigos a abandonaram, experimentando inenarrável soledade; à hora em que todos os Seus ditos foram deturpados; face à constrição decorrente da fuga dos beneficiários dos Seus atos; diante do azedume de uns e da impiedade de quase todos; nas sombras da obsessão coletiva que àquela hora campeava triunfalmente, contemplou todos e repassou pela memória atos e palavras, culminando por ensinar a mais preciosa lição no instante mais grave: - entregou-se às mãos de Deus e permaneceu confiante até o fim.

Joanna de Ângelis

Sócrates:
Não se deve nunca retribuir a injustiça com a injustiça nem fazer mal a ninguém, qualquer que seja o mal que nos tenham feito. Poucas pessoas, entretanto, admitem esse princípio, e as que não concordam com ele só podem desprezar-se umas às outras.