REVOLUÇÃO

Espalha a Revelação Divina, entretanto não olvides ajustar a própria boca ao verbo santificante.

Encarece a necessidade do silêncio diante do mal, contudo garante os próprios ouvidos contra o assalto das trevas.

Salienta o valor do trabalho, como base do progresso, mas não relegues as próprias mãos às teias da ociosidade.

Define os recursos do bem para os companheiros da estrada, no entanto não condenes os próprios olhos aos espinheiros e detritos da marcha.

Destaca a beleza do perdão, todavia não tisnes a própria alma com o lodo da ofensa.

Engrandece os talentos da simplicidade e da paz, contudo não te confies às algemas da vaidade e do orgulho.

Cristo, o divino renovador, endossou, sim, a revolução, mas a revolução espiritual em nós mesmos, expressando movimento regenerador de nossa própria consciência, empresa essa com a qual nos compete adaptar o próprio espírito às bênçãos da Lei de Deus.

Contempla o Senhor em sua trajetória sublime da Manjedoura até a Cruz e reconhecerás n'Ele, não apenas a palavra e o conselho, mas o exemplo e a lição.

Emmanuel