ANUNCIAÇÃO DO EVANGELHO

Depois daquele dia, o mundo nunca mais seria o mesmo. A manjedoura, simples e anônima, foi o ponto de partida para a Grande Mensagem.

Ele chega, e a sua presença modifica a atmosfera entre os povos da antiga Palestina.

Jesus representa o marco divisor entre a força e a brandura, a guerra e a paz, a injustiça e a igualdade.

O amor é o tema central de seus ensinos.

Antes dele, os povos somente conheceram a linguagem da força e da dominação.

A Palestina, ocupada pelos romanos, era um agrupamento de criaturas infelizes.

O Mestre se apresenta e anuncia consolações.

Despreza o poder temporal dos homens e convida a todos para a paz no Reino dos Céus.

Suas palavras consolam e esclarecem. O mundo já não é o mesmo.

Depois da anunciação do Evangelho, o amor penetrou os corações.

A Terra, mesmo entre sofrimentos e desenganos, caminha para o grande porvir.

Necessário, porém, que cada criatura se converta naquela manjedoura, simples e anônima, a fim de que o mundo novo não tarde.

O Espiritismo, doutrina que revive os ensinos do Mestre, é a grande ponte.

Utilizemo-la para levar consolação aos corações doridos e infelizes, porque, por este caminho, igualmente chegaremos à paz em nós mesmos, louvando a Jesus, o eterno Mestre.

Servílio Marrone